Destaques

Receba as atualizações do site por email!

24/09/2018

O Homem Perfeito

O Homem Perfeito || Classificação: ★★ (Regular) || Estreia em 27 de setembro de 2018
Texto: Alan David


Diana (Luana Piovani) é uma mulher bem resolvida profissionalmente e financeiramente, que mantém um relacionamento dominador em cima de Gustavo (Marco Luque). Mas quando o cara resolve terminar com ela, Diana começa a sentir coisas que nunca sentiu e ao ver que seu ex está namorando a jovem Mel (Juliana Paiva), ela arma um plano usando um perfil falso de um homem perfeito no facebook para enganar a garota. Diana ainda vai receber a ajuda do músico badboy e machista Carlos Henrique (Sérgio Guizé), com quem trabalha para fazer uma biografia que melhore a sua imagem, que é bem ruim para as pessoas. Comédia dirigida por Marcus Baldini (Uma Quase Dupla) e o elenco conta ainda com Eduardo Sterblitch.

A procura do Homem Perfeito não é bem o ponto que se toca nesse filme. Segundo o diretor e a própria atriz Luana Piovani, é a relação com as redes sociais e como as pessoas se redirecionam hoje em dia para esse tipo de socialização, no qual tentam ao máximo se auto explorar para passar uma imagem de vida bem sucedida e feliz. Expondo-se e fazendo com que se estigmatize que aquilo é a regra para felicidade. A história tenta de alguma forma emplacar esse tipo de situação quando a personagem de Piovani cria esse perfil falso de um homem nessas condições para fazer com que a namorada atual do seu ex comece a se encantar.


Ela tenta jogar um contra o outro e cria um contra ponto entre a vida virtual com a realidade. Vale para os dois lados, tanto homem quanto mulher, passar uma vida feliz através de fotos e textos em uma simples rede social. Pena que tudo se perde um pouco dentro de outros conceitos que o longa vai construindo e destruindo. Diana é bem aquela pessoa arrogante e acha que esta acima de todos, que seu estilo de vida é o ideal. Mas ao longo da história algumas coisas são meio confusas, como ela fala de feminismo apenas de passagem, mas em nenhum momento age assim. Passa o tempo inteiro cometendo atitudes machistas.

Aliás tudo é bem voltado para os homens, pois tanto Gustavo quanto Carlos Henrique são de atitudes bem questionáveis. O primeiro aposta no seu modo de vida para justificar sua falta de atenção e apoio as namoradas que ele teve, e o outro que para ele a mulher é apenas objeto sexual. O pior é a personagem de Luana tendo apego a ambas personalidades, às vezes parece uma sátira a própria situação, mas se contradiz muito com que a personagem quer. Fora que o final é de um clichê enorme, tinha a chance de entregar realmente uma mensagem atual e não por causa de feminismo, e sim por tudo que foi construído durante a trama e como são os personagens homens do filme.


Luana até que está bem, porque o personagem é bem parecido com ela no conceito. Marco Luque é um desastre. Péssimo ator, não sabe nem atuar ou até falar. Seu personagem fora o start inicial para o plot da história, não serve para mais nada. Se não voltasse depois do começo nem iria atrapalhar a trama. Fora que é um personagem que não evolui 1% toda a história. Já Sérgio Guizé consegue um destaque até que razoável. No mais, tudo muito contraditório, fora essa parte das redes sociais nenhuma boa mensagem é passada.

Tem sim umas cenas engraçadas, pois o humor áspero de Diana e Carlos Henrique são de uma química boa. Tem um visual limpo, mas também tem alguns erros de edição. Às vezes parece que ficou faltando um complemento de cena. Uma história bobinha que foi gravada a dois anos e que hoje não funciona tão bem, perde a chance de entregar algo melhor. No fim tem um ar leve, mas nada que impacte ou faça você se lembrar depois da trama, se encaixando em mais uma comédia brasileira descartável. Apenas regular.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

© Seja Cult – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in