25.5.20

Emily Brontë ganhará cinebiografia

A autora de O morro dos ventos uivantes, Emily Brontë, vai ganhar uma cinebiografia dirigida por Frances O'Connor's. O filme vai se chamar Emily e terá no elenco jovens como Emma Mackey (Sex Education), Joe Alwyn (A Favorita), Fionn Whitehead (Dunkirk) e Emily Beecham (Cruella), respectivamente abaixo.


Emma Mackey será Emily Brontë; Joe Alwyn será o interesse amoroso de Emily; Fionn Whitehead será o irmão Branwell Brontë; Emily Beecham será Charlotte Brontë. As filmagens começam no primeiro trimestre de 2021 em Yorkshire, Reino Unido. Frances O’Connor também escreveu o roteiro.

Os produtores são os mesmo de Harry Potter, David Barron, Piers Tempest e Jo Bamford’s. Sobre o projeto O'Connor disse: "O trabalho e as palavras de Emily Brontë são cheios de paixão, sentimento, violência e inteligência feroz. Ao criar uma vida imaginada para Emily, ela viverá novamente para o nosso público. Sua história é sobre uma jovem que se atreve a se encontrar, a abraçar sua verdadeira natureza, apesar das consequências. 

Emily é, de fato, uma carta de amor para as mulheres hoje, especialmente as jovens; um chamado para que se desafiam a se conectar com sua voz e potencial autênticos. Estou muito empolgado por trabalhar com um elenco tão emocionante, talentoso e jovem; luminoso, inteligente e espirituoso".

O produtores de Harry Potter comentaram: "Vamos produzir um filme de ambição significativa - para o público apreciar e celebrar a magnífica imaginação de Emily Bronte".

Tim Haslam, da distribuidora do filme Embankment’s , acrescentou: "Nós realmente admiramos a experiência de Frances em combinar histórias leves e emocionais com pesquisa detalhada e observação diferenciada, e a celebramos como uma nova voz do cinema".

23.5.20

Você nem Imagina

Você nem Imagina || Disponível na Netflix
Crítica por Helen Nice


"The half of it" escrito e dirigido por Alice Wu é um típico filme para o público adolescente. No elenco temos Leah Lewis (Elllie Chu), Daniel Diemer (Paul Munsky), Alexxia Lemire (Aster Flores), Wolfgang Novocratz (Trig) e Collin Chou (pai de Ellie). Produzido pela Netflix, chegou ao catálogo este mês (maio) e já ganhou o coração da galera mais jovem por ter uma temática bem atual - o amor em todas as suas formas de expressão. Como, muitas vezes, o ser amado está ali do ladinho e a gente nem percebe. Principalmente na adolescência, quando tudo é novidade e ainda estamos descobrindo o amor. Em tempos de distanciamento faz bem assistir algo leve e romântico. Embora caia muitas vezes no clichê, este filme aquece o coração e traz de volta a esperança em dias melhores com abraços e longas conversas. 

No filme, a adolescente nerd Ellie Chu, uma estudante tímida que vive na pequena cidade de Squahamish, se isola da turma por não se encaixar nos padrões. Ela faz pequenos trabalhos de classe para a turma para ganhar uma grana extra. Ellie, que é chinesa, não tem mãe e cuida do pai depressivo que trabalha na estação ferroviária. Carrega um peso enorme de responsabilidades para sua idade e com isso não dá vazão ao seu lado adolescente e se comporta como uma adulta. Namorar não faz parte de sua vida e as descobertas naturais da idade a tomam de surpresa. Como em todo romance teen, teremos a linda e popular da escola, aquela que é invejada e todos querem a amizade. Esta é Aster Flores. Ela tem um namorico com o bonitão e metido Trig. 


Temos também o rapaz tímido e não muito esperto,mas gente boa e um coração imenso. Seu nome - Paul. Ele pratica esporte e tem disposição para seguir correndo atrás de Ellie e sua bike quase todos os dias, insistindo para que ela escreva uma carta de amor para Aster em seu nome. Os três formam o típico esteriótipo de filmes adolescentes. A princípio, Ellie se nega, mas como precisa de dinheiro, acaba aceitando. O que ela nem poderia imaginar era se tornar amiga de Paul e se apaixonar pela crush dele. Ellie, Paul e Aster embarcam nas descobertas da adolescência. Os temas amor, amadurecimento e sexualidade são mostrados de maneira leve e sutil. A amizade entre os três chega a uma bela conexão com respeito dos sentimentos. É...a vida segue por rotas inesperadas e sentimentos improváveis. 

Ellie se passa por Paul e troca mensagens com Aster, mas remetendo ao amor líquido e relações sem profundidade, as mensagens não revelam quem elas são de verdade, seus gostos, seus sentimentos. Algo bem típico da adolescência quando os sentimentos são ainda confusos e imediatos. O roteiro abre espaço para grandes questionamentos, mas não há tempo hábil para um aprofundamento. Cabe ao público tirar suas conclusões. Ou assisti-lo apenas como um bom passatempo em tempos de confinamento!

22.5.20

Continuação de Caixa de Pássaros entra em pré-venda

Entrou em pré-venda a sequência de Caixa de Pássaros, Malorie. O livro será lançado simultaneamente com os Estados Unidos no dia 21 de julho. A trama passará anos após os acontecimentos do primeiro livro.


Chega às livrarias a aguardada sequência de Caixa de pássaros, o livro 
que inspirou Bird Box, filme da Netflix estrelado por Sandra Bullock 

Doze anos se passaram desde que Malorie e os filhos atravessaram o rio com vendas no rosto, mas tapar os olhos ainda é uma regra que não podem deixar de seguir. Eles sabem que apenas um vislumbre das criaturas pode levar pessoas comuns a uma violência indescritível.

