Resenha: Volta para mim

07/03/2016


Kit Ryan está de volta à sua amada Califórnia, de folga do serviço militar. Conquistador inveterado, ele só quer aproveitar as quatro semanas livres antes de retornar ao trabalho, mas se vê atraído pela irmã de Riley, seu melhor amigo. Há tempos Jessa Kingsley chama sua atenção, porém a família superprotetora dela sempre foi um obstáculo. Desta vez, contudo, Kit desiste de lutar contra os próprios sentimentos e logo Jessa se rende ao seu charme. O que começa apenas como um romance de verão rapidamente se torna um relacionamento apaixonado. 

Quando chega a hora de Kit voltar ao serviço com Riley, nem ele nem Jessa estão prontos para se despedir. Ela enfim está seguindo os seus sonhos e ele descobriu alguém por quem sacrificaria tudo. Jessa promete esperá-lo e Kit garante que voltará para ela. Não importa o que aconteça. Mas então uma visita inesperada traz uma notícia trágica: uma das pessoas que ela mais ama morreu em serviço. Quem terá sido? Seu irmão ou seu namorado?

Em Volta Para Mim, Mila Gray constrói uma história de tirar o fôlego sobre amor, amizade e família, conduzindo o leitor por uma jornada de superação e autodescoberta.

Assim que eu bati o olho nesse livro e li a sinopse eu pensei 'é um livro do Nicholas Sparks escrito por uma mulher' e eu estava certa. Ele conta a estória de Kit e Jessa, que se conhecem desde a adolescência, mas só se envolvem quando ela completa 18 anos. Acontece que só quando a Jessa está um pouco mais velha, Kit vê mais nela do que a menina que ficava atrás dele e do irmão dela. Só que existem dois impedimentos para esse relacionamento florescer, o pai de Jessa odeia Kit por alguma razão que eles não sabem e Kit é militar. Ele passa um ano servindo e um mês de folga e é nesse mês de folga que eles se envolvem. Quando Kit serve depois deles estarem juntos, promete voltar, mas um acidente envolvendo o irmão dela e Kit acontece e um deles morre. Quem será?

O livro começa do fim, da cena que tá na orelha da capa. Depois ele volta alguns meses para sabermos como o envolvimento do Kit com a Jessa aconteceu. Então a autora já fala logo de cara: será um romance com drama, pois a Jessa vai perder alguém, o irmão ou o namorado. É meio óbvio quem será, mas isso não tira a graça do livro e nem a vontade de lê-lo, já que a autora vai nos motivando a saber como essa morte aconteceu e o que vai acontecer depois disso. A leitura é bem fluida e o livro rápido. Você lê mais para chegar na parte que um deles morre e confirmar quem é. Depois disso as coisas se acertam e novos problemas surgem; essa descoberta não fica para o fim, fim, do livro, a autora deixa espaço para narrar novas situações e não deixar o livro morrer com a revelação óbvia.


A narrativa do livro se dá em primeira pessoa alternando os dois protagonistas. A Jessa vai parecer infantil e imatura em muitos momentos, mas é preciso lembrar que ela só tem 18 anos. É normal as coisas que ela vai falar e sentir, embora não mais para uma pessoa com 25, 30 anos. Ela é insegura em relação ao corpo, as suas vontades, e isso se reflete em como ela age. O Kit tem 21 anos e é um cara completamente normal, um pegador discreto, que ao se apaixonar pela Jessa sabe que vai durar e por isso investe pesado. O que eu mais gostei no Kit é que os defeitos dele são aparentes mesmo ele tentando esconde-los, isso o torna real e não um personagem de livro. É muito fácil ver o Kit em um cara que a gente já se relacionou.

Eu não classifiquei o livro como erótico ou hot, porque as cenas que remetem a isso são tão normais para um casal que tá começando, tão complemento de quem tá se envolvendo e quer mais e mais, que para mim foi tudo ok. A autora soube escrever de um jeito tão fofo e delicado, que combinou com o casal. Fica o aviso para quem pensa que o enredo é só focado no romance, tem sensualidade na medida certa. O livro vai comentar também sobre um assunto importante, a volta dos soldados para casa, o trauma da guerra. A Jessa e a mãe sofrem abuso psicológico do pai, que sofre de estresse pós-traumático. Isso é muito comum entre os militares e são poucos os que se tratam. Ah sim, tem uma razão para o pai da Jessa odiar o Kit, isso é explicado no livro.

Quando eu digo que esse é um livro do Nicholas Sparks escrito por uma mulher não é uma crítica, mas um elogio. Adoro o autor e sempre me emociono com suas estórias e com a Mila foi assim também. Se você já leu Querido John vai ver semelhanças entre os romances e fará comparações. O que o livro da Mila tem de melhor é o foco no romance mais carnal, coisa que o Nicholas passa batido. São escritas ao mesmo tempo parecidas e diferentes, mas igualmente boas. Eu queria até ler outra coisa dessa autora para saber se tem outras semelhanças. Uma outra coisa, esse livro é mais ou menos um roteiro de filme pronto. Acredito que com um tema batido, romance entre militar e civil, mas que dá para imaginar as cenas na telona isso dá. Quem gosta de romance juvenil, um pouco dramático, e com uma pitada de sensualidade, vai gostar de Volta para mim.

Quero tê-la, quero inspirá-la, quero possuí-la. Quero deixar minha marca nela. Quero levar parte dela comigo e deixar parte de mim nela. Como as sensações que vou levar dela durarão um ano?

Volta Para Mim
Mila Gray
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook



6 comentários:

  1. Olá!

    Adorei a indicação do livro, e pelo que você contou na resenha parece ser o Nicholas Sparks na versão feminina mesmo. Gosto bastante dele! Vou colocar esse livro na fila de leitura. Parabéns pela resenha! =)

    www.booksimpressions.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Denise! Pelo visto esse livro tem a mesma "fórmula" que os do Seu Sparks. Esse Volta Pra Mim tem uma cara de que vai derramar muitas lágrimas kkk Bjs,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Denise! Tudo bem? Assim que vi a capa do livro, a primeira coisa que me veio na cabeça foi: Nicholas Sparks! rs E por causa disso e de seus comentários, eu não fiquei nada empolgado para lê-lo! :/

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gosto de livros que começam do fim, que o personagem lembra do passado... Eu passei o olho rápido na capa e pensei que fosse um livro do Nicholas Sparks, haha. Mas pelo que você disse, até a trama é meio parecido, quero conferir!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Oooi! Tudo bem?

    Bom, sua resenha está muito bem escrita e certos pontos até me intrigaram, mas vou passar longe desse livro. Sua frase "é um livro do Nicholas Sparks escrito por uma mulher" fez eu correr na mesma hora. Tenho uma mágoa absurda com o autor, meu descontentamento e minha preguiça de seus plots sempre iguais me fizeram criar uma barreira. Como você gosta do autor, imagino que queria me esganar agora, mas não faça isso por favor haha.

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Denise! Pela capa eu realmente tinha achado que era um livro do Sparks, por isso nem me dignei a ler a sinopse quando vi esse livro pela primeira vez. A história parece ser interessante, mas acho que eu não leria, justamente por já ser um tema batido. Como você disse, seria um tema legal para um filme, mas como livro não dá pra mim.

    Beijos!

    http://sozinhanabiblioteca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.