24.1.20

When calls the heart - 1ª temporada


A Netflix acabou me recomendando uma série chamada When calls the heart, que lendo a sinopse descobri ser uma adaptação literária, e por causa do cara gato na chamada resolvi ver. A série se passa no início do séc. XX e tem vários núcleos, sendo o principal o que envolve a personagem Elizabeth Thatcher (Erin Krakow). Elizabeth é uma jovem professora que deixa para trás a família rica e todo o conforto da cidade grande para lecionar no interior do Canadá. Pelo que eu contei vocês já tem uma ideia de que a aura da série é meio faroeste e envole caubóis, mocinhos e vilões. Logo que chega em Coal Valley, Elizabeth se desentende com o oficial da policia montada Jack Thornton (Daniel Lissing), que seria a versão canadense do xerife. Ele será seu par nessa primeira temporada.

O vilarejo de Coal Valley vive da mineração e foi acometida por um acidente recente, 46 mineiros morreram numa explosão. Várias mulheres ficaram viúvas e perderam seus filhos. Os outros núcleos da série vão envolver essas famílias, às vezes um por episódio. São estórias sobre a investigação do que aconteceu na mina, as mulheres tendo que se virar sem o dinheiro de seus maridos, a recuperação de uma cidade que vive em prol dos mineiros, a igreja pegou foto e paira a suspeita que tenha sido intencional. Então são várias estórias para prender a gente além do romance, que mesmo sendo o ponto principal, às vezes fica em segundo plano quando surge uma trama mais interessante.


Claro que eu me prendo pelo romance, mas a estória sobre os mineiros e a explosão também prende. Tem um episódio que um dos mineiros se machuca na explosão e passa um tempo no hospital. Quando ele volta está deficiente. O episódio então vai abordar o estresse pós-traumático que ele sofre ao voltar e como é para ele se adaptar em uma cidade que vive da mineração e trabalho fora isso quase não existe. Como a cidade vive em função da mina, a empresa que está por trás dela é dona de quase todos os estabelecimentos, incluindo a casa que os mineiros vivem. Quando eles morrem, as viúvas são despejadas. Dai vão ter alguns episódios que abordam essa questão, das mulheres serem dependentes financeiramente de seus maridos e no caso deles não estarem, elas não conseguirem se virar.

A série é mais focada na estória do que nos personagens; dá a impressão que ela está preocupada em entreter com conteúdo do que com cenas amorosas. O romance entre Elizabeth e Jack não vai ser sensual nem nada disso; é uma série bem tranquila de assistir com a família. Eu tenho adorado, porque ela me lembra os romances de banca da Harlequin, com as mocinhas determinadas e mudando o seu destino, sendo mais do que uma esposa. A Elizabeth é bem assim mesmo, uma moça sonhadora que foi para Coal Valley buscando fazer a diferença na vida de seus alunos e ela consegue. Em quase todos os episódios dessa primeira temporada a Elizabeth muda a vida de um aluno, sendo dando atenção a ele e seus problemas ou abrindo suas mentes com conhecimento.


A série dá muito valor ao trabalho dos professores, em como eles podem mudar a vida de uma criança plantando a sementinha de um futuro melhor através do estudo. A série num todo tem lições muito boas de refletir e é nesse sentido que disse que ela é mais focada no conteúdo. Ela está preocupada em passar para quem assiste ensinamentos de como ser uma pessoa melhor. Essa série é uma produção original do Hallmark Channel, um canal americano voltado para produções de valores cristãos. O cristão aqui não é ensinamento bíblico didático, é mais boas ações no dia a dia dos personagens, de fazer o que é certo quando a oportunidade aparecer. Dá um quentinho no coração assistindo e faz bem.

Na Netflix tem as 5 primeiras temporadas da série, sendo a primeira com 10 episódios de 40 min mais ou menos. Ano passado foi lançada a sexta temporada no Hallmark e a previsão é que ela chegue este ano na Netflix. Infelizmente When calls the heart está passando por algumas perdas de atores, um deles é um spoiler imenso que eu peguei pesquisando sobre a série, e o outro envolve a demissão da atriz Lori Loughlin, uma das protagonistas. A Lori interpreta a personagem Abigail Stanton, melhor amiga de Elizabeth e que a acompanha desde o primeiro episódio. A Lori se envolveu num escândalo de compra de vaga em faculdade e foi demitida da emissora; ela era uma das produtoras. Eu vou continuar assistindo até onde tiver na Netflix e por enquanto estou gostando bastante.

Um comentário

últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.