Resenha: Corte de Espinhos e Rosas #1

14/06/2016


Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.

Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

Feyre nunca poderia imaginar, que ao matar um lobo sua vida seria mudada para sempre. Pensando em alimentar sua família, a morte do animal foi comum, só que ele trazia em si algo especial, era um feérico. Seu amigo, a Fera, vem atrás de Feyre querendo vingança: sua vida em troca da do lobo. Feyre então, vai morar nas terras feéricas sem possibilidade de volta. No castelo, ela descobre que a Fera é Tamlin, um dos poderosos feéricos que governam as terras pertencentes as fadas. Descobre também, que uma poderosa doença assusta o lugar e pode passar a muralha que divide as terras feéricas dos humanos. Prisioneira no castelo, Feyre sucumbe ao tempo que passa ao lado de Tamlin e começa a vê-lo como homem e não como a Fera que também existe nele.

O livro é narrado pelo ponto de vista da Feyre, e logo de cara eu gostei dela. A personagem não é certinha, puritana, meiga e todas essas coisas que a gente espera de livros assim, ainda mais em uma comparação com a Bela. As duas não lembram em nada uma a outra. A Feyre precisa sustentar a família, por isso não tem tempo para ser fofinha. Ela é rude e severa em muitos momentos, mas é uma questão de necessidade, de entender o contexto da personagem. O Tamlin a gente conhece pelos olhos da Feyre, então em um primeiro momento ele é uma fera desprezível e com o passar do tempo vai se tornando uma boa companhia, até mexer com o seu coração. Ela acaba descobrindo que por baixo da fera existe um homem bom, leal e amoroso.

Somos poderosos demais, entediados demais com a mortalidade para sermos reprimidos por qualquer coisa.


Antes de falar do livro em si, vamos a parte que chama mais a atenção, o fato de Corte de espinhos e rosas ser uma releitura de A Bela e a Fera. Quem já leu minhas outras resenhas quando se trata de releituras, sabe que eu tenho um pé atrás com você começar algo baseado na estória de outra pessoa. Sempre fico procurando o diferencial, porque se tiver pouca coisa nova, para mim é um plágio disfarçado. O que a Sarah faz é uma releitura do começo do conto de fadas, e mais próxima do original, e manter a figura da Fera. Após esse começo, a escrita dela é totalmente nova. Não é porque você viu o desenho da Disney, ou até mesmo leu o conto original, que vai saber o final.

O diferencial importante, e interessante, do livro são as fadas. Esse livro é uma versão feérica de A Bela e a Fera, e fica a dica para quem nunca leu a Sarah, ela gosta MUITO de fadas. Não é a minha esse seres sobrenaturais, mas a outra série da autora eu gostei e com esse não foi diferente. Ela criou uma estória que tem ares de novo conto de fadas, com magia, desafios para a mocinha transpor, reflexões, uma maldição e romance. O romance, aliás, é mais sensual do que eu esperava da autora, mas nada que chegue perto de ser erótico.

Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada.


Ainda em relação aos feéricos, o ponto que não me fez dar cinco estrelas para ele foi justamente esse. Eu gostei do livro ser sobre fadas, mas achei algumas partes muito confusas. Vale ressaltar que esse é o primeiro de uma série, só que lendo a autora deu a impressão de que queria fechar todas as questões aqui e começar o próximo do zero, mas não aconteceu. A divisão dela dos territórios das fadas e humanos, como eles se tornaram inimigos, a maldição de Tamlin e quem a colocou, é só um pouco do que você tem que ler com muita atenção para não se perder. A parte feérica é, sem duvida, a mais confusa.

Não acho que esse livro precisava ser uma série. A maldição do reino de Tamlin é quebrada e você tem a sensação de conclusão, ainda mais que a vida da Feyre é decidida. Só que a autora deixou uma dívida da protagonista em aberto (dívida a ser paga durante uma semana de cada mês), o que sugere que esse seja o gancho para o próximo. Para mim, esse é um gancho fraco. Daria perfeitamente para ser livro único e ela ainda pegar outros personagens para continuar. Apesar dessas ressalvas, foi uma boa leitura e que eu recomendo. A dinâmica dos protagonistas se parece com o conto, remete a paixão pelo estereótipo, além da magia e quebra de uma maldição. Só leiam com atenção, isso será a diferença entre você pegar tudo e gostar do livro, ou se sentir perdido e detestar essa releitura.

Recuse-se ou morra. Mate três inocentes e viva. Três inocentes, por meu futuro. Por minha felicidade. Por Tamlin e por sua corte, e pela liberdade de uma terra inteira.

www.sejacult.com.brCorte de Espinhos e Rosas #1
Sarah J. Maas
Galera Record: Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. Oi Denise!!

    Eu sabia que o livro era uma releitura de A bela e a fera, mas tinha uma visão diferente dele, achei, pleo o que vc contou, uma narrativa interessante, só acho que às vezes o autores forçam uma continuação né? rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise, tudo bem?
    Eu curto muito ler releituras, mas não por qual motivo este livro ainda não me despertou interesse.
    Gostei muito da sua resenha. Sincera e expondo os seus prós e contras.
    Também acho que ultimamente os autores estão forçando um pouco a barra nesse lance de séries.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Minha amiga leu esse livro e tava me falando sobre ele ontem mesmo! Ela também disse que não deu pra entender muito bem o final porque parecia que tinha acabado mas ao mesmo tempo ainda tinha coisas pra resolver, bem como você falou! Eu acho a capa desse livro lindíssima, mas a história não me chama tanta atenção :/
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.