Cine Cult: Ressurreição e Mundo Cão

16/03/2016

Ressurreição | Nota: ★★ | Estreia em 16 de março de 2016
Texto: Diego Barreto | Revisão: Jonathan Humberto


Ressurreição, dirigido e escrito por Kevin Reynolds (O Conde de Monte Cristo, Tristão & Isolda), conta sobre o Tribuno Clavius (Joseph Fiennes) enviado por Pôncio Pilatos (Peter Firth) para investigar a suposta ressurreição e localizar o corpo desaparecido do já falecido e crucificado Yeshua (Cliff Curtis). Com uma ótima premissa inicial, o filme começa muito bem com boas cenas de ação (apesar de poucas) e um ótimo ritmo de narrativa, porém, após algumas cenas, o filme começa a perder a mão, transformando algo que começa como um mistério em algo banal por ser revelado no meio da trama.

O filme perde uma grande oportunidade de mostrar um ponto de vista diferente da história de Jesus Cristo com um Romano tentando descobrir o que está acontecendo transformando-se em apenas mais um filme de conversão para o cristianismo (acho que já temos vários desses) e isso eu acredito ter sido o grande erro do longa. A fotografia é muito bonita, com planos abertos mostrando a grandiosidade do deserto e o tamanho das muralhas da cidade. Um parabéns extra pra direção de arte, que compôs todas as cenas de forma maravilhosa, assim como os impecáveis figurinos usados em uma naturalidade surpreendente pelos atores e condizendo com o ambiente (as roupas todas sujas e empoeiradas no deserto e límpidas apesar de desgastadas na cidade).

Apesar dos problemas de roteiro e de não aproveitar bem as oportunidades que ele tinha. Ressurreição foi todo bem produzido. Enfim, Ressurreição é um filme direcionado à pessoas religiosas que mostra uma história basicamente conhecida por todo mundo de uma visão não muito inovadora, porém se você não se importa em assistir a ressurreição de Cristo mais uma vez, assista pois vai te agradar.



***

Mundo Cão | Nota: ★★ | Estreia em 16 de março de 2016
Texto: Murilo Maximiano | Revisão: Jonathan Humberto 


Nesse filme de Marcos Jorge (Estômago), Santana (Babu Santana) é um funcionário do departamento de controle de zoonoses de São Paulo. Um dia, atendendo um chamado numa escola, captura um rottweiler o qual, passado os três dias de espera ao dono, é encaminhado à sacrifício. Seu dono, Nenê (Lázaro Ramos), chega tarde demais e, cheio de ira, segue a cabo sua vingança.

Em um interessante trabalho de gênero, Marcos Jorge nos traz um filme policial no melhor estilo vingança, cheio de reviravoltas inesperadas – ou esperadas, se tiver um pouco de atenção – que trata, com suas ótimas atuações, um drama com bom potencial. Infelizmente, o filme fica em seu potencial, não sendo tão extraordinário em sua execução. Mundo Cão, em muitos momentos parece sabotado pelo diretor e pelo montador. Santana e Ramos estão ótimos, como esperado e todo o elenco, de um modo geral, se apresenta consistente e muito competente em passar o drama familiar, as explosões violentas e a contínua comparação entre o comportamento humano e animal. Porém, a trilha sonora, ainda que interessante, é colocada de maneira tal que parece matar a sensação de que os próprios atores tentam tanto nos passar, jogando músicas às vezes cômicas pouco depois de cenas carregadas de drama e espanto.

A sequência de acontecimentos também não é particularmente bem executada, tornando o filme cansativo em certo momento – nos fazendo perguntar o motivo do filme ainda estar acontecendo – apenas para nos trazer andanças do tempo e uma tentativa triste de montar uma narrativa não linear sem nenhuma necessidade ou explicação maior. O filme acaba por se mostrar uma tentativa de exercício de gênero até digna, mas muito mal executada, claramente sem ambição e foco narrativo, ancorada nos atores para nos trazer empatia pela situação e personagens, mas sabotada pela própria produção.




4 comentários:

  1. É o Tom Felton em Ressurreiçao? Parece haha é uma pena a história não ter sido aproveitada, mas por toda a construção por trás, deve valer a pena assistir!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Nunca Jamais", vem conferir!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Denise! Tudo bem? Os filmes têm premissas até interessantes, mas é uma pena que elas não tenham sido tão bem executadas! :/ Adorei o post e conferir sua opinião sobre os longas! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É o Tom Felton em Ressurreição mesmo haha Não tem nada de novo nos filmes que retratam passagens bíblicas. Na verdade, algumas coisas são estruturadas de maneira fantasiosa, mas a história é a mesma. Até prefiro esses que ilustram de maneira fiel à bíblia. Parabéns pelo post! Bjs,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei porque embora seja uma questão religiosa é um filme que pode ter uma pessoa de qualquer religião ou cultura, não é como a paixão de cristo , porque ela trata Jesus como um homem julgado pelo Império Romano, e acabar com a possibilidade de humano e celestial sendo deixada em aberto. Se você ainda não viu, eu recomendo-los agora que vai acontecer na TV.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.