Destaques

Receba as atualizações do site por email!

12/09/2018

Camocim

Camocim || Classificação: ★★★ (Bom) || Estreou em 06 de setembro de 2018
Texto: Alan David


Mayara trabalha como chefe de cabo eleitoral do amigo César para que ele vença a disputada de vereador do município de Camocim, Pernambuco. O lugar se divide praticamente em apenas dois partidos e nessa época a cidade fica em polvorosa. Uma disputa de espaço e votos acontece para que um lado seja vencedor. Para ter êxito, Mayara vai tentar angariar votos de forma determinada e expondo suas ideais, mas terá dificuldades em um meio onde os interesses são mesquinhos e existe compra de votos, além das mentiras que aparecem quando se trata de disputa política. Camocim é um documentário de produção nacional com direção de Quentin Delaroche.

Camocim respira e se envolve de corpo e alma em uma época que clama por mudanças. Uma produção beirando o amadorismo, mas de um impacto social grande, pois mesmo nas dificuldades técnicas (falarei mais tarde) a crítica social e como estamos a mercê de promessas e articulações políticas são bem retratadas. Vide o que o Brasil está passando ultimamente, mas não entrarei nesse mérito. A cidade respira política com todos querendo o melhor para o lugar ou para si próprio. só que dá a entender que até o momento nunca tiveram um governante que melhorasse a vida deles. A história segue bem real e com uma tensão grande. Tudo é explorado nesse meio, inclusive pessoas que votam nulo, showmícios, promessas vazias, musiquinhas para gravar o nome do candidato e a revanche entre os partidos rivais. Coisas que já sabíamos, mas que em cidades pequenas isso é amplificado.


O roteiro consegue expressar os sentimentos de como é nessa época do ano, a ilusão de dias melhores, o disparate entre poder aquisitivos de alguns partidos, pessoas que tem boas intenções e outras que simplesmente querem ficar no poder e nisso o documentário funciona muito bem... mensagem entregue e muito o que se pensar. A garota Mayara e o candidato César são os únicos creditados. O segundo é inexpressivo, com todas as dificuldades de conseguir votos e seu jeito de ser, que só piora as coisas. Já Mayara Gomes tem uma atuação interessante, ela consegue prender sua atenção, têm cenas iniciais que mostram uma grande capacidade de expressar suas opiniões políticas e defender seu candidato.

A história tenta mostrar algo familiar, mas uma produção desse porte com pouco dinheiro fica praticamente descartável. São muitos voluntários e você até releva as falas não naturais, as cenas de empurra empurra com pessoas rindo de lado, mas é louvável como se esforçam para conseguir fazer o que o diretor pede. A história narra a jornada de César para ser eleito e o desejo de Mayara de colocar alguém no poder que ajude o povo. Em vários dos seus discursos ela faz você querer muito que Cesar ganhe a eleição. Tem também outra disputa em paralelo para prefeito, e a diferença na entonação e preparação, seja artificial ou não, também chama a atenção. Até uma TV ali ligada falando sobre grandes acontecimentos políticos tem importância pontual. A história se passa em 2016 e o filme consegue entregar um bom ápice, apesar de faltar dados, e também entrega o plot prometido que é a conclusão dessa jornada.


Agora os erros técnicos são berrantes. Você entende não colocar cenas de brigas nas ruas, carreata, pois o orçamento é baixo e muitos voluntários complicaria esse tipo de manuseio, mas falas ao telefone que você não entende nada, sorrisinhos fora de hora, muitas cenas têm barulhos ao fundo tendo praticamente uma pessoa falando e o som supera a voz... Isso precisava refazer, pois se você tem uma ideia boa a se passar, faça direitinho para que todos entendam. Ainda têm cenas onde não acontece nada e com sombras passando embaixo da tela, parece gravado no primeiro take e fica por isso, não dá para relevar.

Isso não tira muito o brilho de um roteiro bem critico, que expõe ideias. Só queria que a parte técnica fosse mais organizada (pelo menos o som, isso fica quase imperdoável, tinham que refazer) para deixar o filme melhor. Ainda assim é um bom longa, que faz refletir sobre a política nacional em um momento em que o assunto está tão em alta.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

© Seja Cult – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in