Tudo e todas as coisas || Nicola Yoon

14/06/2017


Antes de começar a falar sobre o livro, só para avisar que neste post tem ainda a resenha que fiz de Tudo e todas as coisas em vídeo. É a edição antiga do livro, então eu achei melhor falar sobre essa nova edição em formato de texto. No post anterior tem a crítica do filme, que estreia dia 15, e ainda deve sair um outro post sobre o filme. Aqui no Seja Cult é overdose de Tudo e todas as coisas!! Bom, o livro é narrado sob a perspectiva da Maddy, uma menina de uns 18 anos que tem uma doença que a torna alérgica ao mundo. Ele vive em uma casa com filtros de ar e não sai nunca de lá. A sua convivência com outros humanos se resume a mãe e a enfermeira.

Até que um dia novos vizinhos se mudam e entre os membros da família está Olly, um garoto que tem mais ou menos a idade da Maddy. Eles começam a conversar por mensagens e descobrem que tem coisas em comum e que um deixa o mundo do outro mais aceitável. Se a Maddy tem que conviver com a doença que a impede de viver, Olly sobre abuso doméstico. A grande questão nesse livro, pelo menos até mais da metade dele, é como esses dois vão conseguir ter um relacionamento se ele não podem se tocar.

Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode deflagrar um ataque de doenças. Pode ser algum produto químico no líquido usado para limpar uma mesa que eu acabei de tocar. Pode ser o perfume de alguém. Pode ser o tempero exótico de algo que eu comi. Pode ser uma dessas coisas, ou todas elas, ou nenhuma, ou alguma outra completamente diferente. 


A Maddy e o Olly não poderiam ser mais gracinha juntos. Ela é tímida, insegura e muito ingênua. Essa parte da ingenuidade está no livro inteiro, porque é ela quem narra. Pensem em como seria uma vida sem sair de casa, em como tudo seria novo e tomaria proporções maiores do que realmente são. A Maddy, às vezes, narra como se fosse uma criança porque no fundo ela está experimentando as coisas pela primeira vez. O primeiro toque, a primeira paixão, a sensação de que ela quer mais do que realmente tem. O Olly traz a realidade da doença, o que ela está perdendo. Então o livro tem partes inocentes, dolorosas, felizes e reflexivas.

O Olly é um personagem que a gente só vê pelos olhos da Maddy. Como ela está envolvida com ele, acaba vendo tudo um pouco mais fantasioso do que realmente é. Mas a parte dos abusos é bastante triste e mesmo assim ele traz uma motivação de não desistir, de seguir com a vida e tentando proteger a mãe e a irmã do pai. Ele também tem uma energia contagiante, a Maddy às vezes tem dificuldade em acompanhá-lo, porque ele está sempre em movimento, questionando as coisas. O que ele sofre em casa não apaga a sua luz.

Se a minha vida fosse um livro e eu o lesse de trás para frente, nada mudaria. Hoje é o mesmo que ontem. Amanhã será o mesmo que hoje. No Livro de Maddy, todos os capítulos seriam o mesmo. Até Olly aparecer. 


O relacionamento dos dois evolui em algum momento. Eles passam a se encontrar e o inevitável acontece, eles se apaixonam. Mas a doença de Maddy não pode ser deixada de lado e cobra o seu preço mais para o fim do livro. Muitas pessoas reclamam do final da estória, eu particularmente gostei, achei um final não clichê. Porém, entendo a dificuldade em aceitar. O livro é maravilhoso, foi uma releitura gostosa e rápida. A narrativa mistura ilustrações com prontuários, brinca com estilos de texto e torna a leitura mais dinâmica. Amei conhecer a Maddy e Olly, torci por eles e no fim fiquei feliz e com um gostinho de quero mais.

A edição da Arqueiro está com a capa do filme, mas a parte interna continua a mesma, com ilustrações feitas pelo marido da autora. O que tem de diferente, além da capa, são as fotos da adaptação. Elas estão no meio do livro e num papel especial. Recomendo que quem for ler pela primeira vez, veja as fotos depois porque tem imagens ali que são spoiler, inclusive do final. Vale ressaltar também, que o livro O sol também é uma estrela, da Nicola, será adaptado pelos mesmos produtores que fizeram Tudo e todas as coisas e eu estou muito empolgada com isso.

Como poderei viver o resto da minha vida nesta bolsa agora que sei o que estou perdendo? 

www.sejacult.com.brTudo e todas as coisas
Nicola Yoon
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 


*Resenha em vídeo*

Para quem quiser conferir meus comentários sobre o livro em vídeo, segue a resenha. Nela também comento sobre o primeiro trailer, a reação que tive.


*Trailer*

A adaptação de Tudo e todas as coisas estreia amanhã e a crítica que o pessoal do Portal Crítico fez já está no site. A minha intenção é ver o filme sexta, 16, e gravar uma crítica resenha.

Um comentário:

  1. Tô correndo contra o tempo p ler o livro pra só então ir ao cinema!
    Tô bem curiosa e suas resenhas sempre me deixam mais ansiosa ainda
    heheheehehehehehehe

    Bjoooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.