10.6.20

Um grito de liberdade

Um grito de liberdade || Estreia dia 11 de junho no Cinema Virtual
Crítica por Helen Nice


Annem quer dizer "Minha Mãe" e é o título original deste drama turco que chega às plataformas digitais nesta próxima quinta (11) como parte do projeto Cinema Virtual. Para assisti-lo clique aqui, escolha o filme, preencha os dados solicitados e por apenas R$24,90 você poderá acessar em até 3 plataformas diferentes (celular, tv, computador ou tablet) por um período de 72 horas. Neste momento quando estamos impossibilitados de frequentar as salas de cinemas, temos que destacar iniciativas como esta, que trazem até nós, cinéfilos, filmes inéditos no conforto de nossos lares. 

"Um grito de liberdade" título que recebeu em português, vem compor o catálogo da A2 Filmes juntamente com "A guerra de Anna" e "O segredo da floresta". Dirigido por Mustafa Kotan, com roteiro de Evren Erdogan, Bener Karaçor e Ayse Balibey, vamos conhecer a história da abnegada mãe Ayse (Sumru Yavrucut) e sua filha Nazli (Özge Gürel) e tenha a certeza de que você não terá a mesma visão da maternidade após assisti-lo. Logo no começo já somos alertados que só se entende o que é ser mãe quando se tem o próprio filho. E como bem disse a própria Sumru Yavrucuk "quando fazemos as pazes com nós mesmos, também fazemos as pazes com nossa mãe". Se prepare para um filme muito realista e emocional, com uma trilha sonora que transmite todo esse cenário dramático. A música de Candan Erçetin é intensa. 


Essa mãe turca, após perder outros filhos, vê na pequena Nazli sua razão de viver. Em uma sociedade que valoriza o papel do homem, não será fácil criar uma garota. Seu mundo gira em torno daquela bela criança e no forte desejo de fazê-la feliz e ter acesso aos estudos para um dia poder ter "seu pão", sem depender de ninguém. Ela própria carrega um casamento por anos por não ter tido para onde voltar e não quer que a filha tenha o mesmo destino. Estudar seria a única maneira de se libertar do domínio de um homem culturalmente violento e dominador. Em certo momento o pai pergunta à mãe: "o que você seria se eu não tivesse te aceitado em casamento?", como se ela fosse propriedade dele. Estudar não é uma necessidade para as mulheres. Ayse é passional, intensa, defende os direitos daquela criança como uma leoa defende sua cria. 

Nazli cresce e sua mãe continua agindo como se ela fosse pequena e aí começam os conflitos. A filha sente vergonha da mãe, renega seu amor e quer sair do vilarejo onde vive e se livrar do pai violento, que como manda a tradição não demonstra carinho e afeto pela filha. Contrariando as ordens do pai, Nazli estuda e chega à universidade. Muda-se para Istambul, cidade grande com outras vivências e uma nova realidade. O distanciamento cultural entre a jovem e a família se torna cada vez mais evidente e se intensifica quando Nazli se apaixona por um rapaz de uma família abastada. A mãe sofre a falta da filha única, mas como boa mãe, se anula pela felicidade da filha. A vida segue, porém o destino tem o poder de colocar todas as peças do quebra cabeça chamado vida de volta em seus lugares e Nazli tem a oportunidade de tentar uma reaproximação com a mãe. Mas as relações mãe e filha nunca são simples e pacíficas. Para chegar a um amadurecimento as duas terão que encarar perdas, sofrimento e grandes arrependimentos.

"Um grito de liberdade" vai te fazer repensar o seu próprio relacionamento com sua mãe. E sua postura como filho/a... Te fará entender esse imenso, insano amor sem limites que habita o coração de todas as mães. Há um filme de todos nós contido nessa história. E tudo isso com algumas lágrimas e uma avalanche de sentimentos!

Um comentário

  1. adorei conhecer esse filme, bem no estilo que eu gosto, vou procurar pra assistir

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.