23.5.20

Você nem Imagina

Você nem Imagina || Disponível na Netflix
Crítica por Helen Nice


"The half of it" escrito e dirigido por Alice Wu é um típico filme para o público adolescente. No elenco temos Leah Lewis (Elllie Chu), Daniel Diemer (Paul Munsky), Alexxia Lemire (Aster Flores), Wolfgang Novocratz (Trig) e Collin Chou (pai de Ellie). Produzido pela Netflix, chegou ao catálogo este mês (maio) e já ganhou o coração da galera mais jovem por ter uma temática bem atual - o amor em todas as suas formas de expressão. Como, muitas vezes, o ser amado está ali do ladinho e a gente nem percebe. Principalmente na adolescência, quando tudo é novidade e ainda estamos descobrindo o amor. Em tempos de distanciamento faz bem assistir algo leve e romântico. Embora caia muitas vezes no clichê, este filme aquece o coração e traz de volta a esperança em dias melhores com abraços e longas conversas. 

No filme, a adolescente nerd Ellie Chu, uma estudante tímida que vive na pequena cidade de Squahamish, se isola da turma por não se encaixar nos padrões. Ela faz pequenos trabalhos de classe para a turma para ganhar uma grana extra. Ellie, que é chinesa, não tem mãe e cuida do pai depressivo que trabalha na estação ferroviária. Carrega um peso enorme de responsabilidades para sua idade e com isso não dá vazão ao seu lado adolescente e se comporta como uma adulta. Namorar não faz parte de sua vida e as descobertas naturais da idade a tomam de surpresa. Como em todo romance teen, teremos a linda e popular da escola, aquela que é invejada e todos querem a amizade. Esta é Aster Flores. Ela tem um namorico com o bonitão e metido Trig. 


Temos também o rapaz tímido e não muito esperto,mas gente boa e um coração imenso. Seu nome - Paul. Ele pratica esporte e tem disposição para seguir correndo atrás de Ellie e sua bike quase todos os dias, insistindo para que ela escreva uma carta de amor para Aster em seu nome. Os três formam o típico esteriótipo de filmes adolescentes. A princípio, Ellie se nega, mas como precisa de dinheiro, acaba aceitando. O que ela nem poderia imaginar era se tornar amiga de Paul e se apaixonar pela crush dele. Ellie, Paul e Aster embarcam nas descobertas da adolescência. Os temas amor, amadurecimento e sexualidade são mostrados de maneira leve e sutil. A amizade entre os três chega a uma bela conexão com respeito dos sentimentos. É...a vida segue por rotas inesperadas e sentimentos improváveis. 

Ellie se passa por Paul e troca mensagens com Aster, mas remetendo ao amor líquido e relações sem profundidade, as mensagens não revelam quem elas são de verdade, seus gostos, seus sentimentos. Algo bem típico da adolescência quando os sentimentos são ainda confusos e imediatos. O roteiro abre espaço para grandes questionamentos, mas não há tempo hábil para um aprofundamento. Cabe ao público tirar suas conclusões. Ou assisti-lo apenas como um bom passatempo em tempos de confinamento!

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.