Destaques

Receba as atualizações do site por email!

26/02/2018

The Sinner

Depois que vi o trailer de The Sinner fiquei intrigada para assistir a minissérie. Ela fala de uma mulher, aparentemente comum, que num dia de passeio com a família assassina um homem que ela nunca viu na vida. Opa, foi isso que me chamou a atenção. Como assim um homem que ela nunca viu? A mulher em questão se chama Cora Tannetti (Jessica Biel) e vai presa após o assassinato. O detetive Harry Ambrose (Bill Pullman) começa a investigação, também intrigado com essa falta de conexão. Só que lógico que deve ter alguma coisa aí e os oito episódios revelam o que está por trás desse crime.


A vida de Cora acaba sendo destrinchada e a mulher comum, tranquila e mãe maravilhosa vai se desintegrando pelos segredos do passado, coisas que ela escondeu do marido e família e que com a investigação são reveladas. Outros crimes acabam sendo atrelados ao de Cora e a sentença dela será a morte. Com o andamento da investigação, Ambrose descobre que uma parte do que Cora disse pode ser verdade, mas a mente dela é uma enigma, já que ela não se lembra de algumas coisas. Ele chega ao veredito de que alguém, por algum motivo, pode ter apagado propositalmente uma parte da vida de Cora.

A série acaba prendendo porque a gente fica curiosa para saber qual a relação da Cora com o homem morto. Em nenhum momento me passou pela cabeça que ela não conhecia o cara, eu sabia que tinha alguma coisa ali e assisti para saber o que era. Quando a memória dela vai voltando, o assassinato do começo se perde. Outros crimes vão sendo atrelados ao dela e é ai que a série cai para mim, principalmente nos episódios do meio. Uma cena vai pulando para a outra e vai deixando de fazer sentido. A ideia da série é que o primeiro crime levasse a outros escondidos na falta de memória da Cora, até que tudo se encaixasse numa situação só e fosse revelado no final.


Nessa de investigar o passado da Cora, descobrimos que a família dela tem problemas e o que mais me deixou chocada foi a relação dela com a irmã mais nova. Essa irmã é doente e não sai de casa, então ela vive através da Cora. As duas são grudadas e a família muito religiosa, mas a Cora conhece um homem e começa a namorar com ele. A irmã não aceita muito bem e faz chantagem com a Cora, dizendo que a vida dela é perfeita enquanto a sua é um peso. Isso de viver através da Cora é levado bem ao pé da letra e sério, não é uma relação normal. As relações pessoais dessa família são conturbadas e acabam afetando os filhos.

Nos últimos capítulos o crime é revelado e não existe uma continuação. Porém, durante a minissérie inteira a gente percebe que tem algo de, no mínimo, estranho no detetive Ambrose e até uma das últimas cenas remetem a ele e seus dedos marcados. Se eles quisessem fazer uma continuação focada nele daria sim. O comportamento pessoal dele atiça a curiosidade e se bem feito daria uma boa série. Outra coisa importante, a minissérie é baseada no livro A Pecadora de Petra Hammesfahr publicado aqui no Brasil em 2011 pela Novo Século. Não foi uma série maravilhosa, mas me prendeu. Ela se perde um pouco na junção dos fatos, só que a curiosidade fala mais alto e assisti até o fim.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

últimas resenhas e críticas

© Seja Cult – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in