Novembro, 9 || Colleen Hoover

20/01/2017


Quando eu li a sinopse de Novembro, 9 logo me veio a cabeça o livro Um dia. Acho que sempre que uma data for significativa em um livro eu vou lembrar da estória do David Nicholls. As semelhanças começam e terminam na data. O livro de Colleen Hoover nos apresenta os personagens Fallon e Ben, que se conhecem no dia que ela está de mudança para Nova York. Eles passam um dia maravilhoso e combinam que a cada 9 de novembro vão se reencontrar. Eles se bloqueiam nas redes sociais, não trocam telefones ou endereço, então a expectativa para o próximo dia 9 sempre está permeada com a possibilidade de um não aparecer.

No meio da expectiva dos dois se encontrarem existe um livro, o livro que Ben, escritor, vai escrever sobre o envolvimento dos dois. E no meio disso também, existe uma Fallon insegura sobre a sua carreira, que antes era de atriz, mas que por causa de um incêndio foi deixada de lado. Nesse acidente, uma parte do rosto e corpo dela foram queimados e vocês sabem, a indústria do entretenimento vive da beleza e ela sente que não faz mais parte desse mundo. Um acaba ajudando o outro a superar seus medos: Ben a finalmente crescer como escritor e Fallon a descobrir novas oportunidades dentro da carreira de atriz. Tudo muito lindo né? Mas Ben esconde algo que pode mudar o rumo desse conto de fadas.

O livro alterna as visões de Fallon e Ben do dia 9. A Fallon será a pessoa que mais narra e é a que tem a estória mais tocante. Aos 16 anos ela sofreu um acidente e teve uma parte do corpo queimada. Essa questão do incêndio é importante, porque determina a vida dos dois protagonistas. A Fallon não perdoa o pai por não se lembrar que ela estava em casa no momento do acidente, ele se esquece dela na verdade. Ressentimento, insegurança, falta de perspectiva e baixa autoestima são alguns dos sentimentos que marcam a Fallon.

Uma das coisas que sempre tento lembrar a mim mesma é que toso mundo tem cicatrizes. Muita gente tem umas ainda piores do que as minhas. A única diferença é que as minhas são visíveis e a da maioria das pessoas, não.


O Ben já é um pouco mais complicado que a Fallon. Desde o começo a gente percebe que ele esconde algo e ao longo do livro existem pistas, mas isso só é revelado no final. Ele é um cara muito amorzinho. É carinhoso, sóbrio, diferente dos garotos da idade dele, pelo menos no começo. Percebemos que ele tem alguns problemas com a família, mas a mãe é uma figura muito importante. Ela molda algumas características na personalidade dele, como a escrita e poesia. Também dá para perceber que ele é um garoto perdido em alguns momentos e como ama intensamente.

A forma como a autora escolheu narrar esse livro foi primordial para que ele não fosse arrastado. Os protagonistas contam suas versões do dia 9 de novembro, mas não se estendem em narrar outros fatos das suas vidas. É assim, no dia 9 eles narram um pouco do que aconteceu naquele ano longe um do outro, só que não com muitos parágrafos, são frases rápidas só pra gente ter uma ideia, e depois narram o dia juntos. Não fica chato e não senti que estava faltando algo. Isso acabou deixando o livro focado totalmente nos acontecimentos do dia 9, o resto não importa muito.

Outro ponto que gostei no livro foi como a autora conseguiu fazer o crescimento dos protagonistas de forma satisfatória. Eles começam com 18 anos e terminam com 23, mais ou menos, então o amadurecimento acontece ao longo do livro. A autora também soube escrever a parte física deles. Eu consegui visualizar o Ben crescendo, deixando de ser garoto e se tornando homem, na aparência. Com a Fallon foi a mesma coisa, e vi a autoestima dela voltando, as tentativas novas na carreira e como ela se tornou uma mulher cheia de sonhos.

Amar alguém não inclui só a pessoa, Ben. Amar alguém significa aceitar todas as coisas e pessoas que esse alguém também ama.


