Slider

Um desejo para nós dois || Tillie Cole

19.8.19


Tenho uma relação complexa com a autora Tillie Cole. O primeiro livro dela lançado por aqui, Mil beijos de garoto, eu amei e me acabei de tanto chorar. Então quando o segundo foi lançado, Doce Lar, eu fiquei empolgada para ler e me decepcionei muito com os personagens e o enredo. Como Um desejo para nós dois foi bem comentado pelos blogs gringos que acompanho, fiquei curiosa e fiz a leitura assim que ele chegou aqui em casa. Esse livro não foge muitos dos padrões de romances new adults quando se trata dos protagonistas não se darem bem no começo do livro, o cara ser bad boy e eles estarem na faculdade. Mas o decorrer do romance a gente percebe que tem umas diferenças e um tema que eu nunca tinha ouvido falar.

Cromwell Dean é um dj que está em ascensão. Ele costuma tocar nas melhores casas noturnas e ter as mulheres que quiser. Um garoto aparentemente comum, se não fosse a raiva guardada dentro dele que ele desconta no álcool. Em uma noite ele conhece Bonnie Farraday, uma menina que não fica envolvida por sua música e isso chama a atenção dele. Depois do show, os dois acabam se encontrando na praia e ela questiona a falta de alma que a música dele apresenta. Isso fica na cabeça de Cromwell, mas ele guarda e segue em frente. Meses depois os dois se reencontram na faculdade de música. Cromwell acaba cedendo e decide voltar a estudar e vai para os Estados Unidos. Os dois se desgostam logo de cara, ainda mais depois do que a Bonnie disse sobre a música de Cromwell, mas eles são forçados a ficarem juntos por causa de um trabalho.

Fiz muitos pedidos em minha vida, mas Cromwell tinha sido o pedido que nunca fiz. O pedido concedido que, no fim, era aquele ao qual eu mais dava valor.


Não é difícil imaginar o que vai acontecer com esses dois. O que começa como desafeto vira um sentimento libertador, principalmente para Cromwell, que vai encontrar em Bonnie uma paixão pela música que ele quer esquecer mas não vai conseguir. Para ele, tocar música eletrônica é mais fácil porque envolve outros instrumentos, outra sensação. A música clássica que a Bonnie se dedica, acaba trazendo memórias que Cromwell prefere apagar da mente. Os dois alternam a narrativa e o Cromwell é esse cara comum dos new adults mesmo; difícil de lidar por ter sentimentos que tenta esconder, o que no caso dele é a relação com o pai. Eles brigam por causa da música, do talento incomum que Cromwell tem e que o pai quer que ele se dedique totalmente. Só que às vezes ele queria ser só um garoto como outro qualquer.

O que tem de tão especial em Cromwell? Sinestesia. Eu nunca tinha ouvido falar nisso, muito menos lido em um livro, o que foi um dos pontos diferentes desse romance e me fez gostar tanto dele. O Cromwell é descrito como um gênio da música clássica porque ele consegue tocar qualquer instrumento. Isso acontece devido a sinestesia, que através das cores guia ele na hora de tocar. Ele literalmente consegue ver a música e é guiado pelas cores. Outro ponto que é apresentado sobre ele é fato de ele também, em algumas situações, conseguir sentir o sabor da música. Eu fiquei encantada com esse tema. Fiquei imaginando como deve ser a sensação de sempre que eu escutar um som ver uma cor; incrível e vale pesquisar depois para saber mais.

Libertei as cores.
Cortei a amarra que as continha e as deixei voar.


A Bonnie é uma menina também típica desse tipo de livro; virgem, inexperiente, muito meiga e com uma grande determinação. No decorrer do romance a gente descobre que ela tem um problema e é ai que entra a semelhança com Mil beijos de garoto, que todo mundo vai ressaltar quando se tratar desse livro ou vice versa. Quem não leu nenhum dos dois vai ficar na curiosidade. Só adianto que esse romance é bem triste e as partes finais me fizeram chorar bastante. A música está presente na narrativa inteira, então tem muito do dia a dia de um músico, as horas de estudo e dedicação. E preciso ressaltar que por mais new adult que ele seja, esse livro tem zero de erotismo e sensualidade. É muito discreta as cenas envolvendo sexo, que se resumem a uma só. Quem se incomoda pode ler sem medo.

Eu adorei essa leitura e recomendo para quem gosta de romances que trabalham melhor o enredo e personagens, deixando de lado o sexo. Acho que a autora acertou em trazer um tema tão diferente relacionado à música, porque tem muito livro que trata do assunto, mas dessa forma foi a primeira vez para mim. A leitura é envolvente, você quer ler até o fim para saber se eles vão ficar juntos e como isso vai acontecer. O romance entre os dois é construido passo a passo, com amadurecimento e segredos sendo revelados. Do tanto que eles crescem, parece até que o livro se passa em muitos anos, mas é só uma fase da vida adulta. Faz chorar, mas vale a leitura. Quando a Tillie Cole não vai para o lado dos eróticos, ela se sai muito melhor, pelo menos eu gostei mais.

Com a ameaça da morte pairando sobre você, percebe-se que seus verdadeiros sonhos não eram tão grandiosos. E que todos se resumiam a uma só coisa - amor.

Um desejo para nós dois
Tillie Cole
Editora Planeta: Facebook/Instagram

Resenhas de outros livros da autora:
Mil beijos de garoto
Doce Lar

Onde comprar (link comissionado):
Amazon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Theme Designed By Hello Manhattan

Your copyright

Seja Cult - Todos os direitos reservados.