Resenha de Ouro: Anne de Green Gables

01/07/2015


Tudo parecia confortável demais na vida dos irmãos Matthew e Marilla Cuthbert, mas o coração de Matthew começou a dar sinais de que a idade lhe havia chegado. Decidiram, não antes sem muita ponderação, adotar um menino, de uns onze anos, para que pudesse receber educação apropriada e ser o ajudante de Matthew. Mas, a mão da Providência já havia agido na vida deles, e através de um erro de comunicação, uma menina ruiva, tagarela e sardenta ocupou o lugar do menino.

Anne, assim que chegou a Green Gables, fica sabendo do engano, mas com sua imaginação fértil e conversa afiada, já havia conquistado o coração de Matthew. E assim começa a história de suas aventuras fascinantes, com sua “amiga do peito” Diana, e sua competição com o inteligente e perspicaz Gilbert Blyhte. À medida que Anne foi aceita em Green Gables, ela conquista também a admiração de toda a cidade de Avonlea e o encanto do seu mundo de sonho e imaginação se espalha e vai contagiar você também.

Anne de Green Gables é o primeiro de uma série de oito livros, narrado em terceira pessoa, que conta a chegada da pequena Anne Shirley à fazenda de Green Gables. Quando os irmãos Matthew e Marilla Cuthbert, já sentindo a idade chegar, resolvem adotar um menino para ajudar no trabalho; ao buscar o garoto na estação, Matthew se depara na verdade com uma menina. Não podendo mandá-la de volta para o orfanato, ele decide que o mais sensato é levar a pequena consigo, esperando poder desfazer o engano no dia seguinte. Durante o trajeto, Anne Shirley vai se mostrando uma menina encantadora, faladeira e cheia de uma imaginação incrível e fértil.

Inicialmente Marilla, uma mulher áspera e cética, fica extremamente brava com o engano, entretanto, ao conhecer a história de vida da Anne, e ser conquistada por seu jeito simples e enérgico, ela resolve cuidar e educar a menina. Marilla se mostra ser uma mulher bem fria, enquanto Matthew se mostra ser um homem bastante tímido, mas logo Anne sente que ela e ele são almas gêmeas (num sentido que só a Anne é capaz de dar às palavras), e consegue derreter o gelado coração de Marilla.

 A metade do prazer que há nas coisas é aguardar ansiosamente por elas.


Ela começa a frequentar a escola e acaba conhecendo Diana, que de cara se torna sua melhor amiga. Conhece outras pessoas também e entre elas, ela conhece Gilbert, um garoto que gosta de perturbar a paz das meninas. Anne tem um grande complexo com a cor de seu cabelo, pois não gosta de ser ruiva, então, quando Gilbert Blythe a chama de “cenourinha”, ela o toma por inimigo e ambos seguem numa disputa de inteligência, Anne esforçando-se para superá-lo em conhecimento.

Anne é uma personagem maravilhosa, e sempre encontra lugar para imaginação, pois é dessa maneira que ela consegue se refugiar das situações mais difíceis, tornando-as mais agradáveis e leves. Claro que essa maneira de Anne não é aprovada pelos mais velhos que acham tanta imaginação uma bobagem, mas ela acaba mostrando como tudo fica mais romântico quando usamos nossa mente para deixar tudo mais bonito. Já Diana, sua melhor amiga, é uma menina um pouco mais tranquila, porém não hesita em embarcar nas aventuras junto com a amiga.

Porque quando se está imaginando, sempre se pode imaginar algo que valha a pena.


Quem gostou de Polyana e Heidi, vai amar Anne de Green Gables. Eu digo que essas três heroínas são parentes distantes, mas ainda acho que, de todas, a Anne é um pouco mais cativante, talvez pelo fato de que ficamos muito mais tempo com ela e vamos vendo sua evolução, pois Anne vai crescendo diante dos nossos olhos e acompanhamos essas mudanças de perto, como se ela estivesse bem aqui do nosso lado. A diagramação das páginas está realmente muito bonita, a tradução muito primorosa, e eu espero de verdade que venha mais de Anne para nós e me pergunto como pude passar tanto tempo sem ter conhecimento da existência desse grande clássico! Esse é certamente um livro que indico a todos, pois todos os leitores merecem a experiência de ter um pouco de Anne Shirley em suas vidas.

Quando as coisas começam a acontecer, estão sempre aptas a seguir acontecendo.

https://www.facebook.com/literaturadeepoca?fref=ts Anne de Green Gables
L.M. Montgomery
Editora Pedrazul: Twitter/Facebook

2 comentários:

  1. Oi, Naiara! Oi, Denise!

    Ah, adoro esses clássicos. Aliás, a editora Pedrazul é tão linda, tenho vontade de comprar o catálogo todo, mesmo se eu já li o livro, rs.
    Ainda não "Anne de Green Gables", mas espero fazer isso em breve, pois gostei bastante da história e da sua resenha.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Naiara,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui no blog, gosto muito do gênero e a história parece muito boa, dica anotada.

    Beijos.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.