Resenha Hot: A primeira Chance - Chance #1

05/02/2016



Quando o pai roqueiro de Harlow Manning sai em turnê, ele a envia para Rosemary Beach, na Flórida, para viver com sua meia-irmã Nan. O problema: Nan a odeia. Harlow tem que manter a cabeça para baixo, se ela quer passar os próximos nove meses em paz. Isso parecia ser fácil... Até que o lindo Grant Carter sai do quarto de Nan. 

Grant cometeu um grande erro em se envolver com uma garota com veneno nas veias. Ele sabia sobre a reputação de Nan, mas ainda sim não conseguiu resistir a ela. Nada faz ele se arrepender da aventura mais do que seu encontro com Harlow, que o deixa com o pulso acelerado. No entanto, Harlow não quer ter nada a ver com um cara que poderia se apaixonar por sua meia-irmã malvada. Mesmo não existindo amarras entre Grant e Nan. Grant está desesperado para se redimir aos olhos de Harlow, mas ele arruinou suas chances com ela antes mesmo de conhecê-la...

Assim que Harlow e Grant se conheceram o que ela mais queria era ficar longe dele e ele perto dela. A atração foi instantânea, mas Grant não é completamente livre, ele tem um relacionamento com a meia-irmã da Harlow. Nan é uma mulher insuportável e todo mundo que de alguma forma está envolvido com ela não é bem visto pela meia-irmã quietinha. O fato de Harlow ser tão reservada, educada e carinhosa com as outras pessoas chama a atenção de Grant, que desde sempre só recebeu o oposto de Nan. Quando Harlow e Nan vão morar na mesma casa a situação fica complicada, pois Grant não quer mais se envolver com Nan e sim com a Harlow. Só que a última não sabe se pode confiar em Grant já que ele se envolveu com uma pessoa tão ruim quanto Nan. Esse jogo de fica com uma ou outra colocará Grant contra a parede e mesmo que a escolha entre uma ou outra seja fácil, as duas tem consequências que podem machucá-lo profundamente.

A narrativa ser em primeira pessoa e alternada não é novidade na série da Abbi e neste livro ela não mudou. O que também não mudou são os livros mais finos e direto ao ponto. A Harlow é uma menina bem típica do boom dos romances eróticos, quieta e virginal. Isso atraiu o Grant porque ela é justamente o oposto da Nan, então as duas são meio que comparadas o tempo todo. A personagem tem alguns segredos que a gente descobre mais para o fim do livro e isso molda um pouco de como que ela vai lidar com o Grant. Ele é um personagem que secundário desperta curiosidade e vontade de saber mais, mas que quando ganhou seu livro ficou parecido com os outros caras que a Abbi criou, possessivos e precisando de redenção. O Grant seria uma versão mais magra e pensativa que o Rush, algo que o Woods também foi.

Posso ter uma chance? Uma para provar que eu não sou como a Nan. Eu sou um amigo muito bom. Só preciso que você me dê uma oportunidade. 

Não vou me lembrar agora em qual livro a Harlow aparece, mas o Grant é desde o começo da série. O envolvimento dele com a Nan desde o início já dá uma noção de como ele se comporta em um relacionamento, mais submisso e carente. Não é uma coisa que eu goste em um homem, só que pelo menos ele quer mudar, ter uma pessoa ao seu lado que venha para somar. O grande problema do Grant é que ele aceita a forma como a Nan o trata, mal, e isso passa uma impressão ruim para a Harlow. Os dois não se bicam no começo porque ela associa a Nan insuportável com o Grant que fica com ela, aquele 'me diga com quem andas e te direi quem és'. Já ela sempre foi protegida por causa de coisas que a gente descobre lendo o livro. A sua insegurança e inexperiência são batidas, mas dá pra engolir. Pelo menos ela não é mimizenta.

A Abbi tem a fama de sempre ser pesada com seus livros quando se trata de cenas eróticas, aqui tudo igual. Se você leu até aqui sabe que ela não poupa o leitor e descreve tudo e costuma deixar várias páginas para isso. O Grant com a Harlow tem química, mas não é aquela explosão de amor porque ela é insegura com o corpo e com o fato do Grant já ter passado em mais mãos do que ela consegue imaginar. Acredito que na continuação, depois que o final desse for resolvido, eles peguem mais fogo. Esse livro traz umas reviravoltas que eu não esperava e só por isso ele foi assim, uns 10% melhor do que os anteriores. É uma viagem o que a autora fez, mas ok, pelo menos ela foi coerente com o que vinha fazendo desde o começo com a Harlow. O pai dela também ganha uma estória viagem, secundária aqui, que acredito ser melhor explicada em um conto que tem mais pra frente.

Como comentei com vocês no vídeo de decepções de 2015, darei um tempo na escrita da Abbi. Eu até tô com vontade de saber como vai terminar o envolvimento da Harlow com o Grant, mas por enquanto não. Sei que muitas de vocês adoram ela e suas estórias, só que eu já estou um pouco saturada da forma como ela conduz a narrativa e para não ficar repetindo os mesmos pontos negativos e dando notas baixas no skoob, prefiro dar um tempo. Eu me perdi na quantidade de livros que a série vai ter, mas sei que o próximo será sobre a Bethy, uma personagem que veio ganhando destaque ao longo da série. O livro dela é um dos que eu estava mais esperando, pelo que acontece com ela e o Jace, mas mais pra frente eu dou uma chance. Assim como os livros do Woods e o do Rush narrando, esse livro foi apenas mediano.

Pensei em Rush e no jeito que ele protegia Blair. O brilho possessivo em seus olhos, e o jeito que ele a mantinha tão perto dele. Eu não tinha aquilo. Ela tinha algo excepcional, e eu havia lido romances demais. Eu queria aquilo também. Eu não tinha percebido que isso era real até ver Rush com a Blair.

A primeira Chance (Rosemary Beach #7, Chance #1)
Abbi Glines
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook


4 comentários:

  1. Oi, Denise, tudo bem?

    Eu tenho uma relação de amor e ódio com a Abbi, eu gosto de umas coisas e detesto outras. E olha que li apenas dois livros dela, hein! Você ainda foi persistente.
    Tenho intenção de continuar, mas sei que não encontrarei nada inovador e sei que ainda vou me irritar muito.
    Mas essa Nan odeia todo mundo, hein? Misericórdia! hahahaha

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  2. Oooi! Tudo bem?

    Eu desisti da Abbi há um bom tempo já. Li Paixão sem limites e as duas continuações, e não gostei de nenhum. Continuei insistindo porque minhas amigas adoraram, e comecei a achar que o problema era eu, mas não, eu realmente não consigo me envolver na narrativa dela. Pelo visto voce teve o mesmo problema né... Pelo menos alguém concorda comigo! Me sinto muito ovelha negra com minhas amigas blogueiras kkkkk

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie Denise =)

    Leio sempre boas resenhas dos livros da Abby, mas até o momento não tive oportunidade de ler nenhum. Confesso que deu uma pausa em leituras com essa pegada mais hot, porém ainda pretendo da uma chance as obras dessa autora e ver se acabo gostando ^^

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Oi!!
    Gosto muito da história dos livros da autora, mas confesso que a escrita dela, o modo que ela escreve, deixa muito a desejar. A história do Grant é a que me deixa mais curiosa! Espero ler em breve.

    Beijos
    http://leituraentreamigas.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.