Resenha: Uma chama entre as cinzas #1

04/12/2015


Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. 

No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal, inspirado na Roma Antiga, que Laia vive com seus avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca da ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. 

Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia — e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada — e que suas escolhas podem mudar o destino do próprio Império.

Quando os Máscaras, guerreiros de Blackcliff e que protegem o império, fazem uma batida na casa de Laia, ela perde a família. Os avós morrem e o irmão é preso. Laia sobrevive por fugir e agora a culpa por abandonar o irmão para trás a faz tomar uma atitude desesperada, ela se envolve com a rebelião. Eles decidem ajudar o irmão dela com uma condição, que ela adentre a escola Blackcliff e seja espiã deles. Lá ela terá que investigar uma pessoa especifica, a cruel comandante da escola. Sendo sua escrava, ela estará sujeita a todos os maus tratos possíveis. Só que será em Blackcliff também, que ela conhecerá o Máscara Elias, um garoto que tem um fardo pesado demais para carregar e encontrará na escrava a força necessária para se libertar.

Eu peguei esse livro na empolgação para ler, nunca tinha ouvido falar dele antes de a editora começar a divulgar e uma galera recomendar. Dai eu fiquei 'como assim eu não estava sabendo de nada?'. Quando ele chegou eu logo peguei para ler e a primeira coisa que percebi foi que a protagonista seria das duas uma, ou uma personagem que cresceria muito ao longo da narrativa ou seria uma difícil de gostar. A Laia é uma garota medrosa e se recente disso. Ela queria ser mais parecida com a mãe, que assumia as rédeas das coisas e não baixava a cabeça, coisa que a Laia faz. quase que o tempo todo. Tive dificuldade, admito, em me conectar com ela nesse começo, mas ao longo do livro ela cresce, mesmo que aos poucos, e ai sim eu fui torcendo por ela. Percebi que o potencial dela ainda não foi alcançado, o que pode acontecer na futura (s) continuação.

Que voz devo escutar? A da espiã ou da escrava? A da lutadora ou a da covarde? Achei que as respostas a essas questões seriam fáceis,mas isso foi antes de eu aprender o que é ter medo de verdade.


O Elias é completamente o oposto dela. Ele foi abandonado pela mãe para morrer quando bebê e acolhido por uma tribo que cuidou dele até que os adivinhos levaram-no para Blackcliff, onde ele se tornaria um Máscara. Nessa escola a crueldade é exaltada só que o Elias não aceita isso. Ser um Máscara não é uma honra para ele como é para os outros alunos. Ele não quer ter que subjugar pessoas, aterrorizar ou matar e isso acaba dizendo muito da sua personalidade, que durante o livro todo fica em conflito. Ele foi treinado para isso durante anos, mas não se sente confortável em sua própria pele. Eu digo que ele é o contrário da Laia, porque enquanto ela é passiva o Elias procura formas de sair dessa situação que não lhe agrada, mesmo se isso custar a sua vida.

O livro mistura um ambiente medieval com batalhas, política, crueldade, rebelião, sobrenatural e romance. É um livro que se você parar pra pensar, mistura várias temas e gêneros de uma forma que casa bem e te dá uma experiência completa. A crueldade do livro foi algo que mexeu comigo, principalmente por causa da Laia, que sofre agressões físicas e psicológicas intensas. O Elias não fica atrás com umas provas que ele precisa fazer e com isso eu me senti mal lendo. O sobrenatural é curioso porque são crenças místicas mais parecidas com lendas antigas. Então você tem um império regido por um povo autoritário que consegue com uma arma sobrenatural e mortal subjugar um povo que quer uma revolta. A política fica por conta das estratégias, tem uma parte especial do livro que é toda ministrada nisso.

Laia e Helene: as duas tão diferentes. ... Laia é a dança selvagem de uma lareira tribal, enquanto Helene é o azul frio da chama de um alquimista.


O romance é algo secundário nesse livro, o foco é na busca dos personagens, seja a Laia querendo resgatar o irmão preso ou o Elias por sua liberdade. Eles se encontram na Blackcliff e uma atração acontece, o problema é que ela é uma escrava e ele um guerreiro, o que seria a elite, então não podem ficar juntos. Fora isso, o Elias tem a Helene, uma amiga de infância e companheira de treinamento que sente mais por ele do que amizade. Ele balança por ela também, o que torna tudo uma confusão só, com ele pesando se vale a pena ou não transpor a barreira da amizade. A Laia também tem uma pessoa e ela não se mostra tão confiável no começo, mas pode ser que as coisas mudem. A autora preparou o terreno aos poucos em vários momentos sem concluir, o que novamente sugere continuações.

Ao terminar de ler o livro eu tive a sensação de ter acompanhando a primeira temporada de uma série. Como se os capítulos fossem os episódios e no fim ficasse aguardando ansiosamente a próxima temporada. Eu tô batendo nessa tecla da continuação porque eu li por alto que a intenção da autora não era ter uma sequencia, era para ser um livro único. Só que ela deve ter mudado de ideia no meio do caminho já que tem um monte de coisa que finaliza, mas que precisam de complemento. No site da autora tem a capa do segundo livro só que do ponto de vista da Helene, então eu não sei como será isso porque as estórias foram meio que separadas. O fato é que Uma chama entre as cinzas foi uma surpresa ótima, onde eu entrei de cabeça sem nem saber quem era a autora e me surpreendi em cada momento. Mais recomendado impossível!

Você é uma chama entre as cinzas, Elias Veturius. Você vai brilhar e queimar, devastar e destruir. Você não pode mudar isso. Não pode parar.

www.seja-cult.comUma Chama Entre As Cinzas #1
Sabaa Tahir
Verus Editora: Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Só vi elogios a esse livro, elogios mesmo e só espero ter tempo de ler ele logo. O ruim que vi que foi anunciada uma continuação que ninguém esperava, espero que não estraguem

    Beijos

    Ta rolando sorteio lá no blog, últimos dias, confiram:
    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/2015/11/sorteio-perdido-em-marte-andy-weir.html

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.