Resenha: A garota Perfeita

15/07/2016


Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida. Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à família da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso. 

Quando a encontra, porém, a professora esté em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história? 

A Garota Perfeita é narrada em terceira pessoa por três personagens: Eve, Gabe e Colin. A história começa com o desaparecimento de Mia Dennett. Quando sua mãe, Eve Dennett recebe uma ligação do trabalho dela avisando que ela não fora trabalhar, suspeitas começam a surgir dado que Mia é uma garota exemplar, que nunca falta ao serviço. Ela é uma mulher que mora sozinha, longe da família, e Eve de fato fica preocupada com o que pode ter acontecido. Logo a polícia é acionada para solucionar seu desaparecimento e o detetive Gabe é chamado para cuidar do caso. James, o pai de Mia e um juiz muito conceituado, acredita que tudo não passa de um alarme falso e que Mia tenha sumido por vontade própria com alguém, devido a alguns deslizes no passado de Mia, mas Eve tem certeza de que algo aconteceu.

Não demora muito para que Mia seja encontrada. É preciso dizer que isso não é spoiler, porque acontece no início do livro e não é exatamente aí que reside o mistério da trama, mas sim no processo de como isso ocorreu. Mia é achada com vida, mas não se lembra de várias coisas sobre o sequestro e sobre si mesma, incluindo seu nome, pois agora ela se denomina como Chloe. Enquanto isso, Eve tenta entender o que ocorreu no tempo em que a filha esteve sequestrada e Gabe continua seu trabalho para tentar descobrir algo sobre Colin Thatcher, o homem que levou Mia a força.

E se...? E se ela não estiver bem? E se estiver bem e nunca a encontrarmos? E se estiver morta e nunca descobrirmos? E se estiver morta e ficarmos sabendo quando o detetive nos pedir para identificarmos seus restos mortais? 

O livro é um suspense psicológico, quase uma tortura (tortura no bom sentido, se é que isso existe), que faz você sentir grandes emoções durante a leitura. A cada página você vai descobrindo como é o relacionamento da família Dennett, que, diga-se de passagem, não é uma das melhores. James é um pai muito mais preocupado com a própria imagem do que com os problemas que o cercam; Eve, uma mãe não muito presente e aí já podemos ver que essa é aquela típica família que vive de aparências. Além do mais, temos os outros pontos de vista. Vamos compreendendo os motivos de Colin ter se desviado de seu plano original e levado Mia para uma cabana distante e tantas outras coisas que a história nos apresenta.

Nunca tinha lido esse gênero e confesso que quando escolhi esse livro eu não fazia muita ideia do que esperar. Posso afirmar com toda certeza que não me decepcionei. A obra te prende do início ao fim e não é uma leitura arrastada. O fato de a história aguçar sua curiosidade faz com que você acabe lendo várias páginas sem querer largá-las até terminar. A Garota Perfeita é um livro que você deve ler, principalmente se for fã de suspense, mais ainda se for fã de suspense, pois a história é extremamente envolvente e não deixa nada a desejar.

Ela é minha filha, mas não é. Ela é Mia, porém não é. 

https://www.facebook.com/literaturadeepoca/?fref=tsA Garota Perfeita
Mary Kubica
Editora Planeta: Twitter/Facebook

4 comentários:

  1. Oi Naiara, eu tb não leu muito esse gênero não, mas parece ser um livro super intenso, já que é quase uma tortura (no bom sentido) rsrsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Esse né o tipo de gênero que costumo ler, sofro taaaanto c suspenses
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Mas fiquei super curiosa com essa história!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Naiara, tudo bem?
    Adorei a premissa do livro!
    Gosto muito desse tipo de suspense que te gruda na leitura.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  4. Oi Naiara!
    Eu adoro suspense, então quero ler esse livro.
    A história me lembrou um pouco Garota Exemplar, não li o livro mas adorei o filme.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.