Resenha: Nerve

30/09/2016


Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também. 

Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo. 

A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos... e perigosos.


Nerve
Jeanne Ryan
Editora Planeta (selo Outro Planeta): Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Oi, Denise

    A pronuncia do livro/jogo é essa mesmo. Eu acho que o filme saiu rápido de cartaz pq a aceitação não foi muito boa. Vi muita resenha negativa do filme por aí, até um amigo meu foi ver e falou que é bem ruim.

    Essa indecisão da personagem deve ser bem irritante mesmo, acho que me incomodaria. Que bom que a autora não ficou explorando o artifício dos desafios até a exaustão, o autor realmente tem que ter bom-senso para saber quando é suficiente.
    Que bom que você não curtiu o final. Eu realmente não sei se leria, com certeza não compraria, mas se eu ganhar o livro, quem sabe?

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.