Resenha Nacional: 77 Páginas Para Morrer

30/09/2015


A Ratoeira, o mais novo escritório de investigação particular da cidade, tem um novo e intrigante caso: o assassinato de duas pessoas que, aparentemente, estão ligadas a uma frase reveladora de um livro conhecido por muitos, lido por poucos. O caso levará um detetive nada sagaz, formado por cursos a distância, e uma cartomante enrolada, ávida por dinheiro, a recorrerem à única pessoa que pode – e deve – ajudá-los a desvendar o mistério por trás dos assassinatos: você, caro Leitor, que, munido de sua inteligência, bagagem literária, um celular ou computador, pode descobrir toda a verdade antes da 77ª página... Senão...

77 Páginas Para Morrer é um livro interativo, onde o narrador interage diretamente com o leitor, introduzindo-o à estória. Tudo começa de forma bem inusitada. Nosso narrador atropela uma “vaca” na faixa de pedestre, vindo do seu trabalho de call center. Por sorte, a “vaca” não sofre nenhum dano, porém, nosso personagem J.K. de Kasqueira, é obrigado a prestar serviços comunitários para não ir preso.

No asilo, onde cumpre sua pena, ele conhece Madame Tessue, uma charlatã, ou melhor, uma vidente, que também foi obrigada a prestar serviços comunitários. Ao sair da pena, Madame Tessue acaba herdando uma boa quantia de dinheiro e resolve fundar um escritório de investigação, para isso ela chama J.K. para trabalhar com ela e você, leitor, para auxiliá-lo. O escritório passa a se chamar A Ratoeira.

O mistério alimenta a busca pela verdade. Quanto mais misterioso o problema parecer, mais ansioso alguém fica para esclarecer.


Conforme você vai sendo inserido nos acontecimentos, pistas vão surgindo tanto no nome dos personagens, quanto nas frases que o autor vai soltando. Quem tem um contato com a literatura clássica brasileira, com o autor que trouxe o realismo para o Brasil, vai conseguir resolver os mistérios com facilidade. Além dessas frases soltas, temos também o código QR, com áudios muito legais e um quadrinho para acompanhar.

Achei a proposta do livro bem interessante. Você sente que está mesmo no cenário, auxiliando nas investigações e a sensação é de ser um detetive também. Não posso comparar com Agatha Christie, nem Sherlock Holmes, pois nunca li nada desses autores, mas acredito que quem os curte, vai gostar bastante de 77 Páginas Para Morrer. E, mesmo aqueles que não são chegados ao gênero, certamente irão gostar também.

https://www.facebook.com/literaturadeepoca?fref=ts 77 Páginas Para Morrer
Marcelo Almeida
nVersos Editora: Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Oi Naiara!
    Achei a proposta do livro muito curiosa e chamativa.
    Já entrou para minha lista de desejados. Adorei tua resenha, porém fiquei mega curiosa sobre a história. Queria mais detalhes haha
    Beijocas!
    @pirulitolimao | A Garota da Livraria

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.