Cine Cult: Hotel Transilvânia 2

23/09/2015

Hotel Transilvânia 2 | Nota ★★★★ (Ótimo) | Estreia: 01 de Outubro de 2015
Texto: Lucas Simões | Revisão: Kamila Wozniak


O grande sucesso de Genndy Tartakovsky retorna às telinhas alguns anos depois dos acontecimentos do primeiro filme. Mavis, a filha de Drac, finalmente se casa com Jonathan, seu namorado humano e dessa união se anuncia uma criança. Drac fica louco pelo seu neto, seu pequeno vampiro, e está ansioso para poder ensinar a ele tudo o que ele sabe e levar ele aos locais onde ele aprendeu a ser um monstro da noite. Não se sabe ao certo se o filho de Mavis e Jonathan, Dennis, é de fato um vampiro ou não, e até o menino completar cinco anos e suas presas finalmente saírem não se pode saber.

Drac quer que Dennis seja um vampiro, pois não consegue se conectar tão bem com os humanos e ter um neto humano forçaria Mavis a se afastar dele pelo fato de um ambiente repleto de monstros ser muito perigoso para uma criança. Jonathan decide ajudar Drac a tornar a experiência de Mavis no mundo dos humanos o menos impressionante possível, mas ele falha e Mavis acaba descobrindo o plano dos dois. Para ajudar Dennis a soltar suas presas Drac ouve sugestões para pedir ajuda a seu pai, Vlad, mas ele é um vampiro muito antiquado e um clássico matador de humanos. Péssima ideia. Drac só não esperava que Mavis tivesse convidado Vlad para o aniversário de cinco anos de Dennis, só descobrindo isso tarde demais.


O roteiro é bastante original, mesmo tendo alguns elementos conhecidos como o chefe de família que leva a família para viajar, os recém-casados compõem duas famílias completamente diferentes e uma abordagem sobre o preconceito que se mostra na tela de forma bem sutil. O conflito se centra em Drac e sua jornada para ajudar o neto a se conectar com seu monstro interior, e soltar suas presas de vampiro, e nisso entra em choque com o tanto que as coisas mudaram em comparação a quando o próprio Drac e seus amigos eram mais jovens.

Drac se sente distante de seu neto enquanto monstro, e quando vai percebendo que no universo pueril de Dennis monstros são diferentes do que Drac conhece. Para se aproximar do neto e se tornar mais presente e relevante em sua vida, Drac o leva em uma viagem de campo sem o consentimento ou conhecimento de Mavis para que eles fiquem mais unidos. Mavis obviamente não gosta nada disso e se sente traída, ameaçando se afastar ainda mais de Drac e remover Dennis de sua vida de vez. O amor tolo de Drac por seu neto, por sua filha e por ser um monstro se mostra sempre sincero e belo, oferecendo coesão e verdade ao personagem.

A comédia do filme é excelente, enfatizada em expressões exageradas dos personagens, cenas fisicamente absurdas possíveis apenas pelos poderes especiais dos vampiros e boas analogias entre o mundo real e o mundo dos monstros. Com boas doses de drama, ação, comédia e aventura. O filme é um prato cheio para todos os gostos. Recomendado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.