Resenha: Vango - Entre o Céu e a Terra #1

22/06/2015


Salvar a pele e, ao mesmo tempo, descobrir a própria identidade. Este é o grande desafio de Vango, o jovem herói do novo romance do escritor francês 'Timothée de Fombelle'. Ao ler esse thriller histórico, ambientado no conturbado período entre as duas grandes guerras mundiais, somos impelidos a fugir com Vango pelos cinco continentes, num clima de absoluto perigo e suspense. Este rapaz órfão de 19 anos desconhece sua origem assim como desconhece a motivação do franco atirador que, além da polícia, está em seu encalço.

Deparamo-nos com Vango na solenidade em que ele e outros seminaristas seriam ordenados padres na suntuosa catedral de Notre-Dame, em Paris. O assassinato do padre Jean, seu protetor, desencadeia a perseguição ao rapaz, que empreende uma fuga espetacular ao escalar nada menos do que os famosos vitrais da catedral. Essa cena é apenas um exemplo do clima de perseguição e aventura de que é feita toda a narrativa, quando acompanharemos nosso protagonista em situações e lugares improváveis - como um intruso escondido num caça da SS, galopando nas Terras Altas da Escócia, dependurado num vulcão italiano ou sobrevoando o Brasil e vários outros lugares num zepelim.

O fracasso em não ter sido ordenado padre deixa nosso herói arrasado, mas a jovem Ethel fica bem feliz. É ela quem vai ajudar Vango a provar sua inocência e descobrir sua identidade. Também fazem parte da saga outros personagens marcados por vidas cheias de segredos, como Mademoiselle, a Senhora Poliglota e sem memória com quem Vango é salvo do naufrágio na costa da Sicília aos três anos de idade e Hugo Eckner, personagem verídico, comandante alemão do Graf Zepelin, esse grande dirigível que fascinou o mundo nas primeiras décadas do século XX. Outras personalidades incorporadas à história são Joseph Stalin, sua filha Svetlana e Adolf Hitler.

Vango é um livro que foi divido em dois volumes, sendo o primeiro Entre o Céu e a Terra tendo sido lançado recentemente pela editora Melhoramentos. Tudo começa quando Vango, um jovem de 19 anos, que está prestes a ser ordenado padre, vê sua cerimônia e a de seus colegas interrompida por agentes que tencionam prendê-lo pelo assassinato do padre Jean. Apesar de ser inocente, Vango acaba fugindo, temendo pela própria vida. Uma confusão começa, tiros são ouvidos e, furioso, o delegado Boulard faz de tudo para achar Vango e descobrir a identidade de quem disparou os tiros.

Nesse ínterim, uma jovem muito linda, escocesa, com o nome de Ethel, aparece para ajudar. Entretanto, a jovem não revela nada sobre Vango, pois também teme pela vida dele. Sendo assim, Boulard vai atrás de pistas, personagens e mais personagens vão surgindo, e ele descobre que, apesar de muitos conhecerem Vango, ninguém sabe de nada sobre seu nascimento.

Nesse instante compreendeu o que o padre lhe tinha dito. Antes de tudo era preciso ver o mundo. Ele sentiu o poder de um rápido encontro. Vidas que se afetavam com apenas um esbarrão, porque passam uma pela outra com mais ímpeto.


Bem, tudo que sabemos sobre esse personagem é que, quando muito pequeno, ele foi salvo de um naufrágio com Mademoiselle, uma mulher poliglota com muitos segredos, e que acabou sendo criado numa ilha onde se meteu em muitas aventuras e, em uma delas, acabou conhecendo Akudah, uma ilha “invisível”, cuidada pelo padre Zéfiro, um personagem de suma importância, mas vocês terão de ler para descobrir o motivo. Vango também acaba conhecendo Doktor Eckener, comandante do dirigível, o Graf Zeppelin, onde acabou viajando por um longo período, passando por vários lugares, incluindo o Brasil, pois há na narrativa algumas citações ao país (muito orgulho).

Confesso que desde que vi o book-trailer do livro, tive uma grande curiosidade em lê-lo. Imaginei que fosse bom, mas estou certa de quem “bom” não é uma palavra que faz jus a essa leitura que é na verdade maravilhosa. A obra mescla ficção e realidade, de uma forma que te prende. Cada personagem tem seus segredos e todos eles vão se entrelaçando. Tenho que dizer que o Vango mesmo é um personagem que pouco aparece, ou melhor, tem poucos momentos físicos no livro, mas tudo acaba girando em torno dele, e você vai descobrindo uma coisa aqui e ali.

Pequenos milagres podem acompanhar grandes desgraças. Era isso o que Vango sempre pensara. Bastava ter confiança.


Tenho que dizer também que amei a forma como tudo pareceu se encaixar, e como, apesar de ser um livro juvenil, ele de certa forma nos traz consciência sobre aspectos difíceis da história, como a passagem de guerras importantes, onde inimigos foram obrigados pelas circunstâncias a tornarem-se amigos, descobrindo o lado humano que esses confrontos tentam camuflar uns nos outros; a opressão de Hitler, que controlava tudo, usando o personagem verídico de Hugo Eckener, que não apreciava a ideia de que seu Graf Zeppelin servisse de símbolo nazista, já que era totalmente contra esse regime, e tudo isso de forma suave, porém muito reflexiva.

A diagramação do livro está mais que um primor, as letras têm uma cor especial, há imagens muito legais de personalidades conhecidas e eu reconheço que viciei no cheirinho das páginas! Enfim, Vango é um livro que vale muito a pena ser lido, mesmo aqueles que não curtem uma narrativa mais voltada para aventura e mistério, devem dar uma chance a essa bela obra. Acredito que o investimento da editora tenha sido certeiro e estou torcendo para que um grande público seja alcançado e eles lancem o segundo volume para que eu possa me deliciar ainda mais com a escrita de Timothée de Frombelle, pois com certeza, com sua forma mágica de escrever, ele se tornou um dos autores contemporâneos favoritos.

Num instante, todo o absurdo da guerra se revelou aos quatro. Se combatentes podiam se conhecer à beira de um campo de batalha transformando em cemitério e partilhar uma lembrança tão frágil e tão fugidia quanto o rosto de uma moça, tudo era possível. 


Vango - Entre o Céu e a Terra #1
Timothée de Fombelle
Editora Melhoramentos: Facebook

Um comentário:

  1. Olá Naiara,

    Esse livro está na minha lista de desejados, se já estava curioso antes imagina depois da sua resenha....kkkk....não vejo a hora de ler...bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.