Policia Federal: A lei é para todos || Portal Crítico

07/09/2017

Policia Federal: A lei é para todos || Classificação: ★★ (Regular)
Estreia em 07 de setembro de 2017 || Texto: Murilo Maximiano || Revisão: Kamila Wozniak


É triste ver tanto material excelente sendo desperdiçado e o mais triste ainda quando se trata de um filme nacional. E não é pela clara ideologia política por trás do filme, pelas atuações sem inspiração ou o maniqueísmo exacerbado, os maiores problemas do filme residem no próprio processo cinematográfico: que é o roteiro e direção ruins! 2013. Durante a realização da Operação Bidone, a Polícia Federal apreende no interior um caminhão carregado de palmito que trazia escondido 697 kg de cocaína.

A investigação recai na equipe montada por Ivan Romano (Antonio Calloni), cedida em Curitiba e composta também por Beatriz (Flávia Alessandra), Júlio (Bruce Gomlevsky) e Ítalo (Rainer Cadete). As conexões do tráfico os levam ao doleiro Alberto Youssef (Roberto Birindelli) e, posteriormente, ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa (Roney Facchini), que revela uma imensa estrutura envolvendo construtoras e o governo, com forma de desviar dinheiro público. À medida que a investigação avança, o grupo liderado por Ivan se aproxima cada vez mais de alguns dos políticos mais influentes do país.

Antes de mais nada é preciso ressaltar, o filme tem viés político! Ele tem uma agenda ideológica e pretende cumpri-la. Por si só não é algo completamente ruim, o problema está na forma de como é produzido. Não há sutilezas na hora de vilanizar um lado – convenhamos que nem precisava – e santificar o outro. Os policiais são trabalhadores honestos e sem falhas, enquanto faltava apenas chifres no Lula de Ary Fontoura. Sem entrar no mérito ideológico ou discutir a moral das pessoas inspiradas nos personagens, mas a menos que se esteja fazendo uma obra com o intuito poético de ilustrar as virtudes – na qual Senhor dos Anéis, tem tipo de maniqueísmo escrachado e mostra claramente o mal desenvolvimento dos seus personagens.


O roteiro e direção fracos, é o grande “diabo” por trás de um argumento e material incrível. A verdade é que o filme falha no momento em não conseguir definir o seu gênero. Não é um suspense político e nem um Thriller policial, são apenas cenas com explicações excessivas de policiais descobrindo coisas e prendendo pessoas. E veja bem, não disse investigando, porque aqui só existem policiais tropeçando nos fatos e realmente a produção não sabia desenvolver uma narrativa investigativa. Existem outros problemas menores, como a música de tensão colocada em cenas que não evocam a necessidade para tal, os planos e cortes novelescos que deixam a sensação de estarmos vendo uma produção para TV, a atuação mediana e sem inspiração de atores que sabemos conseguem muito mais que aquilo.

Engraçado como um roteiro mal formulado nos apresenta personagens sem carisma e vilões que pouco nos importaríamos, se não já conhecêssemos nas novelas. E convenhamos, quando se precisa de uma narração para amarrar a trama, fica claro que há algo de errado. Polícia Federal: A Lei é para Todos cai no limbo de filmes medíocres brasileiros que desperdiçaram verba, argumentos e muito potencial. Um filme televisivo travestido de produção cinematográfica e com um quê de documentário de segunda da Discovery. Triste!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.