Pensei que fosse verdade || Huntley Fitzpatrick

24/02/2017


O primeiro livro da Huntley Fitzpatrick, Minha vida mora ao lado, que inclusive foi resenhado aqui no site pela Naiara, é muito bem comentando pelos leitores. Então, quando o segundo foi lançado pensei em ler esse para sentir a escrita da autora e personagens e depois ler o outro. Mas gente, que grande decepção eu tive com esse livro. Ele conta a estória da Gwen, uma menina na faixa dos 18 anos que sempre trabalhou para ajudar os pais. A sua vida não é fácil ou como a das outras meninas, ela tem responsabilidades de gente grande e nem sempre lida bem com isso.

O enredo se passa na ilha que a Gwen mora e vai narrar os acontecimentos de um verão; seus envolvimentos com garotos ricos que passam férias na ilha, o primo que namora desde muito cedo com a mesma garota, o irmão que tem uma doença que ninguém sabe qual é, entre outras situações que envolvem personagens ligados a ela. Quem narra o livro é a Gwen e nem sempre ela aceita a vida que tem. Em alguns momentos ela só queria ser como qualquer menina, mas na maior parte do tempo está trabalhando ou brigando com Cass. Ele vai ser o principal interesse amoroso dela no livro, mas algo aconteceu. Não fica claro no começo o que seria e só descobrimos ao longo da leitura. Em um dos verões passado, eles tiveram uma briga feia e agora Cass quer resolver as coisas entre eles.

Deixe que as histórias dos outros sejam contadas por eles mesmos.


Começando a falar das questões estruturais do livro, que eu acho que quem ler vai concordar comigo. A leitura é arrastada; o enredo é extenso demais para o tipo de estória que a autora tem. Facilmente o livro poderia ter 250 pgs ao invés de mais de 330. Eu comecei e parei esse livro umas duas vezes, porque o final estava demorando a chegar. E olha que esse tanto de página nem acrescenta muita coisa para o enredo. Dai quando eu cheguei ao fim do livro a autora usou quatro páginas de epilogo para fechar a estória de vários personagens. Momento "Não acredito!!!".

O final foi corrido e não ficou legal. Nunca vou entender um autor que coloca tanto detalhe no começo e meio e depois corre para amarrar tudo no fim. Para entendermos o que aconteceu no passado de Gwen e Cass, são utilizados flasbacks. Em alguns momentos voltamos ao passado e temos pequenos vislumbres da noite que deu errado, até chegar mais para o fim e saber o que de fato aconteceu. O grande problema é que essas voltas não são marcadas, elas às vezes estão no meio do capítulo ou o tempo muda de um paragrafo para outro. Isso me confundiu em muitos momentos, se tivesse pelo menos em itálico para assinalar, mas não tem qualquer marcação.

Que o fato de você sempre ter tido uma coisa não quer dizer que sempre vai tê-la. Que o que você sempre quis nem sempre é o que vai querer. 


Agora comentando as questões que eu não gostei que dependem do ponto de vista, uns vão concordar e outros não. O casal protagonista erra o tempo todo e se perdoa, eles não aprendem e tentam crescer juntos. Eles erram, erram, erram... e isso me irritou profundamente. O Cass tem um jeito bonzinho, mas a forma como ele errou com a Gwen foi bem pesado e ela perdoa ele. Eu não senti que esse casal ficaria junto para sempre, sabe? Mesmo novos, eles não aprenderam com os erros. Tem dois personagens secundários, Nic e Viv, que dariam um ótimo livro. A autora deu um final corrido para eles, como deu para todo mundo, e eu queria saber mais sobre o depois de uma reviravolta que acontece no final.

Eu sei que tem muita coisa que eu não gostei nesse livro, mas eu dei três estrelas para ele no skoob pelos seguintes motivos. O Emory, irmão especial da Gwen, me encantou. Ele aprendendo a nadar foi muito fofo e eu queria ter sabido qual é a doença dele afinal, que nem isso a autora revelou. O Nic, primo da Gwen e de quem eu comentei no paragrafo anterior, merecia mais do que o final que ganhou. Acho que a autora poderia fazer um livro spin-off dele e também comentar sobre a Viv.

A ideia desse livro não é ruim, falar sobre a vida difícil de uma menina que em muitos momentos deixa de ser adolescente para lidar com problemas adultos, só que como tudo isso foi fundamentado e conduzido é que não me agradou. Mas eu não penso em não ler mais nada da autora, quero muito ler Minha vida mora ao lado e espero que a leitura deste seja melhor do que Pensei que fosse verdade.

A vida é mais do que aquilo de que você tem medo…
 
www.sejacult.com.brPensei que fosse verdade
Huntley Fitzpatrick
Editora Valentina: Twitter/Facebook

Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 

3 comentários:

  1. Oi Dê, tudo bem? Eu ainda não li o primeiro, mas gosto do enredo! Que pena que o casal protagonista não convence muito, mas acontece heheehhee Adorei as fotos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Olá, Denise.
    Eu não leria esse livro só pela capa que não me atrai hehe. E agora lendo sua resenha acho que não vou ler mesmo. Quando eu era mais nova eu lia qualquer coisa, mas depois de uma certa idade eu não tenho mais paciência para livros assim. Acho que não iria com a cara desse casal. Mesmo não sabendo o que ele aprontou já não gostei hehe. Definitivamente eu não lerei.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise!
    Leitura arrastada com final corrido, ninguém merece. A história até parece interessante, mas esses dois pontos me tiraram a vontade de ler o livro.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.