Destaques

Receba as atualizações do site por email!

03/11/2018

3 motivos para ver Christopher Robin

Christopher Robin - Um reencontro inesquecível estreou, pouca gente viu ou comentou, que até passou despercebido por mim. Embora tenha gostado do trailer e Pooh ter sido um dos desenhos que assistia quando criança, acabei não vendo o filme nos cinemas. Essa semana tive a oportunidade de assistir e gostei tanto que vim aqui comentar três motivos para ver o filme.


1. Não é um filme para crianças

Embora pareça ser direcionado para o público infantil, Christopher Robin - Um reencontro inesquecível não se destina a ele. Quem viu deve ter percebido que o filme conversa com o adulto que perdeu a sua criança interior, que está tão focado no trabalho que não aproveita o presente. Christopher Robin, interpretado por Ewan McGregor, cresceu e se distanciou do mundo mágico de Pooh e seus amigos. Isso é uma alusão para dizer que o universo que envolve o Pooh é a alegria infantil, aquela de quem vê graça em tudo, e que Christopher deixou isso pra trás para ser uma adulto negligente com a família. Ele não participa da vida da filha, não sabe do que ela gosta e nem dá atenção a esposa. Isso é meio que um alerta para aquele adulto que assiste ao filme e se identifica, pensar que algo não está certo e mudar.

2. Você gosta do seu trabalho?

Esse é um motivo complementar ao anterior. Christopher se dedica tanto ao trabalho que me fez pensar "poxa, ele deve gostar muito do que faz". Ele cuida de um setor de uma empresa de malas, só que ele não se identifica com nada daquilo. É de se pensar que se você dedica tanto tempo a uma coisa, a ponto de abrir mão da família, pelo menos goste dela. Mas eu sei que às vezes temos que fazer o que for necessário para por comida na mesa, que fazer o que gosta não é uma opção para alguns. Pelo contexto do filme, achei que ele fosse largar a empresa e seguir a carreira de desenhista, uma coisa que ele fazia e parece que fazia bem, mas no filme isso não acontece. Ainda mais que me deu a impressão de que a mulher dele é pintora.

Essa foi a parte que mais falou comigo do filme. Comecei alguma faculdades, terminei uma e estou finalizando outra, mas ainda não consegui trabalhar com o que gosto: editoração e fotografia. Fazer o que gosta é algo que eu almejo desde que me conheço por gente, mas até agora não aconteceu, então talvez eu tenha que virar o Christopher Robin em algum grau.


3. O visual

Confesso que quando vi o trailer pela primeira vez a parte gráfica dos "ursinhos" me deixou um pouco apreensiva. Pensei que ficaria um pouco estranho, mas no final ficou melhor do que eu esperava. Está bem realista e a interação desses personagens com os humanos ou mundo real, ficou lisa, sem aparentar que eles são falsos. Para falar a verdade, parece uma coisa só de tão bom que ficou. O filme tem um ar de antigo, mesmo se passado acredito que nos anos 1940, até pela guerra, mas os tons conversam com um ar mais vintage e tem os traços de desenho no começo que contribuem para isso. O visual do filme é muito bonito e o Pooh e seus amigos estão fofos no fim das contas, como se fosse um ursinho de pelúcia mesmo.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

© Seja Cult – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in