17.12.20

A Garota Invisível

A Garota Invisível || Estreia dia 22 de dezembro de 2020 nas plataformas digitais 
Crítica por Helen Nice 

Imagem cedida pela agência Atômica Lab

Procurando o que assistir no fim de semana prolongado de Natal? Nossa dica é A Garota Invisível, uma história de amizade e romance adolescente com muita música, intrigas e animação. Sob a direção de Mauricio Eça (Carrossel), com roteiro de Livia Alcade e C. Jos Bravo, o filme tem estreia prevista para 22/12 nas Plataformas Digitais: Claro Now, Vivo Play, iTunes, AppleTV, GooglePlay, YouTube e SkyPlay. Você pode conferir no conforto da sua casa! 

Na trama temos todos aqueles elementos essenciais em uma boa comédia romântica - a nerd, o amigo fiel, o crush irresistível e, lógico, a bela namorada do crush com as amigas inseparáveis e cheias de planos infalíveis. Ariana, vivida por Sophia Valverde (As aventuras de Poliana) é a nerd. Aquela aluna exemplar, mas que passa longe de ser popular e fazer parte da turminha descolada da escola. E agora com as aulas online, só lhe resta conversar com seu fiel e único amigo Téo (Matheus Ueta).  Ela se considera totalmente invisível, só não percebe que seu amigo nutre uma paixãozinha secreta por ela, mas não tem coragem de se declarar. Ele segue sendo aquele amigo confidente que a ouve falar sobre seu crush, o bonitão da escola Khaleb (Guilherme Brumatti) .

Imagem cedida pela agência Atômica Lab

A paixão de Ariana era segredo até que um vídeo gravado sem querer vazou na internet e ela se transformou no assunto do momento. Khaleb e seu amigo Edu (Kaik Pereira - Chiquititas) se aproveitam da situação e armam uma cilada para a inocente garota. Sem contar que Khaleb tem uma ex namorada, a popular youtuber Diana (Mharessa Fernanda - Cúmplices de um resgate) que não vai abrir mão de sua relação com o garoto mais cobiçado da escola. Ela conta com suas fiéis companheiras Paty (Bia Jordão - Cúmplices de um resgate) e Jade (Bianca Paiva - Escola de gênios) para armar intrigas e tentar atrapalhar o romance de Ariana e Khaleb. 

Seguindo a linha leve e despretensiosa de toda boa comédia romântica, essa produção nacional não deixa nada a desejar se comparada às produções similares americanas. Os cenários - gravados nas casas, mais especificamente nos quartos dos adolescentes durante a pandemia, seguindo todo cuidado e normas de segurança que o momento exige, foram super bem produzidos, com ares jovens e de bom gosto. Duvido você não desejar ter um quarto daqueles. O figurino também é bem produzido. Tudo se resolve virtualmente na maior parte do tempo, bem ao estilo da juventude e de acordo com nossa realidade atual. 

Imagem cedida pela agência Atômica Lab

A trama é aquela que toda garota já viveu um dia... amor platônico, garoto gatão da escola, turminha descolada versus nerds e retraídos, aulas virtuais com um professor pra lá de engraçado, o Prof, Chicão (Marcelo Varzea), matérias chatas e recuperação. A formula perfeita para arrancar risos, suspiros e até algumas "lagriminhas" dos mais românticos. Destaque para a pequena Clara Jordão (Amor de mãe) que dá um show de graça e fofura. E a trilha musical não poderia ser mais propícia. As músicas são interpretadas pelos próprios atores e eles mandam bem nos vocais tanto quanto na atuação. 

A protagonista Sophia Valverde canta canções compostas por Rique Azevedo e Samille Joker. Nathan Barone também interpreta duas composições. Mharessa canta "Nós Dois" e "Pontos no papel". E temos a estreia musical de Gui Brumatti com a música "Decifrando o que é amar". A história é dinâmica e divertida e traz uma mensagem de amizade e companheirismo, o que todos estamos precisando nestes tempos de distanciamento.

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram: @dnisin

© Seja Cult. Design by FCD.