Cine Cult: Um Senhor Estagiário

25/09/2015

Um Senhor Estagiário | Nota: ★★★★★ (Excelente) | Estreou em 24 de Setembro de 2015
Texto: Lucas Simões | Revisão:  Kamila Wozniak


Robert De Niro interpreta Ben Whitaker, um homem viúvo e aposentado que se sente inútil agora que está aposentado, buscando ficar ativo, saindo de casa, lendo jornal, indo a funerais e coisas do tipo. Em uma de suas saídas vê um anúncio de uma empresa start-up de e-commerce chamada About the Fit que vende vestuário. A vaga é para estagiário sênior, ou seja, estagiário idoso, e manda uma apresentação para eles. Ele é aceito, e mais, é designado a estagiar com a fundadora da empresa, Jules Ostin (Anne Hathaway), uma mulher dedicada e apaixonada pela sua empresa que a levou ao absoluto sucesso através do próprio esforço.

No início Jules é totalmente distante, mas o jeito galante e paternal de Ben pouco a pouco vai a conquistando, e sua eficiência no trabalho é o que permite que o contato inicial seja possível. Ben também conquista os colegas de trabalho da empresa, em especial Jason (Adam DeVine), Davis (Zack Pearlman), Lewis (Jason Orley) e Becky (Christina Scherer) por quem Jason tem uma quedinha. Pouco a pouco Ben vai se aproximando de Jules e entrando em sua vida, em sua casa, conhecendo sua filha Paige (Jojo Kushner) e seu marido Matt (Anders Holm), auxiliando cada um em suas necessidades e aconselhando sobre coisas da vida.


No fim Ben e Jules se tornam grandes amigos e a empresa próspera. Talvez pela presença de Anne Hathaway, pelo fato ela estar contracenando com um ator mais velho e ganhador de oscar, fique uma sensação de O Diabo Veste Prada (2006) no ar. A relação entre os dois e o fato de Jules, mesmo sendo a chefe, acabar sendo a estabanada da história que precisa se desculpar pelas mancadas lembra bastante a personagem “modelete” que ela fez quando contracenou com Meryl Streep. Provavelmente Hathaway sempre vai ser essa menina em um corpão de mulher, independente de ser a chefe ou a estagiária.

O gênero do filme entraria naqueles que deveriam ser indicados a Oscar, o gênero “humano”, ou seja, tem um pouco de tudo, comédia, drama, aventura, suspense, etc. Tal como a vida. O roteiro merece menção especial justamente por conseguir mesclar tão bem gêneros de uma maneira que as ações não fiquem forçadas e fluam naturalmente. Os personagens conseguem brilhar sozinhos e em conjunto, com belas atuações, desde as caras e bocas de De Niro até os picos de Hathaway, entre o sério profissionalismo até o melado surto desnorteado da mulher perdida.

Existe um breve ”momento cartão postal”, algo que este crítico não aprova tanto, onde se faz uma breve referência à maravilhosa New York com aquela pitadinha de jazz, pessoas melancólicas, e não deixa de ser uma bela homenagem a uma bela cidade. Querendo ou não foge do filme em si. Mesmo assim isso não compõe algo que justifique chamar esse filme de qualquer coisa além de ótimo. Absolutamente imperdível.




Um comentário:

  1. Esse filme é maravilhoso! Simplesmente uma história envolvente com um elenco top! Amei demais assistir

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.