Resenha: O Domínio do Lobo - Alfa e Ômega #2

26/04/2016


A humanidade estaria pronta para conviver com lobisomens? Depois de se transformar em lobisomem, Anna Latham não fazia ideia do quanto sua vida se tornaria complicada... e perigosa, já que acabaria se tornando a companheira de Charles Cornick, o filho do líder de todos os lobisomens da América do Norte, Bran.

Anna e Charles são convocados para uma importante reunião, que pode mudar o destino de sua espécie. Bran acredita que é chegada a hora de os lobisomens do mundo revelarem sua existência à humanidade. Porém, o mais temido lobisomem Alfa da Europa se coloca radicalmente contra o plano, e ele parece não ser o único a ter esta opinião. 

Quando Anna é atacada por vampiros, num tipo de ofensiva mágica que apenas um lobisomem poderia executar, ela e Charles resolvem combinar seus poderes para descobrirem quem estaria por trás disso tudo... ainda que isso lhes custe suas vidas.

Eu demorei um pouco para ler esse segundo livro e ainda não sei porquê, visto que essa é uma trilogia que eu recomendava desde o primeiro. Comecei a leitura no momento errado, parei por uns meses e recentemente voltei e continuo não entendendo a demora. Nesse segundo livro a Anna e o Charles vão para uma convenção onde será discutido os detalhes da revelação dos lobisomens para os humanos. Só que nem todos aceitam essa revelação, muitos acham que é melhor ficar do jeito que está, com ninguém sabendo, e Bran quer tudo as claras.

Acontece que a Anna e o Charles caem numa armadilha envolvendo outros seres sobrenaturais que possuem rixa com Bran. Com ele do outro lado do mundo praticamente, vai ser difícil proteger os seus. A narrativa do livro continua a mesma, seguindo mais a Anna e o Charles, mas também outros personagens importantes para a trama. A Anna aqui vai crescer em relação ao seu lobo e o papel dela na alcateia.

Ela ainda terá uns lapsos de medo, mas isso aos poucos está acabando e a personagem se tornando forte e participativa. Vemos um lado de Charles mais submisso e amoroso com a Anna, não que ele não fosse, só que aqui isso fica mais aparente. Vai ser engraçado ver a Anna com ciúmes dele, quando ela nem queria que eles se envolvessem. Os dois se conectam mais nesse livro, ficando cada vez mais em sintonia.

Anna o beijou, uma ocorrência rara o suficiente para que ele ficasse perfeitamente imóvel e saboreasse o beijo como o presente de confiança que era. Ela havia sido torturada por monstros, e eles às vezes ainda tinham algum domínio sobre ela.


Desde o primeiro livro fica claro que o foco da autora não é no romance, mas na alcateia. Não lembro se comentei com vocês na primeira resenha sobre isso, porém, é importante ter em mente que aqui não tem as cenas românticas que estamos acostumadas, ou hot, tudo é muito direto. Não estou querendo dizer que não tenha um relacionamento amoroso, a Anna e o Charles são um casal, só que não tão romântico e com grande destaque assim. Isso me incomodaria se o enredo principal, a alcateia, não fosse tão interessante e bem escrita.

Eu acabei gostando do equilíbrio que esses dois viés possuem, não é um livro só com romance, mas também não é um livro só com lobos, é uma junção dos dois na medida certa. Essa importância maior na alcateia faz toda a diferença para mim, pois saímos do mesmo, dos livros com lobos que focam apenas no territorialismo deles e na escolha de suas parceiras.

Aqui a gente acompanha o jogo de dominação de um alfa, como ele tem que fazer para cuidar do seu bando e se entender com outros grupos. No caso, o Bran é o mais poderoso de todos os alfas, mas existem seres que podem acabar com ele e essa revelação aos humanos está mexendo com muita gente. O livro tem bastante estratégia para fazer os lobos aceitarem o que ele quer e acha certo, fora a disputa pelo poder dele.

Devemos trazer nossos segredos à tona, e eles não terão mais munição. E teremos que manter a maré da opinião pública a nosso favor quando o fizermos. Só então estaremos verdadeiramente seguros.


Ah como é bom quando o seu feeling de livro incrível é ativado antes da leitura e se confirma depois. A série só está crescendo, assim como o enredo e os personagens. Esse não foi apenas um livro de ligação que pode ser descartado, ele veio para firmar a Anna na posição de Ômega e mostrar que outros seres podem interferir no caminho de Bran quando se trata de se relevar para o mundo. Comentei sobre isso em algum vídeo de leituras do mês e vale a ressalva. Muitos autores terminam suas séries no ponto onde esse livro está, com possibilidades e nada concreto.

A autora não vai por esse caminho, já que o próximo livro os humanos vão saber que os lobisomens existem e eles terão que lidar com as consequências. Provavelmente os lobos serão atacados, hostilizados, culpados por crimes e ter esse visão de um sobrenatural se revelando quando tantos autores os escondem será demais! Já estou com o livro separado para ler, o terceiro, e a minha expectativa é a melhor possível, com muitas reviravoltas e um posicionamento decisivo da autora se nós, os humanos em questão, estamos preparados para saber que os monstros do armário existem sim.

www.sejacult.com.brO Domínio do Lobo Trilogia Alfa e Ômega # 02
Patricia Briggs 
Editora Novo Século: Twitter/Facebook


2 comentários:

  1. Oi Denise, tudo bem?
    Quando vi o lançamento do livro um fiquei mega interessada, mas ao saber que era série desanimei um pouco e acabou caindo no esquecimento.
    Ler sua resenha do segundo livro despertou meu interesse novamente. De volta pra lista e espero conseguir comprar em breve.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que livro diferente, hehehe. Nunca tinha ouvido falar. Vou pesquisar a respeito.

    www.chadedefirulas.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.