Cine Cult: Invasão a Londres

06/04/2016

Invasão a Londres | Classificação: ★★★ | Estreia em 7 de abril de 2016
Texto: Murilo Maximiano | Revisão: Jonathan Humberto


Invasão a Londres, dirigido por Babak Najafi (Dinheiro Fácil 2) é a continuação do filme Invasão a Casa Branca (2013) e nos traz novamente Mike Benning (Gerard Butler) e o Presidente Asher (Aaron Eckhart) em meio a uma Londres tomada por terroristas após, durante o funeral do primeiro ministro britânico, ser sistematicamente atacada por um traficante de armas presumidamente morto e vários líderes mundiais serem assassinados durante o atentado.

Nacionalista, xenófobo, clichê, recheado de furos de roteiro e ação desenfreada e bastante divertida são as características que saltam aos olhos de qualquer um que assistir. Mostrando novamente os EUA como os salvadores do mundo e o Oriente Médio como o terror que pode destruir o Ocidente, o filme se coloca altamente ufanista, mas cumpre bem o papel de filme pipocão de ação e, por vários momentos, você releva o caráter impresso na película.

Babak Najafi faz um ótimo trabalho nas cenas de ação e na emoção das frases de efeito, mantendo muito bem o estilo oitentista de ação com “brucutu porradeiro” que Antoine Naqua (Invasão a Casa Branca, Sete Homens e Um Destino) orquestrou tão bem no antecessor. O filme tem um bom ritmo e a ação não cansa, como costuma acontecer com uma regularidade até muito grande, mas claramente o filme não se preocupa em aprofundar as personalidades ali presentes ou tornar a trama mais política ou profunda. Talvez seja melhor assim, um filme para “desligar o cérebro”, como se costuma falar.


No mais, em alguns momentos o nacionalismo norte americano passa do ponto, em especial em uma cena onde Gerard Butler, com muita presença, grita que mesmo com as consecutivas tentativas dos terroristas em destruir os EUA, daqui 1000 anos ainda estarão aqui. Um maniqueísmo claro, mas que é amenizado ao evitar um caráter religioso e colocar na cabeça da representação terrorista um vendedor de armas procurado internacionalmente.

O único ponto mais dramático e acentuado presente é a relação construída desde o Invasão a Casa Branca de Mike com o Presidente Asher, que não apela para o sentimentalismo piegas, mas mantém uma relação interessante de amizade, destaque para o presidente falando sobre filhos com Benning.

Invasão a Londres é isso, um filme de ação do início ao fim, protagonista “porradeiro”, maniqueísta, clichê e nacionalista. Uma ótima opção para quem busca um bom “tiro, porrada e bomba” por pura diversão e sem muitas reflexões. Diversão e entretenimento puro recheado de um certo xenofobismo que pode passar despercebido pela falta de atenção política dentro da trama.




3 comentários:

  1. Eu adoro o filme Invasão a casa branca, e creio que esse será ainda melhor, pois a premissa é interessante, os atores são bons... Enfim, tem praticamente tudo para ser um sucesso! uheueheuheuh

    Abraços,

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
  2. Oi...

    Vi o trailer do filme e não curtir muito. Apesar de ter um bom elenco, achei a premissa fraca, do tipo mais um filme com patriotismo americano.
    Se tiver passando na Tv posso até parar para ver.
    Beijos!

    Cintia
    http://www.devaneiosdeumacindy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. AMO ESSE HOMEM. E eu adorei o primeiro filme, muito melhor que o na época foi lançando com o Channing Tatum, quase ao mesmo tempo. Esse filme é simplesmente inteligente e cheio de ação. Não sabia da continuação e vou procurar assistir. O Gerard fica beeeeeeeem melhor em filmes de ação que em comédias românticas. Ele é cara! <3

    Beijos Denise,

    Mari - www.omundodamari.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.