Slider

O céu está em todo lugar || Jandy Nelson

22.7.19


O céu está em todo lugar foi um sucesso quando lançado, pois vinha em um kit dos sonhos da Novo Conceito. Quem lembra dessa época? A versão que eu li foi a antiga, lindíssima, com ilustrações, fonte azul, capa cartonada e texturizada. O livro parece um bulet journal em uma época que isso nem era tão comentado. A editora acabou relançando esse livro em uma edição que combinasse com outro da autora, o Eu te darei o sol. Essa é muito mais linda e não me desfiz dela para comprar a nova e nem pretendo. Falado o quão linda é essa edição, vamos a parte de dentro é que tão perfeita quanto. O céu está em todo lugar vai falar sobre o processo de superar a perda de alguém que amamos. Não sei se superar é a palavra certa, mas o livro vai tentar ajudar quem lê a seguir em frente.

Lennie Walker acabou de perder a irmã Bailey. Foi um ataque cardíaco fulminante, então ela não teve tempo para se preparar. Em um momento ela tinha a irmão, em outro não. A família está devastada e ela também, só que com a Lennie as coisas são um pouquinho mais complicadas. Ela vivia à sombra da irmã, que era descontraída, de bem com a vida, estudante de teatro e tinha um namorado incrível. Agora todo mundo passou a reparar na Lennie, até ela mesma, e isso a tem assustado. Ela vai ter que tomar as decisões complexas da fase adulta sem ter a irmã, muitas vezes, como desculpa. Era mais cômodo para a Lennie ter a irmã como a que se destacava para ela viver escondida. Fora a dor que ela sente por perder uma pessoa que era praticamente a sua outra metade.

As coisas estão tão confusas: o garoto que devia me beijar age como um irmão, e o garoto que devia agir como um irmão não para de me beijar.


Nessa equação vão entrar dois rapazes, o namorado de Bailey, Toby, e o garoto novo na escola, Joe. A relação de Lennie e Toby vai causar estranhamento no começo, porque ela vai se envolver com ele. Só que no contexto da estória, precisamos lembrar que o Toby perdeu o amor da vida dele, como ele mesmo descreve a Bailey. Quando os dois estão juntos é como se a Bailey estivesse também. Então eles tentam compensar essa falta ficando um com o outro, mesmo sabendo que é errado, mesmo sabendo que isso não resolve as coisas. Num primeiro momento causa incomodo ver os dois juntos, ainda mais que desde o inicio do livro eu fiquei envolvida com a estória, mas ao longo da narrativa você entende. Reflita: se você pudesse fazer qualquer coisa para sentir quem perdeu, você não faria?

O Joe vai ser o sopro de esperança nesse momento triste na vida de Lennie. Ele vai chegar como um furação, cheio de energia, interesse por ela e sua família e vai modificar as coisas, vai dar um novo propósito para a Lennie. Na verdade, ele vai ser um motivador nesse período. Ela vai querer se envolver nas atividades que ele participa, querer conhecer a família dele, e isso vai acabar ajudando no processo de perda. Só que como vocês podem imaginar, a Lennie vai ficar no meio dos dois. Não diria que é um triangulo amoroso, porque a Lennie não gosta de verdade do Toby, ela gosta de como ele a faz lembrar da irmã. Tem momentos que ela já está esquecendo algumas coisas da Bailey, e ele vem e lembra. Então pra mim não é envolvimento amoroso, mas vão ter esses dois caras na vida dela e vai chegar um momento que ela vai ter que escolher.

Um dia ouvi está máxima: "Toda vez que alguém morre, uma biblioteca se incendeia". Estou vendo uma ser queimada diante de mim.


O céu está em todo lugar foi uma leitura favorita. Como eu disse antes, eu fiquei envolvida com o enredo logo de cara. A Lennie narra e o começo pode ser confuso, mas foi muito fácil como eu tive empatia por ela. Depois disso você se coloca no lugar e entende as decisões que ela toma sem julgamentos. É um livro extremamente real e tocante quando ele é confuso, intenso e doloroso. Não é um livro que tenha muitas reviravoltas, muita coisa acontecendo, porque a proposta dele é fazer uma reflexão sobre o processo de luto, sobre a morte. E desse assunto o que mais me marcou é dor da vida seguir em frente, das coisas continuarem acontecendo mesmo você estando destroçada, com o coração partido e sem forças. A vida continua independente de você estar preparado ou não e essa é a lição que eu tirei da leitura.

Esse foi o meu segundo contato com a autora e eu gostei mil vezes mais desse do que de Eu te darei o sol. Se eu não me engano eu não cheguei a gostar totalmente daquele livro, fiz a resenha com o sorteio do exemplar na época que o site ainda tinha canal no youtube e por isso não tem a minha opinião dele aqui. Mas eu indico muito a leitura de O céu está em todo lugar para qualquer pessoa, ele fala sobre um tema que todo mundo vai passar em algum momento da vida que é o luto. Ele envolve adolescentes, mas como adulta, me envolvi, emocionei e refleti. Entre a edição antiga e a nova, eu recomendaria a antiga se ainda existir. Rola um boato de que a Selena Gomes teria adquiridos os direitos de adaptação desse romance. Torço por isso, mas não faço ideia se vai acontecer ou não.

Minha irmã vai morrer todos os dias, pelo resto da minha vida. A dor dura para sempre. Não desaparece nunca; torna-se parte de nós, a cada passo, a cada suspiro. Nunca vai parar de doer, Bailey, porque nunca vou deixar de gostar muito de você. É assim que é.

O Céu Está em Todo Lugar - "Eu deveria estar de luto, não me apaixonando..."
Jandy Nelson
Editora Novo Conceito: Facebook/Instagram

Onde comprar (link comissionado):
Amazon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Theme Designed By Hello Manhattan

Your copyright

Seja Cult - Todos os direitos reservados.