8.12.20

The Bolshoi

The Bolshoi || Disponível a partir do dia 10 de dezembro de 2020
Crítica por Helen Nice

Imagem: Reprodução

The Bolshoi, caracterizado como um documentário-ficção, foi lançado em 2017. Dirigido pelo ucraniano Valeriy Todorovskiy, será exibido no 1º Festival de Cinema Russo. O roteiro de Anastasiya Palchikova nos traz a história de uma garota provinciana que sonha alto e deseja se tornar solista no prestigiado e concorrido Teatro Bolshoi e, para isso, terá que encarar uma vida de desafios e superação pessoal. A pequena Yulia Olshanskaya (interessante como eles se tratam pelo nome completo) de apenas 10 anos vive em uma família desestruturada, com um pai fanfarrão que gasta o pouco dinheiro em bebida e presentes supérfluos, enquanto falta alimento na mesa. A mãe, sobrecarregada com os afazeres domésticos, sofre com a situação. O irmão, ainda pequeno, carregará os traumas dessa realidade. 

Talentosa dançarina, Yulia se apresenta nas ruas da pequena província para conseguir alguns trocados e realizar pequenos furtos. Um dia, a vítima do furto é o ex-bailarino Pototsky, que vê o potencial da garota e prevê um belo futuro dançando em grandes palcos. Superando a vergonha de seu próprio fracasso como bailarino, ele a ajuda a ingressar em uma escola de treinamento, onde a pequena, após 8 anos de prática e estudos das técnicas, poderá disputar uma vaga no Balé Bolshoi. Se ela se empenhar para isso... Mas Yulia é um bichinho indomável, dançar para ela é algo natural sem nomes complicados, e a rotina estafante de uma escola de balé não é algo que a atraia. Será um árduo caminho para a resistente garota e sua obstinada tutora Beleckaya (Alisa Freyndlikh). Yulia será apoiada por uma mestra idosa e com problemas de memória (Walentina Iwanowna) que reconhece seu talento inato e potencial, incentivando e defendendo a bailarina. 

Imagem: Reprodução

No papel da jovem Yulia temos a excepcional Ekaterina Samuilina, atleta da equipe de ginástica rítmica russa. Sua atuação é intensa e de uma espontaneidade incrível. Com ela vemos como as crianças que são escolhidas para integrar a escola de dança passam por duras provas, treinamento intenso e muitas vezes cruel. O filme que originalmente tem 132 minutos de duração foi reduzido para 96 minutos o que causou pequenas falhas na continuidade e algumas cenas ficam sem lógica, como o momento do roubo dos brincos e expulsão da escola. Mas nada que interfira no produto final. 

Já na adolescência, Yulia se torna uma jovem rebelde, com as inquietudes próprias da idade, porém obstinada. Agora interpretada por Margarita Simonova, estrela do Ballet Nacional Polonês, demostra facilidade e espírito competitivo. O desenrolar da trama mostra a rotina da escola de balé com jovens adolescentes e suas crises da idade. Dúvidas sobre sexo e virgindade, rivalidade, companheirismo, necessidade de afirmação. A rivalidade entre Yulia e Karina (Anna Isaewa), jovem de família rica, que se dedica às práticas e valoriza a importância de estar ali, porém tem o privilégio de poder comprar seu destaque na apresentação final. Mas isto não abala a amizade entre ambas. Presente e passado dançam sutilmente na tela explicando cada situação e dando a perspectiva dos fatos. A família que não apoia sua carreira, seus traumas, frustrações e a coragem de seguir em frente. Será uma jornada de luta pessoal. Yulia terá que aceitar as regras rígidas que o balé exige, sacrificando juventude, vida social, tudo em prol de um futuro promissor. 

Vale assistir pelas cenas com trechos de balés clássicos como O Quebra-Nozes e O Lago dos Cisnes. Belíssimos! A fotografia primorosa traz imagens do majestoso teatro Bolshoi, inclusive de seus bastidores, estudantes e dançarinos profissionais. Bolshoi apresenta o glamour dos palcos, mas também as práticas extenuantes, a rotina obsessiva, as dores; além do brilho dos holofotes e das belas composições. Uma história adorável, cativante, de alta qualidade e lindamente contada com realismo e requinte. O filme é envolvente e mostra que o Cinema Russo deve ser mais prestigiado. Eu simplesmente amei!!

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram: @dnisin

© Seja Cult. Design by FCD.