11.4.20

Os Manuscritos Perdidos de Charlotte Brontë || Charlotte Brontë


Como uma boa Brontë Girl, aguardo ansiosamente qualquer publicação relacionada aos irmãos. Se for algo inédito então, nem se fala. Quando a Faro Editorial anunciou que lançaria Os Manuscritos Perdidos de Charlotte Brontë eu fiquei em êxtase. Não é todo dia que uma editora se propõe a lançar algo sobre os irmãos Brontë por n motivos. O que também me deixou impactada é a descoberta e análise que o livro traz. Os Manuscritos Perdidos nos dá a possibilidade de ler algo inédito da Charlotte Brontë, autora vitoriana conhecida pelo livro Jane Eyre e que viveu durante o séc. 19. Ele traz um trecho de prosa e poesia da sua juvenília nunca antes publicado. E tudo começa com um livro chamado The Remains of Henry Kirke, que pertenceu a matriarca da familia Brontë, Maria Brontë.

O livro The Remains of Henry Kirke é o exemplar perdido em um naufrágio e recuperado depois que guia  Os Manuscritos Perdidos de Charlotte Brontë, pois foi nele que vários Brontës fizeram anotações. The Remains ficou perdido por muito tempo sendo arrematado em um leilão pela Brontë Society, responsável por preservar o acervo da familia Brontë. Esse leilão aconteceu em 2015 e foi quando descobriram esses textos inéditos da Charlotte Brontë. Os Manuscritos Perdidos é um compilado de artigos que analisam não só os textos da autora como também explica a trajetória do livro até ser encontrado, quem foi Henry Kirke e a importância dele para a familia. É um total de 5 artigos, fora uma introdução e apresentação da atriz Judi Dench, que é a presidente da Brontë Society.


Embora curto, com menos de 200 pgs, eu fiz essa leitura bem devagar porque esse não é um livro literário. Eu vi mais como uma publicação acadêmica e li com uma atenção redobrada. Ainda mais que eu estudo os Brontës a mais de 10 anos, então qualquer conhecimento novo eu vou com calma e fazendo as minhas anotações. O livro todo é interessante, mas os dois artigos finais me chamaram mais a atenção. O artigo Cristais Partidos: Rapazes, Sede de Sangue e Beleza, de Sarah E. Maier, analisa os personagens masculinos que a Charlotte escreveu na juventude. Já Reinventado o Céu, de Ann-Marie Richardson, fala sobre um poema de Henry Kirke que serviu de inspiração para Emily escrever O morro dos ventos uivantes. Nesse livro, inclusive, aparece o nome de vários personagens que estão em Jane Eyre. Muito interessante mesmo.

O trabalho que a Faro fez com o livro está um primor. Ele é em capa dura, com fita na lateral para amarrar, tem uma cinta recortada no nome, fora as fotos que tem dentro e o papel diferenciado. Está um verdadeiro presente essa obra. "Ah, Denise, mas é um livro que você indica para todo mundo ou só para quem gosta das irmãs Brontë?" Claro que quem é fã das autoras vai querer ter a obra, mas quando eu paro para pensar em um livro sendo resgatado de um naufrágio e depois tendo tesouros literários escondidos dentro dele, isso me causa uma curiosidade tão grande, que eu acho difícil que outras pessoas não tenham também.

Além do quê, é uma chance de conhecer mais esses autores que, na minha visão, ainda ficam muito atrás quando se fala em literatura clássica inglesa. Geralmente as pessoas pensam em Jane Austen e Charles Dickens; vale lembrar que a Charlotte escreveu mais que Jane Eyre e que tanto ela quanto a Emily tinham uma irmã tão brilhante quanto, que escreveu dois livros. Fora o irmão, que serviu de inspiração para personagens e nunca teve nada publicado no Brasil, embora também fosse escritor. O livro dá a oportunidade de ter mais conhecimento sobre literatura, não só sobre os Brontë.



Os Manuscritos Perdidos de Charlotte Brontë
Charlotte Brontë
Faro Editorial: Facebook/Instagram

Onde comprar (link comissionado):
Amazon/Submarino/Americanas

Um comentário

  1. Oi, Denise! Li pouquíssimas coisas das irmãs, mas o que li até hoje me agradou demais! Que trabalho lindo esse da Faro! Com certeza um super presente para os fãs da autora.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.