12.3.20

Doce Entardecer na Toscana

Doce entardecer na Toscana || Estreia em 12 de março de 2020
Crítica por Helen Nice


Jacek Borcuch dirige este longa e divide o roteiro com Marcin Cecko e Szczepan Twardoch. A película traz a vencedora do Prêmio do Juri de Melhor Atriz no Festival de Sundance, Krystyna Janda no papel de Marie Linde, uma poetisa e jornalista do Le Monde, reconhecida internacionalmente. Marie decide passar seus dias com o marido Antonio (Antonio Catania), filha e netos na encantadora região da Toscana. Com belas imagens e uma trilha sonora envolvente vamos entrando no universo da personagem. Italiano, Francês, Inglês se misturam até que identificamos sua língua materna, o Polonês.

A vida segue calma na cidade de Volterra (cidade que já foi explorada na saga Crepúsculo) com suas ruas e vielas medievais, até que a rotina é abalada pela notícia da fuga de um grupo de refugiados do alojamento que lhes era destinado na Ilha de Lampedusa. Isto pode ser considerado perigoso, dizem. A aparente aceitação ao imigrante beira a hipocrisia e Linde denuncia isto. Quando seu neto desaparece e é encontrado pelo amigo Nazeer (Lorenzo de Moor) percebe-se traços de intolerância e preconceito no modo de tratá-lo, apelidando o rapaz de "egípcio".


Linde, que atualmente recebe prêmios e honrarias e está sendo indicada para receber o Prêmio Nobel de Literatura, recorda suas origens e como já esteve do outro lado da história. Ao contextualizar suas origens e se posicionar na História da Europa causa um incômodo geral. O fato de ser importante atualmente não apaga as dores de seus ancestrais e ela se reconhece no próprio "egípcio", além do fato de haver uma forte atração entre eles. Linde é um vulcão prestes a explodir. Em contraponto está a vida pacata do marido e suas pantufas que representam a aceitação da idade chegando e o convencional. O posicionamento político da personagem será a causa de sua derrota. Sua visão de mundo progressista não será facilmente digerida.

Inesperadamente ao receber o prêmio, em seu discurso, ela o rejeita e diz que é devido ao ataque terrorista e faz comentários controversos sobre o caso. Linde terá que conviver com a situação que criou e encarar o medo que envolve a Europa em relação ao imigrante. A personalidade forte da personagem, sua postura ao defender suas crenças, questiona a identidade europeia. Os lindos cenários do velho mundo emolduram uma efervescente tela política.

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.