Resenha Nacional: Três dias para Sempre

13/04/2016


Quanto tempo você precisa para saber que está apaixonado? Uma semana? Um mês? Um ano? Line e Teo só precisaram de três dias. E, em três dias, eles vivem uma paixão que, pela sua vontade, duraria para sempre. Line mora sozinha no Rio, ainda juntando os cacos depois que o seu noivo a abandonou no dia do casamento. 

Sem um emprego decente, sem um amigo sequer e sem coragem de voltar para a sua cidadezinha natal, ela vê os dias passarem enquanto aguarda algum sinal do destino sobre qual caminho seguir. No ônibus ela conhece o brasiliense Teo, que está na cidade a passeio, curtindo o verão mais escaldante dos últimos mil anos. Olhares trocados, mensagens de texto e uma vontade incontrolável de se ver mais uma vez... É assim que começam as paixões mais gostosas. 

Para Line, poderia ser apenas uma distração (maravilhosa) para as noites quentes de Copacabana, seja nos barzinhos junto com a galera ou na (quase) privacidade do apê onde Teo está hospedado. O problema é que um coração cansado de sofrer se preenche com a maior facilidade e Teo não pode ir embora sem saber que mudou a vida dela para sempre.

O livro é narrado em primeira pessoa e conta a história de Eveline, ou Line como é mais conhecida, uma garota do interior da Bahia que acabou indo ao Rio de Janeiro por causa do namorado com quem ia casar, porém, num belo dia, ele a deixa e ela fica sem ter para onde ir, já que voltar para casa se mostra uma opção muito dolorosa. Então, Line acaba ficando num hotel, onde paga seu quartinho fazendo favores aqui e ali e buscando os hospedes no aeroporto.

Line é uma moça sem muitas perspectivas e em pleno ano-novo ela se vê no aeroporto segurando uma plaquinha a espera de alguém que não sequer chega. De volta ao hotel no ônibus ela conhece os brasilienses Teo e Canuto. Entre olhares e conversas, Line acaba entregando a eles um cartão com número e no dia seguinte, ela é convidado a passar o dia com eles. A partir daí, Line vai vivendo aventuras e um romance de verão acaba surgindo entre ela e Teo.


Quando peguei Três Dias Para Sempre, fiquei contente por ser de uma autora brasileira, pois os autores nacionais têm se mostrado ótimos e muito criativos e achei que seria um chick lit. Então eu comecei a ler o livro acreditando que ia amar, mas conforme a leitura do texto foi avançando, eu comecei a me ver bastante entediada com a história. Embora o livro seja bem escrito, a personagem Line consegue ser aquela heroína por quem não sentimos empatia nenhuma, pois é extremamente insegura e cai de cabeça em tudo sem pensar muito, como se não tivesse 27 anos.

De fato, o histórico de Line de ser uma garota do interior e ter sido abandonada pode até justificar boa parte da insegurança dela, como é deixado claro no livro, mas ela é insegura o tempo todo, o que a torna um tanto cansativa. Enquanto vivia seu romance de verão com Teo já pensava mais além (hã?). Fora isso, eu não consegui sentir aquele clima entre a mocinha e o mocinho. Tudo aconteceu muito rápido, mas o problema não foi esse, simplesmente a coisa não me convenceu.

A capa do livro está muito bonita, a diagramação muito criativa, mas, infelizmente, o livro não me agradou, o que realmente me deixa muito triste. Porém, como resenhista, eu tenho o dever de ser sincera. Sendo assim, não direi que indico ou não, deixo a cargo da curiosidade de cada de um.

Porque duas almas não se encontram sem querer, da forma que se encontram, apenas para se esbarrar. Duas almas tão semelhantes e simétricas só poderiam estar destinadas a viver uma grande história juntas.

https://www.facebook.com/literaturadeepoca/?fref=tsTrês Dias Para Sempre
Janda Montenegro
Editora Novo Conceito: Twitter/Facebook


5 comentários:

  1. Poxa, é uma droga quando a gente começa um livro com as expectativas lá em cima e acabamos nos decepcionando, né? Já aconteceu comigo também... Mesmo assim, fiquei interessada pelo livro, a história parece ser bem legal e também fiquei contente por ser de uma autora brasileira ^^
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir
  2. Tenho esse livro aqui mas ainda não consegui ler :/
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Senti como se meu mundo tivesse sido puxado para baixo, rs. Tava namorando esse livro, confesso que não sou a melhor para romances nacionais (ou internacionais), sempre encontro defeitos. E a sua resenha meio que me desanimou, porque não SUPORTO mocinhas inseguras. Essa síndrome de Bella Swan me irrita até o último fio de cabelo e acabo travando...
    Boa resenha, adoro resenhas sinceras! bjs

    www.omundodamari.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Naiara, tudo bem?
    Eu nunca li nada da Janda e não conhecia este livro, mas confesso que apesar da sinopse ter me despertado interesse, a sua resenha me desanimou...
    Também não curto mocinhas inseguras demais, ainda mais que ela já é uma mulher de 27 anos. Uma pena que a leitura não tenha sido tudo que esperou.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Naiara!

    Gostei da sua honestidade rs é muito difícil quando a gente não tem empatia pelos personagens, sei como é isso rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.