Biblioteca Azul lança nova edição de Os diários de Sylvia Plath

04/12/2017

Em dezembro a Biblioteca Azul está com três relançamentos, Os diários de Sylvia Plath, Livro das mil e uma noites – Vol1 e Livro das mil e uma noites - Vol2. São edições que ganharam novas capas e no caso das Mil e uma noites, novas traduções.

Os diários de Sylvia Plath Sylvia Plath

“É impossível ‘capturar a vida’ se a gente não mantém diários.”

Nesta nova edição, a Biblioteca Azul traz os diários de uma das poetas mais aclamadas do século XX, traduzidos dos manuscritos originais do Smith College, além de um caderno de fotos com imagens de vários períodos da vida da autora.

Sylvia Plath começou a escrever memórias e diários aos onze anos, o que fez até sua morte, aos trinta. A narrativa central desta edição abrange oito diários de sua vida adulta, de 1950 a 1962, dispostos separadamente, em ordem cronológica, além de quinze fragmentos de diários e cadernos de anotações, escritos entre 1951 e 1962, organizados também cronologicamente como apêndices.

“Minha vida, sinto, não será vivida até que haja livros e histórias que a revivam perpetuamente no tempo”, disse Plath. Os relatos de seus anos como universitária, no Smith College, em Massachusetts, e no Newnham College, em Cambridge, o casamento com Ted Hughes e dois anos de sua vida como professora e escritora na Nova Inglaterra, além de rico material para os leitores interessados na vida da poeta, lançam uma nova luz à vasta produção poética e em prosa da autora, amplamente autobiográfica.


 Livro das mil e uma noites: volume 1 - Nova edição

Nova edição, revista e atualizada da obra vencedora dos prêmios Paulo Rónai (Fundação Biblioteca Nacional), Jabuti de Melhor Tradução e APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Primeira tradução integral e direta do árabe para o português, o 'Livro das mil e uma noites' retorna às livrarias com novo projeto gráfico, numa edição revista e atualizada pelo tradutor Mamede Mustafa Jarouche.

Vencedor dos prêmios APCA, Paulo Rónai e Jabuti de melhor tradução, o 'Livro das mil e uma noites' é uma obra universal que atravessou séculos fazendo parte da cultura do Oriente e do Ocidente. Mais do que um rico repertório de narrativas fantásticas, é também uma homenagem à mulher e um reconhecimento de sua inteligência. Sua heroína, a narradora Šahräzäd, é um símbolo da infinita capacidade feminina de contornar situações críticas e de salvar o mundo da ruína.

'[...] Antes da primeira noite, o leitor sabe que o rei Šähriyär foi traído por sua mulher, e que esta traição pode ceifar a vida de todas as mulheres do reino. Mas Šahräzäd decide arriscar sua própria pele a fim de salvar as outras mulheres. Então, começa a contar histórias ao rei. Em cada amanhecer o relato é interrompido num momento de suspense, à espera da próxima noite. Assim, o leitor se depara com tramas ardilosas e escabrosas, cheias de fantasia e surpresa, numa geografia mutável e exuberante como num sonho ou pesadelo. O inverossímil e o inexplicável participam dessas intrigas, que a imaginação da narradora multiplica e expande até a última noite, quando se casa com o rei e salva as mulheres da degola. É esse “repertório de maravilhas” que o leitor vai encontrar nas fábulas do Livro das mil e uma noites.' - Milton Hatoum


Livro das mil e uma noites: volume 2 - Nova edição

Nova edição, revista e atualizada da obra vencedora dos prêmios Paulo Rónai (Fundação Biblioteca Nacional), Jabuti de Melhor Tradução e APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Primeira tradução integral e direta do árabe para o português, o 'Livro das mil e uma noites' retorna às livrarias com novo projeto gráfico, numa edição revista e atualizada pelo tradutor Mamede Mustafa Jarouche.

Vencedor dos prêmios APCA, Paulo Rónai e Jabuti de melhor tradução, o 'Livro das mil e uma noites' é uma obra universal que atravessou séculos fazendo parte da cultura do Oriente e do Ocidente. Mais do que um rico repertório de narrativas fantásticas, é também uma homenagem à mulher e um reconhecimento de sua inteligência. Sua heroína, a narradora Šahräzäd, é um símbolo da infinita capacidade feminina de contornar situações críticas e de salvar o mundo da ruína.

'[...]O Livro das mil e uma noites para os brasileiros começa aqui. Šahrazäd ganhou a vida pela palavra. Cada narrativa significava o adiamento da morte. Quem conta, quem escreve não quer morrer. A palavra nos salva, nos torna imortais, porque, transformada em narrativa, permanece além de nós até a eternidade. Acima de tudo pensemos que o Livro das mil e uma noites é puro prazer, divertimento, humor, sensualidade, ação, aventura, adrenalina, imaginação exacerbada. Lição de como escrever, prender a atenção, manter o leitor atento e desperto, empolgado, ansioso pela espera da continuação. Coisa de um bando de gênios. Não gênios da garrafa, e sim da escrita.' - Ignácio de Loyola Brandão

Manual do bom divórcio Diana Poppe 

Pode um livro sobre separação ser fundamentalmente um livro sobre o amor? Manual do bom divórcio prova que sim. Apesar de separação ser um tema que em geral evoca sentimentos de dor e tristeza, esse é um guia extremamente amoroso e otimista, dedicado não só a quem está pensando em se divorciar ou está no meio do turbilhão, mas também a quem está prestes a se casar e deseja saber quais são as opções legais disponíveis para evitar possíveis problemas no futuro.

Fugindo de termos jurídicos que soam estrangeiros para quem não é do ramo, Manual do bom divórcio usa uma linguagem simples e objetiva, sempre levando em conta que, além da parte jurídica e burocrática, há uma família envolvida em todo o processo, com suas personalidades, anseios, frustrações e esperanças.

A autora, Diana Poppe, é uma das maiores especialistas em Direito de Família do Brasil, responsável por centenas de divórcios que se transformaram em finais felizes. Ela parte do princípio de que toda relação possui um patrimônio que não pode ser destruído nem na separação, nem na tentativa de mantê-la: a felicidade dos filhos, a história vivida, tudo aquilo que se construiu junto. A dor da derrota, a ameaça da solidão, o amargor do sentimento de traição (nem sempre real, nem sempre física) não podem ser ignorados, mas não devem ser transformados em mais sofrimento e perdas e, sim, em um grande aprendizado.

 Diana usa exemplos de casos que acompanhou ao longo de seus anos de prática como advogada de família e dá dicas de filmes, músicas, livros e poemas que podem ajudar quem está enfrentando uma separação. O leitor também encontrará um guia para avaliar se o divórcio é mesmo o melhor caminho para determinadas relações e que opções legais os novos casais tem à sua disposição para legitimar sua união. Tudo isso com o aconchego e o cuidado de uma profissional que aprendeu a ver o ser humano por trás de contratos, acordos e litígios muitas vezes desnecessários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.