Resenha: Sombra e Ossos - Trilogia Grisha #1

05/12/2016


Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza: o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras –, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter. 

A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras. Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. 

As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo. 

Sombra e Ossos é um dos livros mais unânimes que existe nessa blogosfera literária, por isso até o medo que eu tinha de ler. A maioria ama e quando se trata do spin off então, ai que o povo se derrete mesmo. Depois de ler eu entendo toda a comoção, esse é um livro diferente dos outros de fantasia. Ele conta a estória da Alina, que vive em um mundo dominado por uma fenda na terra que espalha escuridão e monstros. Quando seu amigo Maly é atacado por um dos seres que vivem na fenda, seu poder se revela. Ela é levada para se tornar uma Grisha, pessoas que tem poderes mágicos, como elementos ligados à natureza. Só que nem tudo vai ser fácil na vida da Alina, ela vai se encantar pelo Darkling, mas ele pode não ser quem ela pensa que é.

O livro tem o primeiro e o último capitulo narrado em terceira pessoa e todo o resto narrado pela Alina. Eu gostei dela logo de cara. Ela é mal-humorada, sagaz, na dela e me lembrou muito a Katniss, que é uma personagem que eu adoro. Lembrou, mas não são iguais, que fique claro. O Maly é aquele tapado né?! A menina gosta dele e ele nem percebe. Fora isso, ele tem um senso bacana de proteção e honra. O Darkling é o charme em pessoa, envolvente e inteligente. Entendo completamente porque a Aline se encantou com ele. Como o amor fica em segundo plano, explico melhor mais para frente, eu não tomei partido de ninguém para Alina ficar, mas depois do fim a gente escolhe um lado.
Olhei para trás, por sobre meu ombro. O mundo vivo tinha desaparecido. A escuridão caiu ao nosso redor, negra, leve e absoluta.. Estávamos na Dobra.


Olha, Sombra e Ossos não é um livro fácil. Para mim pelo menos, não foi uma estória que eu peguei tudo com uma leitura rápida. Primeira coisa, os nomes são russos. Tantas consoantes juntas soam esquisitas pra gente, então decorar o nome de alguns personagens deu trabalho. Depois tem o mundo que o livro se passa, com a famosa Dobra das Sombras e o que ela esconde. A divisão dos Grishas, o que cada um faz, os poderes que podem desenvolver, é outro assunto que requer atenção. A descrição dos lugares, que é uma mistura de Rússia com deserto, tem partes de luta meio faroeste... É muita coisa para você entender, mas faz sentido se lido com calma.

Não tô querendo, de forma alguma, desmotivar alguém a ler. Pelo contrário, se eu pudesse dar esse livro para os fãs de fantasia eu daria. Só quero chamar a atenção para a leitura com tranquilidade, que isso pode fazer a diferença entre você entender tudo ou ficar com duvida e depois não querer ler a continuação. A escrita da autora é ótima. O mundo que ela criou é envolvente, tem coerência, foi diferente de tudo o que eu li e o mais interessante, parte do básico luz e sombra. Ela pegou essa dualidade e criou personagens profundos que precisam lidar com o bem e mal dentro de si. Analisando o livro sem o fator magia, o que sobra é uma menina tentando buscar o seu lugar e lidando com uma confusão de sentimentos.

Eu espero por você há muito tempo, Alina. Você e eu mudaremos o mundo.


Vocês sabem que eu adoro um romance, que muitas vezes isso determina o fato de eu ler o livro ou não e de eu gostar da estória também. Com Sombra e Ossos isso foi um pouco diferente. Quando você começa a ler o livro percebe que pode ter um envolvimento da Alina com o Maly, mas logo que ela vai ser treinada e precisa se afastar do amigo, outro personagem entra em cena. Ela se vê envolvida pelo Darkling, pela atenção que ele dá para ela. Pode parecer um triangulo amoroso, só que isso é tudo segundo plano. O importante do livro não é se a Alina vai ficar com A ou B, é se ela vai conseguir virar uma Grisha e acabar com a escuridão da Dobra da Sombra.

Eu terminei de ler Sombra e Ossos me perguntando por que não tinha lido antes; quando todo mundo falava que era bom e eu nem dava muita importância. O livro se tornou um dos meus favoritos do ano e a minha expectativa para o próximo está lá em cima. O desespero agora é que eu não tenho os outros dois, então se alguém tiver para troca fale comigo!! A leitura desse livro foi surpreendente, porque eu não sou uma fã fervorosa de fantasia e para mim é muito difícil gostar de uma estória que não tenha romance. A narrativa foi tão envolvente que eu nem me importei com o amor dos personagens, eu só queria saber se a Alina conseguiria escapar, fazer o que foi proposto para ela. As possibilidades agora são muitas e a autora fechou bem o final, dando uma leve ideia do que pode acontecer.

Desculpe se levei tanto tempo para enxergar você, Alina. Mas eu a enxergo agora.

www.sejacult.com.brSombra e Ossos Trilogia Grisha # 1
Leigh Bardugo
Editora Gutenberg: Twitter/Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.