Cince Cult: Festa da Salsicha

07/10/2016

Festa da Salsicha | Classificação: ★★★★ (Ótimo) | Estreou em 06 de outubro de 2016
Texto: Murilo Maximiano | Revisão: Kamila Wozniak


Antes de tudo é sempre bom relembrar, Festa da Salsicha não é um filme para crianças. Alegorias sexuais, piadas pesadas (muitas vezes racistas, sempre politicamente incorretas) e discussões sobre temas extremamente pertinentes ao mundo em que vivemos é a mistura que gera essa ótima comédia, mostrando que Seth Rogen é realmente um dos melhores comediantes atuais. Dentro de um supermercado, os alimentos pensam que as pessoas são deuses. Eles sonham em serem escolhidos por elas e levados para suas casas, onde pensam que viverão felizes. Mas eles nem suspeitam que serão cortados, ralados, cozidos e devorados!

Quando Frank, uma salsicha, descobre a terrível verdade, ele precisa convencer os outros alimentos do supermercado e fazer com que eles lutem contra os humanos. Várias metáforas são utilizadas nos alimentos para se espelhar em nosso mundo. Nessa temos judeus e árabes, nazistas… De uma certa forma, de sua maneira distorcida e incorreta, o filme abraça vários discursos atuais e dialoga com o público, apresentando sem pudores o que se quer dizer. O principal tema que é abordado é a religião, a tentativa de não se reconhecer os fatos e a forma arrogante com o qual ateus muitas vezes abordam os crentes.

Na estranha crença existente entre os alimentos há um reflexo não apenas da religiões mas também de várias situações onde a ciência e a busca pela verdade factual são deixadas de lado pela crença simples. Mesmo quando Frank tenta provar para os alimentos a farsa dos “deuses”, sua forma arrogante impede que eles queiram acreditar ou dar ouvidos. Uma mensagem forte e interessante. 


O filme trata ainda de liberdade sexual de uma maneira peculiar e bem interessante, quando os alimentos são incentivados a se manterem frescos (os salsichas não devem “penetrar” as pães) e como os deuses estão o tempo todo de olho. Relacionamentos homossexuais e o debate sobre a soberania do próprio corpo e do prazer são apresentados aqui, ainda que dentro de piadas chulas e incontestavelmente engraçadas. O filme é repleto de personagens e em sua grande maioria são alegorias estereotipadas de indivíduos e grupos de nosso mundo. Em algumas situações a quantidade de personagens pode incomodar, mas logo somos lembrados que o filme não trata da aventura desse ou desse outro alimento, mas sim da loucura em que todos eles vivem (e a loucura de estarmos presenciando um filme tão absurdo).

De qualquer modo, o elenco (americano, não falo aqui da dublagem brasileira que não vi) está afiadíssimo e o uso da velha turma de Rogen, já presente em outros filmes com o comediante, é a garantia de ótimas piadas muito bem encaixadas (e bem escrachadas e agressivas também). Festa da Salsicha é uma comédia chula, sexual, nojenta e espetacular. Um show de bizarrices que certamente não se encontra facilmente no cinema atualmente. Seth Rogen, no roteiro, demonstra uma acidez ótima que já havia trabalhado em outros filmes. Ao final, vale muito a pena ir conferir, principalmente com vários amigos. Só não leve uma criança, sério, o filme começa com uma piada de uma salsicha querer penetrar totalmente o pão…




2 comentários:

  1. Que gracinha!!! Amo animações, vi o trailer esses dias e fiquei com mta vontade ver...Bjs

    ResponderExcluir
  2. A Festa da Salsicha um dos melhores filmes de alimentos de todos os tempos!!! RSRS

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.