Resenha: Memórias de uma Gueixa

10/02/2016


Olhos cinza-azulados. Muita água em sua personalidade, é o que diz a tradição japonesa. A água que sempre encontra fendas onde se infiltrar, cujo destino não pode ser detido. Assim é Sayuri, uma das gueixas mais famosas de Gion, o principal distrito dessa arte milenar em Kioto. Com um olhar, ela é capaz de seduzir. Com uma dança, ela deixa os homens a seus pés. O que ninguém sabe é que, por trás da gueixa de sucesso, há um passado de perdas e desilusões de uma mulher que, desde o dia em que o pai a vendeu como escrava, fez cada uma de suas escolhas motivada pelo amor ao único homem que lhe estendeu a mão. 

Neste livro acompanhamos sua transformação enquanto ela deixa para trás a infância no vilarejo pobre e aprende a rigorosa arte de ser uma gueixa: dança e música, quimonos e maquiagens; como servir o chá de modo a revelar apenas um vislumbre da parte interna do pulso; como sobreviver num mundo onde o que conta são as aparências, onde a virgindade de uma menina é leiloada, onde o amor é considerado uma ilusão. Já idosa, vivendo nos Estados Unidos, ela narra suas memórias com a sabedoria de quem teve uma vida longa e o lirismo de quem soube encontrar nela seu lado mais doce. 

Neste relato único, que reúne romance, erotismo e, muitas vezes, a dura realidade, Arthur Golden desenvolve uma escrita refinada e dá voz a uma personagem instigante e humana que conquistou milhões de leitores em todo o mundo.

Memórias de Uma Gueixa é um livro encantador narrado em primeira pessoa pela personagem Chiyo, uma garota que tem muita água em sua personalidade e que, mais para frente, quando se torna uma gueixa, fica conhecida como Sayuri. Quando pequena, ela e sua irmã Satsu são afastadas da mãe que está morrendo e do pai, um velho e pobre pescador. Sayuri pensa que será adotada por Tanaka, um homem que ela admira muito, no entanto, ela e sua irmã são levadas para Kioto e separadas, cada uma indo para lugares diferentes.

Sayuri acaba em um Okyia, uma casa de Gueixas, mas sua irmã é levada para uma casa de prostituição por não ser tão bonita quanto ela e assim ela descobre que na verdade ambas foram vendidas. Os dias vão passando e Sayuri é obrigada a fazer serviços e além de tudo é assolada por Hatsumomo, uma das gueixas mais bem sucedidas de Gion que, vendo-a como uma ameaça, faz da vida dela um martírio.

Na maior parte das noites, deitada em meu futton, sentia-me doente de ansiedade, com um buraco dentro de mim, como se o mundo todo nada fosse senão um gigantesco vazio.

Quando finalmente Sayuri consegue descobrir o paradeiro de sua irmã, ela e Satsu combinam uma fuga, todavia as coisas acabam dando errado e Sayuri vê seus planos frustrados. Por conta desse episódio, ela acaba perdendo as oportunidades na Okyia e é aí, em meio a toda a desesperança, que ela conhece o Presidente (diga-se de passagem que presidente refere-se a um cargo de uma companhia), um homem gentil que mostra a ela que ainda existem pessoas boas generosas neste mundo. Mais para frente tudo vai mudando para a Sayuri e novas oportunidades vão surgindo, ainda que suas dificuldades continuem e que Hatsumomo tente destruí-la cada vez mais. O presidente se torna uma figura que ela não consegue esquecer e a quem deseja ver novamente.

Antes de dar minha opinião sobre o livro é preciso frisar bem que uma Gueixa não é como uma prostituta comum. Para começar, uma Gueixa precisa saber dançar, cantar, tocar instrumentos e há toda uma arte para se tornar uma. Além do mais, para ter uma delas é preciso possuir muito dinheiro, pois uma Gueixa que se entrega para muitos homens e de modo fácil, acaba ficando desprestigiada. Ela são convidadas para muitas casas de chás para entreter e para atrair mais cliente e precisam manter boas relações. Ser uma gueixa requer habilidades.

Nossas vidas são como água correndo colina abaixo, mais ou menos num curso, até batermos em algo que nos force a encontrar um novo rumo.

O livro é riquíssimo em detalhes da cultura japonesa e é muito bem descrito. O autor com maestria soube nos inserir no universo das gueixas, dos quimonos e de toda a produção, glamour e dificuldades. Sofri muito com a Sayuri. Torci para ela a cada página, pois queria vê-la dando a volta por cima. Amei cada um que a ajudou na mesma medida em que detestei aqueles que a maltrataram e tentaram atrapalhá-la.

Memórias de Uma Gueixa sem dúvidas é um dos melhores livros que já li e um dos poucos que, mesmo não tendo tantas falas assim, me cativou e não me cansou com os detalhes, pois tudo foi descrito de maneira leve e muito gostosa. Descobri muito sobre as tradições japonesas e me senti como se estivesse lá, ao lado da Sayuri. Indico o livro com certeza. Sobre a adaptação da obra, posso dizer que o filme é muito bem feito, mas claro que por conta do tempo não houve oportunidade para se trabalhar todos os detalhes como acontece com a maioria dos livros que é adaptado. Ainda assim é interessante assistir, mas leiam o livro antes, claro.

A água nunca espera. Muda de forma e escorre ao redor das coisas e encontra a trilha secreta que ninguém imaginara: o buraquinho minúsculo de um teto, o fundo de uma caixa. Não há dúvida de que é o mais versátil dos cinco elementos. Pode lavar a terra, pode apagar o fogo, pode gastar um pedaço de metal e levá-lo embora. Até madeira, seu complemento natural, não pode sobreviver sem ser nutrida pela água.

Memórias de Uma Gueixa
Arthur Golden
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

8 comentários:

  1. Olá Naiara,


    Li e resenhei esse livro no blog, livro excelente que deve ser lido diversas vezes, ótima resenha....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Naiana. Tudo bom?
    Essa é a primeira resenha desse livro que leio, gostei do que li.
    Deve ser realmente gostoso entender um pouco mais os costumes deles e saber da vida das gueixas. Acho que já quero ler *-*

    Bjão.
    Estou seguindo vc.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Naiara que livro lindo,
    Já tinha ouvido falar muito mas essa foi a primeira resenha que vi a respeito, e olha já me apaixonei!

    Amei sua resenha, parabéns!

    XoXo

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Naiara,
    Não cheguei a ler o livro e assisti o filme já faz um tempinho. Sua resenha me fez relembrar da história e lembrar também que amei demais esse filme. Preciso ler o livro, se já achei o filme tão bom imagine quando eu começar a leitura.
    Bjs
    Diário dos Livros

    ResponderExcluir
  5. Oie Naiara =)

    Tenho esse livro faz um bom tempo, mas ainda não criei vergonha na cara para ler ele rs...
    Assisti ao filme e adorei, por esse motivo acredito que vá gostar ainda mais do livro.
    Vamos ver se esse ano finalmente eu leio ele =D

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  6. Oi Naiara, tudo bem?
    Eu li este livro há alguns anos atrás, e até hoje ele está entre os melhores que já li. Ótima resenha.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um livro muito interessante, gostei muito da resenha e pretendo ler. Que bom que tem o filme também!
    Beijos.
    http://virandoamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Naiara.
    Gostei muito da sua resenha e fiquei curiosa sobre esse livro.
    Não sei se terei tempo para ler, mas já coloquei na minha lista de desejados!! rs...
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva
    www.leitoracompulsiva.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.