A Colleen escreveu um livro maravilhoso. Não é só o romance que deu certo, mas a narrativa, os personagens, a estória em si, tudo. E olha que ela poderia ter escrito um livro chato, visto que ele exclui enredos secundários e é só sobre a Fallon e o Ben. Foi um livro que eu li muito rápido; ele prende, te envolve no que o Ben está escondendo e aonde o relacionamento deles vai chegar. Quando você vive com uma pessoa, vendo todos os dias, já é difícil que dê certo, imagina vendo ele uma vez ao ano? Eles se questionam em relação a isso, em fundamentar um amor em apenas um dia.

E aí vem a intensidade do que eles sentem e como um tem influência sobre o outro mesmo estando tão longe. O tempo que eles passam separados é esquecido e é como se eles estivessem juntos desde sempre. Tudo isso escrito de forma perfeita pela Colleen, que soube pegar uma ideia que mais ou menos já tinha sido escrita por outras pessoas e fez algo único e interessante. O Ben cita isso no livro, que a estória dele com a Fallon é diferente de Um dia e eu concordo com ele. Aqui a data tem um significado importante, e determina o livro, até o fim.

Não posso esquecer de comentar sobre o livro que o Ben escreve sobre o romance dele com a Fallon. No fim é como se tivesse um livro dentro do outro, as duas estórias meio que se misturam e finalmente descobrimos o que o Ben esconde e algumas coisas se encaixam. O final partiu meu coração e depois remendou, não direi se é feliz ou não, mas a estória ficou muito melhor da forma como foi escrita. Novembro, 9 é um livro incrível, acima dos outros da autora como comentaram. O problema de Métrica são as continuações, que fizeram ele perdeu seu brilho. Com Novembro, 9 isso não acontece, ele brilha intensamente como livro único.

Um corpo é simplesmente uma embalagem que guarda os verdadeiros dons que contém. E você é cheia de dons. Altruísmo, gentileza, compaixão. Todas as coisas que importam. A juventude e a beleza passam. A decência humana, não.

*Foi muito difícil escolher três quotes desse livro, ele tem passagens lindas e marquei quase ele inteiro.

www.sejacult.com.brNovembro, 9
Colleen Hoover
Galera Record: Twitter/Facebook
 
Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 

7 comentários:

  1. Oi Denise!
    Eu adoro os livros dessa autora, por isso estou ansiosa para ler este. Que bom saber que você curtiu, fiquei ainda mais animada.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise!
    Eu adoro quase todos os livros de Colleen e esse realmente estou muitíssimo ansiosa para a leitura.
    Adorei muito sua resenha, parabéns!
    Beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise,
    A Colleen simplesmente é maravilhosa com as suas histórias.
    Eu gosto muito dos livros dela porque ela trabalha muito bem na construção dos seus personagens. Novembro 9 é maravilhoso. Estou ansiosa por Confess que sai esse ano, achei ele ainda melhor que esse.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Oi, Denise, tudo bem?

    Eu não li a sua resenha, me perdoa? ♥ É que eu amo a CoHo, é minha autora favorita, gosto de ser totalmente surpreendida pelas histórias dela. Eu tenho o livro, mas ainda não li. E eu só tenho esse TOC com os livros dela, não leio nem as sinopses, acredita?
    Mas li o finalzinho onde você falou que marcou quase o livro inteiro...entendo bem isso...quando leio os livros dela eles também ficam todos marcados! hahahahahahah

    Beijos
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  5. Oi, Denise.
    Gostei bastante da sua resenha.
    Não li nenhum livro da autora... =(
    Me recomendam bastante as obras dela e pretendo ler ou esse livro ou "Talvez um dia" que parecem ser ótimos.
    Beijos,
    Keth.
    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, Denise.
    Estou querendo muito ler esse livro, mas estou morrendo de medo de ler. Eu já sinto que não vou gostar do final e por isso estou enrolando para ler. mas sei que deve estar exatamente como você descreveu. Já li dois livros da autora e ela me desmontou nos dois hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Denise, tudo bem?
    Super curti a resenha. =)
    Eu não pensava em ler esse livro, mas os elogios que você pontuou me deixaram curiosa e adicionei ele no Skoob. ;)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.