Ainda não há explicação. 
Nenhuma solução. 

Tudo o que Malorie pode fazer é sobreviver... e transmitir aos filhos sua determinação. Não se descuidem, diz a eles. Fiquem vendados. E NÃO ABRAM OS OLHOS. Quando eles tomam conhecimento de uma notícia que parecia impossível, Malorie se permite ter esperança pela primeira vez desde o início do surto. Há sobreviventes. Pessoas que ela considerava mortas, mas que talvez estejam vivas. 

Junto dessa informação, porém, ela acaba descobrindo coisas aterrorizantes: em lugares não tão distantes, alguns afirmam ter capturado as criaturas e feito experimentos. Invenções monstruosas e ideias extremamente perigosas. Além disso, circulam rumores de que as próprias criaturas se transformaram em algo ainda mais assustador. 

Malorie agora precisa fazer uma escolha angustiante: viver de acordo com as regras de sobrevivência que funcionaram tão bem até então, ou se aventurar na escuridão e buscar a esperança mais uma vez.

21.5.20

Autor brasileiro conquista dois prêmios internacionais e cativa fãs nos EUA e Europa

O livro Espírito Perdido (The Missing Spirit), do autor brasileiro P.J. Maia, acaba de conquistar o prêmio de “Melhor Livro de Fantasia” no Independent Press Award, em Nova York, uma competição julgada por experts de diversas áreas da indústria literária, incluindo editoras, autores, revisores, diretores de arte e redatores profissionais. 


Os vencedores de cada categoria são escolhidos a partir de quesitos de excelência no geral. “Neste ano tivemos uma quantidade extensa de inscrições e encontramos obras excelentes, todas publicadas de forma independente. Foi muito satisfatório perceber que autores independentes estão prosperando mundo afora,” comenta Gabrielle Olczak, uma das patrocinadoras da premiação. Este não é o primeiro prêmio conquistado pela obra. 

Em março deste ano, o livro Espírito Perdido conquistou o “Red Ribbon”, prêmio de Escolha dos Leitores no Wishing Shelf Awards, premiação sediada em Londres e voltada para o público juvenil, onde os títulos são avaliados por grupos de jovens leitores no Reino Unido e na Suécia. “Foi uma surpresa muito bacana. Você passa tanto tempo sozinho criando e escrevendo uma história que, depois que ela vai a público, dá muita vontade de ter todo e qualquer tipo de resposta. Até o momento meu único termômetro eram os recados de leitores no Instagram e em plataformas de livros, então essas premiações sem dúvida trazem um ânimo extra para continuar trabalhando na continuação da história,” conta entusiasmado o autor P.J. Maia. 

 Decidido a disputar espaço no mercado global de literatura fantástica de forma independente, o jovem autor brasileiro parece estar dando os primeiros passos na direção certa. O segundo livro da saga já entrou em produção, principalmente, nestes tempos de quarentena, em que todos estão confinados, o autor pretende de forma criativa dar sequência ao seu trabalho tão bem recebido pelo público e crítica.

Sobre Espírito Perdido

P. J. Maia lançou sua primeira obra com os olhos no mercado global de literatura fantástica; o livro foi originalmente escrito em inglês com o título The Missing Spirit, foi publicado no primeiro semestre de 2019 na Amazon.com em versão impressa e eBook. Logo depois chegou às livrarias brasileiras, a versão traduzida para o português por Robson Falcheti Peixoto e com a arte da capa criada pelo ilustrador argentino Nico Lassalle. A versão brasileira também conta com um audiobook narrado por Ana Maria Morais. 

 Voltado para o público jovem adulto, o livro “Espírito Perdido” se passa numa era remota, quando o planeta Terra era povoado por homens das cavernas e seres divinos. É nesta pré-história mística que conhecemos Keana, uma refugiada humana criada longe de sua tribo. No reino fugaz de Divagar, deuses e deusas desfrutam de luxo e vida eterna, às custas dos humanos comuns. Não conhecem fome, perigo ou morte, trancafiados num paraíso ensolarado. Numa tentativa desesperada de se tornar divina e ser finalmente igual aos demais, Keana burla todas as regras e acaba trazendo a morte para o reino. 

Ameaçados com a perda de seus privilégios, os deuses percebem que precisarão fazer sacrifícios para permanecerem imortais e no controle da Terra. Mesmo que o sacrifício seja a vida da garota. Confira o teaser vídeo do livro criado por Adriano Cobaia, que de forma animada apresenta um pouco da obra:

20.5.20

Vermelho, branco e sangue Azul será adaptado pela Amazon Studios

De acordo com o Deadline a Amazon Studios ganhou o leilão de direitos do romance Vermelho, branco e sangue Azul da autora Casey McQuiston e adaptará o livro. Ted Malawer será o roteirista. A Amazon ganhou de produtoras como Village Roadshow, Paramount e Warner Bros.

No Brasil a Seguinte lançou o livro, que conta a estória de Alex, filho da presidente dos Estados Unidos. Durante um casamento real ele conhece Henry, o príncipe da Inglaterra, e esse encontro dá tão errado que os dois acabam caindo sobre a mesa com o bolo do casamento. 

Para evitar qualquer desastre midiático, eles passam um fim de semana fingindo ser melhores amigos e não demora para que a relação evolua para algo que nenhum dos dois poderia imaginar – e que não tem nenhuma chance de dar certo. Ou tem?


últimas resenhas e críticas

Acompanhe no Instagram

© Seja Cult. Design by FCD.