Cine Cult: Hitman - Agente 47

26/08/2015

Hitman - Agente 47 | Nota ★★ (Regular) | Lançamento: 27 de agosto de 2015
Texto: Lucas Simões | Revisão: Kamila Wozniak


Uma adaptação da famosa série de jogos desenvolvida pela empresa dinamarquesa IO Interactive, o filme conta a história de seu famoso protagonista, o Agente 47 (Rupert Friend), enquanto ele tenta impedir que a Sindicate, uma empresa criminosa, descubra como criar mais agentes assassinos iguais a ele. Para tal a Sindicate precisa encontrar um dos cientistas-chefe do projeto, Litvenko (Ciarán Hinds), um cientista russo, vejam vocês, que novidade. Litvenko no entanto desapareceu sem deixar traços após ele próprio destruir o laboratório onde seu projeto estava acontecendo, pois viu o terrível erro que era aquele experimento, e deixou sua filha para trás, sendo ela a única forma de encontrá-lo. A filha, Katia Von Dees (Hannah Ware), que diga-se de passagem é linda, foi geneticamente alterada por seu pai e possui habilidades superiores, que são parte de um segredo interessante do filme.

47 possui a missão de impedir que Litvenko seja encontrado e para isso lhe foram designados dois alvos, após acabar com esses alvos, o experimento jamais poderá ser reiniciado. A Sindicate precisa impedir que 47 seja bem sucedido em sua missão e para isso envia atrás de Katia um dos seus, John Smith (Zachary Quinto), uma espécie de Agente especial modificado mas inferior aos agentes do programa original. O homem por trás do retorno do programa de criação de agentes é o presidente da Sindicate, Antoine Le Clerq (Thomas Kretschmann), que apostou toda sua fortuna no sucesso desse projeto e fará de tudo para que seja reativado.


Para quem assistiu Hitman (2007) a sensação é de que eles reciclaram o roteiro e deixaram a violência apropriada para pré-adolescentes, já que se trata de uma série de jogos de videogame. Existem algumas melhorias. A primeira é o fato de a mulher a ser resgatada, Katia, não ser necessariamente uma donzela em perigo, que está ali apenas pra ser bonita e tropeçar sempre que tiver que correr mais que trinta centímetros de distância.

Outra melhoria é que eles exploram bem o passado de 47 e o humanizam mais sem fugir para o romantismo e buscam uma questão mais familiar, que é mais relevante. Entretanto existem algumas coisas onde o filme tenta acertar mais erra. As cenas de ação são muito bem executadas mas as lutas são meio sem sal porque como se trata de um produto para atender um público infanto-juvenil em sua maioria não tem aquela “violência masculina” que os mais velhinhos apreciam tanto. A graça de alguém levar um tiro é ter aquela cena onde alguém enfia alguma coisa queimando dentro da ferida pra tirar a bala e depois costura. É aí que está a testosterona, entendem? A gordurinha do bacon. Não tem isso. Eles fazem uma coreografia de luta que lembra bastante as lutas de filmes de espião britânicos, que são charmosas, homens de terno lutando, quebrando ossos e sem muita bagunça pra não sujar o terno Armani, mas não convence. Uma luta pra ser britânica tem que durar poucos segundos, os caras saem batendo nas paredes, caindo no concreto, e não rasga a roupa, não bagunça o cabelo, não sai sangue, é fake demais. Enche de zoom nas lutas e de cortes super rápidos que mantém um ritmo frenético de fato, mas você não entende o que está acontecendo e isso desanima bastante.


Os diálogos são legais, bem escritos, os personagens são sólidos e nos conquistam. As resoluções que o roteiro força algumas vezes deixam a desejar, a maneira como os personagens descobrem as coisas, onde Fulano vai estar, olhando pra um mapa que não tem nada escrito, é preguiçosa. Esse era o tipo de coisa que faria o espectador sentir que está em um filme de espião de fato, se sentir como um espião, mas o espião meio que descobre as coisas como se a plateia estivesse gritando pra ele “Fulano tá em tal lugar”. Isso tira a força do roteiro. Apesar disso o filme possui bons momentos, mesmo que esses momentos não sejam momentos de ação.

Esse filme, pra este crítico, só possui uma relevância para ter sido feito se ele for introduzir um personagem novo na série de jogos, que aqueles que assistirem vão saber qual é. Fora isso é um filme bem ruim.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.