Mil beijos de garoto || Tillie Cole

22/05/2017


Eu fujo se sick-lit como muitos fogem de terror ou livros eróticos. Não que os livros que tenham pessoas doentes sejam ruins, mas porque eu me envolvo muito com as estórias e me sinto fisicamente mal. Quando eu fiquei sabendo de Mil beijos de garoto, ainda com a repercussão lá fora, por alguma razão eu não me toquei que era sick-lit. Assim que ele chegou por aqui e as pessoas começaram a comentar que choravam muito, eu pensei que era porque o enredo fosse bom e emocionante, não me passou pela cabeça que um dos personagens morresse e isso partiu o meu coração.

Mil beijos de garoto fala sobre o casal Rune e Poppy. Eles se conheceram quando tinham cinco anos e a medida que cresceram, se apaixonaram. O romance ganha um tempero especial com o pote de beijos de Poppy, que ela ganha da avó assim que a mesma falece. Ela deve preencher os corações dentro do ponte com os beijos mais incríveis que ela receber e Rune passa a ser o garoto que vai preencher os mil beijos do pote. Porém, com quinze anos, Rune tem que voltar à Noruega e passa dois anos longe de Poppy. No começo eles até trocam mensagens, mas ela some de repente e ele quer saber o que aconteceu.

Os dois narram o livro e são muito diferentes um do outro. Enquanto Poppy é delicadeza, felicidade e carisma, Rune é rústico e introspectivo. Ela faz o melhor dele florescer, é como se sem ela ele não tivesse motivação nem para sair da cama de manhã. Ambos possuem veias artísticas e isso é o que eles tem em comum, Rune é fotografo e Poppy é violonista. Por mais diferentes que eles sejam, o amor faz deles perfeitos um para o outro e isso fica claro desde o primeiro encontro.

Meus beijos são todos seus, Rune. Ninguém jamais beijará meus lábio além de você.


No fim do livro tem os agradecimentos da autora e lá ela classifica Mil beijos de garoto como uma fábula, algo que eu achei interessante. Esse gênero literário se classifica como o aprendizado de um personagem, a famosa lição de moral no final. Quando eu terminei de ler percebi que é exatamente isso que acontece. Um dos personagens aprende mais com o outro... os dois amadurecem, mas o que fica passa a dar valor a vida que tem, as possibilidades e aventuras. O aprendizado no final acontece, como em uma fábula. 

O livro tem uma escrita boa, que prende, mas como eu chorei muito lendo, não li ele todo de uma vez. A fluidez faz você pensar que a estória se passa em poucos dias, mas na verdade tem períodos de tempo longos para que os mil beijos sejam alcançados. Por falar nisso, achei a ideia ótima. O titulo não fazia muito sentido para mim até ler o começo e perceber o que a autora queria fazer, o amor que ela queria construir. É mais bonito quando você fica sabendo da monogamia deles e o que isso significa.

O amor de Poppy e Rune me fez pensar em como deve ser difícil perder a pessoa que você tem certeza que foi feita para você. Como a vida segue depois disso? Todas as coisas que você fazia junto e agora tem que fazer só. Os planos e sonhos, as realizações não compartilhadas e a sensação de viver pela metade. Para quem se relaciona com quem ficou é injusto se a entrega não é completa e isso foi solucionado pela autora com a questão da monogamia, que quem ler vai entender melhor o que quero dizer.

Acho que os corações batem num ritmo, como uma música. Acho que, como música, somos atraídos por uma melodia em particular. Ouvi a canção do seu coração, e o seu ouviu a do meu.


Eu favoritei o livro não porque ele me emocionou e fez chorar, mas por causa das lições de amor que ele passa. A autora conseguiu me passar a imagem de alma gêmea, amor verdadeiro e único. Passei a imaginar a perfeição que seria poder ser amada com essa intensidade e certeza. Os dois não titubeiam em nenhum momento, nem com a separação, nem com a doença. Na segunda situação eles se aproximam até mais, se é que isso é possível. Não consigo parar de imaginar como seria ter um homem que me conhecesse tão profundamente para me decifrar nas expressões e no olhar.

O livro é muito bonito e profundo, cheio de lições, amadurecimento e amor. As cenas são muito emocionantes; a final das lanternas eu consegui visualizar perfeitamente e foi linda. A cerejeira deles e os momentos que eles passaram ali ficou no meu coração. A lição das pegadas, quando eu li também fiquei bastante tocada, então dá para perceber que a autora teve a intenção de escrever um livro para refletir e emocionar e ela conseguiu.

Leiam; é de partir o coração, mas também acalenta se você se imagina vivendo um amor desses. Chorei muito e vou guardar Mil beijos de garoto como uma leitura incrível, para sempre e sempre. Até o infinito. Para finalizar, queria marcar o livro inteiro e acho que as gotinhas em verniz que fazem parte da capa são a representação das lágrimas dos leitores ao lerem esse estória. Se for isso mesmo parabéns, acertaram em cheio. Inclusive deixei mais marcas na parte de dentro também.

Por que é necessário o fim de uma vida para se aprender a apreciar cada dia? Por que precisamos esperar até ficar sem tempo para começar a conquistar tudo o que sonhamos, quando um dia tínhamos todo o tempo do mundo?

www.sejacult.com.brMil Beijos de Garoto
Tillie Cole
Editora Planeta: Twitter/Facebook
 
Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 

Um comentário:

  1. Olá!
    Nossa estou querendo ler muito esse livro. Com certeza ele passa lições de amor que todos precisamos ler. Adorei a resenha, parabéns!!
    Beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.