Resenha: Marca da Escuridão - Marked Series #1

07/09/2015


Amaldiçoada por Deus, caçada por demônios, desejada por Caim e Abel...
Tudo isso em um dia normal de trabalho...


Anos atrás, Evangeline teve uma incrível noite de amor com um homem misterioso que ela nunca mais conseguiria esquecer. Mas aquele momento de prazer tornou-se um desastre de proporções bíblicas: ela recebera a Marca de Caim.


Empurrada para um mundo em que pecadores são marcados e transformados em assassinos de demônios, ela tem agora Caim como protetor e Abel como seu novo chefe, que também fica loucamente atraído por ela. Eva torna-se então o novo e explosivo ponto de discórdia, no caso mais antigo de rivalidade entre irmãos...

Quando Evangeline conheceu Caim ela ainda era uma menina, que se encantou por um homem misterioso e que a marcou para sempre. Passados muitos anos sem vê-lo, ele agora volta para sua vida em outras circunstâncias, que não aquelas envolvendo a sua primeira vez. Seu irmão, Abel, a marcou e agora ela está condenada a matar demônios para se remedir de seu pecado e conseguir tirar a marca de Caim. Envolvida em um mundo que não dá para acreditar, Eva agora não sabe se está mesmo do lado dos mocinhos já que a face de um deles foi a que a marcou e colocou em toda esse enrascada. O que ela mais quer é a sua vida de volta, mas será que voltar a ser normal, compensará o fato de não ter Caim em sua vida?

O livro é em terceira pessoa e acompanha vários pontos de vista, é claro que sendo a protagonista, acompanharemos mais a Eva. Ela é uma personagem ótima, madura, que tem a vida decidida e se vira. É o tipo de pessoa que não espera as coisas acontecerem, ela vai e faz, tanto que no enredo, é a Eva quem impulsiona as coisas a acontecerem. Não sei se entre os irmãos teríamos um bom e ruim, mas o Caim é o melhor entre os dois. Ele é mais sensato, quer proteger a Eva e tem amor por ela. O Abel é pele, é desejo, se bem que ele usa de ser parecido com o irmão para tentar a Eva. Não diria que os dois são bad boys, eu acho que a autora trouxe a sensação de perigo em relação a eles por outros motivos.


Eu já li dois livros da Sylvia, históricos, e me lembro de serem livros com várias cenas de sexo e ter um erotismo bastante marcante. Então, quando eu comecei a ler Marca da Escuridão eu estava esperando encontrar um livro erótico, só que não foi bem assim. Se o livro tiver três cenas de sexo é muito, o foco aqui é outro, no enredo e não nas cenas de sexo. Existe uma tensão sexual gigante entre os personagens, só que isso aparece para balancear um tema complicado, que falo melhor mais para frente. A autora ter escolhido esse caminho foi o que eu mais gostei no livro, tem muito enredo, então você tem bastante coisa para falar sobre o livro e não só que é erótico. O romance ficou até melhor assim, porque provavelmente vai ser trabalhado aos poucos ao longo da série.

Essa questão do romance pode ser um ponto complicado neste livro. Primeiro que a impressão que dá é que temos o famoso triângulo amoroso, mas é preciso ter um pouco de atenção em relação a isso. Não é bem um triângulo amoroso, o Abel força determinadas situações que se fossem em outro contexto não aconteceriam, por isso que entre os irmão ele é o pior. Ele acaba jogando sujo quando o Caim aparenta sentir algo verdadeiro pela Eva. E a reciproca por parte dela é verdadeira, e quando ela cai na conversa do Abel é meio que injusto, só que claro que ela desfruta desse pequeno deslize, embora acabe saindo caro para ela. Mesmo sendo trabalhado de forma secundária às vezes, não tenho queixas sobre essa questão.

Aposto que ele fez fez um grande show enquanto a marcava, não fez? Como foi que ele disse? – ele aprofundou a voz, então rosnou – Carregue a Marca de Caim! 


A minha única ressalva em relação ao livro é quanto ao sobrenatural que ele apresenta. A autora mistura fatos bíblicos com a sua imaginação, é interessante e diferente, só que confuso também. Eu não entendi tudo, são vários tipo de demônios e tem seres que ocupam postos mais altos do que outros e dai eles tramam derrubar o outros e é preciso ter atenção na leitura, porque senão você se perde. O principal eu entendi, a Eva precisa se redimir do pecado que cometeu para se livrar da marca, e acredito que é por esse caminho que sejam os outros livros. Algumas questões secundárias envolvendo personagens não tão importantes assim, também devem aparecer e complementar os próximos enredos.

No geral foi um livro que eu gostei muito de ler, que estava esperando uma coisa e me surpreendi com um conteúdo diferente e bem trabalhado. Não ganhou 5 estrelas no skoob por causa do sobrenatural, mas nem por isso deixei de gostar do livro, recomendar e aguardar a continuação. Acabei esquecendo de comentar algo que deixar por último pode colocar uma pulga atrás da orelha de vocês. O tempo do livro é diferente, ele não começa no presente e você só descobre qual o tempo do livro quando está terminando ele. É nesse momento que você percebe que a intenção da autora é deixar o livro com um baita cliffhanger. Explicando isso acho que vocês vão ler com atenção e ficarão curiosos para saber do que estou falando.

Anjo…. Não se atreva a morrer. Você me ouviu? Eu acabo de ter você de volta, maldito seja…

www.seja-cult.comMarca da Escuridão
Sylvia Day
Faro Editorial: Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Eu sou traumatizada com a Sylvia Day por causa da série Crossfire. ODIEI de coração. Por isso, fico com um pé atrás em qualquer outro livro dela.
    Pela sua resenha, percebi que esse é diferente. Pode ser que eu dê uma chance pra ele
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.