Cine Cult: Presságios de um Crime e Como ser Solteira

24/02/2016

Presságios de um Crime | Nota: ★★★★ | Estreia em 25 de fevereiro de 2016
Texto: Diego Barreto | Revisão: Jonathan Humberto


Presságios de um Crime (ou Solace, como eu prefiro) é sobre uma dupla de policiais do FBI que estão investigando uma série de assassinatos e para isso usam a ajuda de um vidente (Anthony Hopkins) para solucionar o caso. A premissa do filme pode parecer simples ou até mesmo boba, porém o filme te prende com o desenvolvimento dos personagens e em toda a sua estética. O diretor (Afonso Poyart) consegue transportar toda a profundidade dos personagens de forma a não perder o ritmo da história em si ou deixar a narrativa extremamente carregada.

A fotografia é o grande ponto de destaque do filme, ela surge por meio de uma ótima composição dos planos e escolhas de takes. As cores escolhidas para compor as cenas são um espetáculo à parte onde cada uma se encaixa de forma perfeita no decorrer das cenas. As atuações estavam todas incríveis com um destaque especial ao Anthony Hopkins e ao Jeffrey Dean Morgan por executarem com excelência seus papeis. Existe um pequeno ponto de lentidão nas cenas de ação (como, por exemplo, os carros não parecerem tão rápidos), mas acredito que seja intencional para passar toda a sensação que o vidente tem nesses momentos de tensão em que ele já conhece o desfecho.

Enfim, Solace é um filme denso, mas que não fica carregado demais. O longa passa tudo aquilo que deseja de forma fluída e com bom ritmo e a fotografia é o grande ponto chave para ajudar na composição do ritmo fílmico.



***

Como ser Solteira | Nota: ★ | Estreia em 25 de fevereiro de 2016
Texto: Diego Barreto | Revisão: Kamila Wozniak


Como ser Solteira conta a história de 4 mulheres solteiras que estão em busca de como viver as suas vidas sem ter alguém do lado. A premissa inicialmente é bem interessante, abre a oportunidade de falar sobre mulheres independentes lidando com suas vidas, porém o filme perde praticamente todas as oportunidades de fazê-lo.

Com personagens rasas em que os maiores conflitos são: “Acabei de terminar com meu namorado”, “Sou uma solitária que quer alguém só para mim, mas ninguém no mundo presta” e assim por diante, deixa outras coisas no filme, que poderiam ser melhor exploradas, de lado, como por exemplo a Meg (Leslie Mann) que inicialmente é uma das personagens mais interessantes, uma mulher mais preocupada com a sua carreira do com que ter filhos ou namorar alguém, e acaba sendo transformada em uma mulher que tem medo de falar para o namorado que está grávida de inseminação artificial.


Existem outros pequenos conflitos como o cara bonitão do bar que está sempre pronto para um sexo descompromissado e acaba não ficando com ninguém, ou a relação da Alice (Dakota Johson) com o ex namorado e com os atuais ficantes, mas todos esses conflitos são explorados de uma forma rasa e sem grandes objetivos.

Não vou ser injusto e dizer que não existe nenhum momento em que a Alice evolui como mulher e como ser humano durante o filme, mas a mudança demora muito para acontecer e quando acontece é muito rápido e tudo de uma só vez. O filme demora muito para se desenvolver e fica maçante de um determinado momento até os últimos 5 minutos do filme.




Um comentário:

  1. Olá Diego, tudo bem?
    Presságios de um Crime, parece ser o tipo de filme que eu curto. Dica anotada e vou assistir assim que possível. Como ser Solteira, é mais uma daquela comédias pra passar o tempo de forma despretensiosa. É outro que também vou querer conferir.
    Ótimo post.
    Abraço.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.