Death Note: Iluminando um Novo Mundo

28/07/2017

Death Note: Iluminando um Novo Mundo || Estreia dia 02 de agosto de 2017
Texto: Alessandra Tapias (blog Tô pensando em Ler) e Helen Nice


Diferente da maioria das pessoas que conheço, eu, Alessandra, não li o mangá e nem assisti o anime, mas sei quase tudo que preciso saber sobre a história para não ficar perdida no cinema e nem soltar spoiler para quem não leu e nem assistiu. Death Note é uma série de mangá escrita por Tsugumi Ohba. Os capítulos do mangá viraram uma série entre 2003 e 2006 na revista semanal japonesa Weekly Shonen. No Brasil a série foi publicada pela JBC.

Este filme é a versão japonesa bem diferente da série que irá estrear na Netflix. Death Note – Light up the world – é um filme japonês de suspense, realizado por Shinsuke Sato e escrito por Mano Katsunari.Estreou no Japão dia 29 de outubro de 2016 e chegará no Brasil dia 02 de agosto de 2017. A convite do Seja Cult fomos conferir o filme. Outra coisa que é necessária saber, é que este filme é uma história bem pra lá do futuro do que rola no mangá e no anime. Desculpem-me os fãs de carteirinha, aqueles que conhecem a saga, nomes e tals na ponta da língua, mas eu não sabia nada de nada. Só a história, claro! E fui totalmente aberta a conhecer algo novo. E gostei!


Sabendo disso, prepare-se, alguns dos personagens que você conhece já estão mortos no filme, claro, é no futuro, nenhum humano é eterno; mas sempre tem aquele que diz “Nossa, mas isso é spoiler!”. Desculpe, mas nem os personagens vivem pra sempre. Não vou citar quais são os mortos, porque é legal que você fique aí na curiosidade de quem morreu e como hahaha. Só falaremos sobre a trama, acho que é mais legal assim.

Na história original, um estudante encontra um caderno sobrenatural que pode matar pessoas se os nomes forem escritos nele enquanto o portador visualizar mentalmente o rosto de quem quer assassinar. Ele tenta eliminar todos os criminosos, mas um famoso detetive (L) atrapalha seus planos de criar um mundo sem maldade. Aqui a história se passa num tempo mais adiante, mas segue a mesma linha. Tudo muito bem feito, com trechos que remetem ao mangá. Diante dessa explicação, eu vou ficar quietinha por enquanto... Novamente o dito caderno cai do céu e nele há instruções de como usá-lo. O nome que for escrito morrerá de ataque cardíaco, caso não seja especificada a causa da morte em suas páginas.


O caderno pertence a Ryuk, um Shinigami que jogou na Terra. Quem o encontrou, mesmo descrente, escreve um nome no caderno; e fica assustado quando vê que o homem descrito morreu bem na sua frente. E assim ele começa a escrever nomes atrás de nomes. Não demora nada para as autoridades perceberem as mortes e ligarem os fatos à chacina ocorrida tempos antes. Formam então uma Força Tarefa desta vez com o policial conhecido como Mishima tentando encontrar o assassino (Kira – em referência ao inglês Killer). Neste filme os Shinigamis capricharam e ao invés de um, jogaram cinco outros Death Notes na Terra, além do primeiro já guardado pela polícia em um cofre a sete chaves.

Usando de grande criatividade, o universo original é utilizado para ampliar o universo do mangá. A trama é boa e para alguém como eu que não conhecia as histórias anteriores foi bem possível ligar os acontecimentos e entender tudo. Gostei bastante dos Shinigamis com efeitos especiais bem legais, o que deixou o filme muito melhor. Você até se apega aos Deuses da Morte e chega a ficar triste em uma certa cena (rsrsrs, não vou contar, assistam!!!). Essa Deusa da Morte que a Helen falou é linda. Apaixonei. E ela é cheia de vida e amor, contrariando seu nome. Resumindo... na opinião de uma leiga no quesito mangá, Death Note – Iluminando Um Novo Mundo vale o ingresso.

Na opinião de quem conhece um pouco, o filme é bom. Não tenho costume de assistir filmes japoneses, sempre acho que eles gritam demais, rsrs, mas esse é ótimo! Detalhe especial para o ator da foto acima que ganhou meu coração. Gostei e fiquei morrendo de vontade de ler o Mangá.


Um comentário:

Tecnologia do Blogger.