Resenha Histórica: O príncipe dos Canalhas

11/06/2015


Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...

Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.

Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.

Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Rejeitado pelo pai desde cedo, por ser filho de uma mulher que ele não considerava a sua altura e ter herdado a aparência feia dela, Lorde Dain ao invés de contornar a situação a assume para si. Ao invés de superar isso com calma e sobriedade, ele vai para o lado de 'já que eu estou sendo acusado disso, vou fazer os crimes pelo menos' e se torna o homem mais odiado e temido de Londres e Paris. Ele verdadeiramente assume as roupas de Belzebu e gosta disso, gosta das pessoas temendo ele, menos uma mulher, Jessica. Assim que viu Dain em uma loja de antiguidades Jessica sabia que estava lidando e avaliando algo de valor, valor apenas para ela como bem sabia, mas mesmo assim, digno de atenção. Os dois então começam uma luta para ver quem cede aos desejos do outro, só que ambos gostam demais dos embates para qualquer um sair perdedor.

O livro acompanha em terceira pessoa os protagonistas Dain e Jessica. Vou começar falando pela Jessica porque é mais fácil. Ela é uma mulher considerada solteirona, só que isso não a abala, ela tem planos e pretende realiza-los por ela mesma. É uma protagonista que lida com os homens, de uma forma geral, com o pulso firme, que não se deixa ser submissa, mesmo sendo o caso para a época. Só que com um certo homem, as brigas se tornam mais intensa e interessantes, é o caso do Dain ou Belzebu. Gente, que nome é este? A personalidade dele acaba sendo implacável quando quer alguma coisa. O Dain é pratico, não faz por bem eu obrigo a fazer. Ele tinha tudo para ser um desastre dessa forma, mas a autora o construiu com um coração precisando de amor, e para as mulheres é difícil não tentar ajudar um homem assim.

Ela se sentia pesarosa por achar Belzebu adorável, mas não conseguia evitar. Desejava ardentemente subir em seu colo e cobrir de beijos aquele rosto malvado.


O que me chamou a atenção nesse livro primeiro foi o fato das pessoas recomendarem ele 100%. Sem brincadeira, eu não vi UMA pessoa que não tenha gostado dele. E segundo foi o protagonista ser chamado de Belzebu, fiquei imaginando como que uma mocinha poderia se envolver com um cara com uma reputação dessas. A jogada da autora foi não ter uma mocinha. A Jessica é tudo, menos uma mulher convencional. Quando vocês lerem também vão entender que, na verdade, esse Belzebu tem várias razões para ser assim e isso tudo não passa de uma necessidade de afeto e atenção. A Jessica, sendo uma mulher esperta, percebe que por baixo dessa casca assustadora tem um homem que pode faze-la feliz e melhor, deixar sua vida muito mais divertida e agitada.

O relacionamento da Jessica com o Dain é engraçado por causa das lutas e pelo medo que ele tem dela. O Dain não sabe o que fazer com uma mulher que acha ele bonito, sendo que a vida toda ele foi rejeitado pela sua feiura. Esse é um fato que ficou um pouco nebuloso na obra. O Dain é feio mesmo ou era bonito só que não percebia? Acho que a ideia da repugnância estava tão incrustada nele que isso acabou não o deixando ver quem ele realmente era. Na parte hot eu achei ele um pouquinho mais erótico do que os outros históricos. As cenas são detalhadas, não demais, e como tem uma tensão entre os dois, isso foi abordado também. Os dois tem química e como a autora colocou não ficou exagerado, combinou com um personagem que não gosta de si mesmo tendo que se esquivar de uma Jessica que adora o que vê.

Ao contrário do que as pessoas estavam comentando, esse livro faz parte de uma série, ele é o terceiro. Acredito que ele não tenha ligação com os outros, mas no skoob está marcado como sendo parte de uma série. Isso não me incomoda porque é muito difícil um romance histórico ter ligação com outros livros, geralmente ele fecha nele e o próximo conta sobre um irmão, amigo e coisa do tipo. Eu ficaria muito feliz se tivessem outros canalhas como esse da Loretta, porque me diverti demais com o Dain e a Jessica. Quando os personagens são interessantes e você se empolga com a narrativa, a leitura voa. Peguei em um dia terminei no outro querendo mais. Foi uma surpresa engraçada e positiva, super, no meio de tantos históricos fofinhos que eu tenho lido ultimamente.


Não imagino como a situação possa piorar. Já estou encantado pio essa dama provocante, presunçosa, de língua afiada a quem os homem seguem como se fosse um cachorrinho.


www.seja-cult.comO Príncipe dos Canalhas - Série Canalhas #03
Loretta Chase
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. eu amo de paixão romances de época e ja estou louca para ler esse! só esperando meu exemplar chegar, aguardo ansiosa para curtir tanto quanto você!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que maravilhoso! Vou procurar já pra ler! :D

    Blog: www.maquiagenseseusafins.com.br/
    Fanpage: https://www.facebook.com/MakesAfinsByIathilaMarques

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Belzebu é mesmo um nome estranho...haha'
    Ainda não li esse livro, mas estou com ele na fila de espera, e mal vejo a hora de começar a leitura. Adoro personagens femininas com pulso firme e forte, personagens submissas são um saco, né?! Não sabia que ele fazia parte de uma série, nem que era o terceiro *~*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.