O Círculo

23/06/2017

O Círculo || Estreou dia 22 de junho de 2017
Texto: Alessandra Tapias (Tô pensando em Ler)


Fui convidada pela Cia das Letras para conferir o pré-lançamento do filme O círculo, que é uma adaptação do livro homônimo. Não li o livro e, portanto não sabia quase nada sobre a história, também não procurei saber para não correr o risco de pegar algum spoiler. A única coisa que me disseram é que se tratava de uma distopia. Sinceramente, pode até ser que no livro isso pareça mais com distopia, mas não encontrei no filme. Pareceu mais que a coisa toda estava caminhando para um mundo novo, mas que ainda está no nosso presente mesmo.

Vou explicar: O Circulo trata-se de uma rede online onde todos se comunicam o tempo todo e tudo está ali à disposição sempre. Uma rede criada para auxiliar todas as pessoas. Por exemplo, se alguém sofresse um acidente, em segundos uma ambulância estaria no lugar solicitado. Onde houvesse um assalto, policiais pudessem chegar antes que algum mal fosse feito a vitima. Enfim, claro que não ficou nisso. São três sócios que idealizaram e fizeram acontecer essa empresa. Um deles percebe o mal que sua criação pode fazer, mas os outros dois só veem o quanto podem lucrar com isso.


No Circulo o usuário é capaz de tudo, até votar; o que torna possível controlar até o rumo que o governo toma. Mae, estrelado por Emma Watson, vê a salvação da sua vida profissional e pessoal na empresa. Candidata-se para o trabalho com o intuito de melhorar sua vida e a do seu pai, que sofre de esclerose múltipla. Ela se destaca no trabalho logo no início e o sócio/líder/diretor (Tom Hanks) enxerga nela uma ponte entre o Círculo e os usuários, por isso, Mae é a primeira usuária a se tornar “transparente”, ou seja, 24 horas online para todos. Mae não vê o mal que isso pode causar para ela, para sua família e para todos.

O Círculo em muitos momentos me fez lembrar o Facebook misturado com instagram, watsapp, linkedin... é tudo junto com uma dose grande de ambição e falta de noção. Um filme que faz pensar, mas acredito que o livro tenha muito mais do que foi apresentado na tela. É como se fosse uma história já contada, um dejavu. Tenho certeza que o livro tem muito mais. Dave Eggers é o autor do livro e trabalhou no roteiro do filme, por isso pode ter parecido tão fácil. É como se ele dissesse: “Olha como o filme é bom, agora leiam o livro”. Aliás, ler o livro é uma coisa que farei com certeza assim que tiver a oportunidade.

Gostei do filme e realmente fiquei muito curiosa sobre ver a escrita. Neste caso eu prefiro assistir ao livro, rsrs. Emma continua linda-maravilhosa e Tom, como sempre incrível. Impossível não amá-los. Esperava mais de John Boyega, queria vê-lo mais no filme, mas não teve isso. Uma pena. Gosto dele também. Em suma, o filme é bom... Não é incrível, mas vale a pena e a pipoca.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.