Resenha: A transformação de Raven - Noites em Florença #1

06/04/2015


Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas. Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus.

Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia. Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam. 

A transformação de Raven marca o início da série Noites em Florença, cujos personagens foram apresentados em O príncipe das sombras.

A transformação de Raven começa uma nova série do autor Sylvain Reynard, só que dessa vez sobrenatural. Ainda envolvendo a Itália e um pouco de arte, neste temos a Raven como protagonista. Uma restauradora que quando ajuda um mendigo a não ser espancado, acaba entrando num mundo sombrio. Quem lidera esse mundo, pelo menos em Florença, é o Príncipe, que a muito não vê seu coração, se é que ele tem um, ser alcançado por alguém. Raven acaba chamando a atenção desse homem, que tem muitos mistérios e um 'vida' violenta, mas vai tentar resistir de todas as formas. Mas para quem passou a vida não sendo notada e sem despertar o apresso de quase ninguém, vai ser difícil para ela resistir a essas investidas.

Narrado em terceira pessoa, A transformação de Raven acompanha os protagonistas Raven e Príncipe. A Raven foi uma personagem que eu amei conhecer e bem diferente das mocinhas que lemos em romances com teor sensual. Eu sei que a moda são as mocinhas que não chamam a atenção, mas quando descritas são perfeitas sim, só não sabem disso; não sabem até o cara ir lá e dar atenção para ela e tudo acontecer. Aqui a Raven tem uma deficiência, que a faz ter as feições e o corpo gordinho e por causa disso acaba não despertando o interesse de nenhum cara. Então quando o Príncipe nota ela, percebemos que ele se interessa além da superfície, pela aparência e por quem ela é de verdade. E ela é uma mulher forte, que apesar dos obstáculos, vence naquilo que deseja e não usa a deficiência como uma forma de cortar caminho.

-Você vive em um mundo estranho.
-Não mais que o seu. Só que no meu, todos são vilões.


Tivemos um primeiro contato com o Príncipe naquele conto de introdução da série, mas nesse livro o conhecemos mais profundamente. Não vou dizer que ele é um homem perfeito, embora seja na aparência, mas esse fato é algo que eu gosto, o equilibro entre a imaginação e realidade. O fato dele não ser perfeito na sua personalidade o torna mais real, mesmo que ele seja um ser sobrenatural. A personalidade dele é implacável, cruel até. Vale ressaltar que ele é o responsável pela província de Florença e comandar um principado requer pulso filme em muitos momentos. O Príncipe lida o tempo todo com a questão de humanidade, aceitação em ser o que é e isso acaba fazendo com que a gente oscile entre gostar ou não dele. Eu gostei, mas tem partes que ele mata e é arrogante sem necessidade.

O sobrenatural que o autor cria nesse livro tem pontos em comum com outros livros do gênero e coisas novas. Acho que não é novidade para ninguém, e pela sinopse dá para entender isso, que o livro é sobre vampiros. Sim, é um tema batido até pouco tempo (repararam como deu uma diminuída em livros com vampiros?), mas que do modo como o autor colocou, sendo um ponto por vezes secundário, não me incomodou e me fez achar mais um entre tantos. Ele colocou os vampiros como seres cruéis, territorialistas e sem qualquer tipo de humanidade. Existem algumas cenas de ação envolvendo esses seres, o que tirou um pouco o foco do romance e deu mais uma possibilidade para o livro. Há uma conspiração e uma guerra surgindo e muito provavelmente estourando ai pelos próximos livros.

Raven, se eu fosse capaz de amar alguém, seria você.


Em todos os livros do Sylvain Reynard eu comento que ele me pega pelo contexto histórico, sem isso o livro seria um outro romance qualquer, mas ser envolvida no mundo da arte vale totalmente a pena. Nos livros sobre o Gabriel tínhamos um contexto mais acadêmico e aqui a protagonista já passou dessa fase e é uma restauradora de quadros, então vamos ser inseridos nesse mundo artístico e aproveitando que o Príncipe também tem interesse pelo assunto. Os livros do Sylvain não chegam a ser eróticos, mas possuem sim uma sensualidade que a gente consegue imaginar as coisas acontecendo. Para os que não gostam de todos os detalhes sendo narrados é uma boa pedida, já que uma pitada de hot é sempre bem vinda. A química dos protagonistas é ótima e relevem algumas cenas de mimimi da Raven sobre esse assunto, é compreensível dado o que ela passou com outros homens.

Antes de dar as considerações finais, os personagens da trilogia O inferno de Gabriel aparecem aqui e num tempo que é depois do livro final da trilogia. Tem gente que não vê problema nisso, mas acho bom avisar por que vocês vão pegar cenas dos livros anteriores. Esse autor me conquistou com os livros anteriores e com esse não foi diferente. Comecei a ler A transformação de Raven num sábado as 8h e só parei no domingo meio dia, tinha que ler as mais de 400 pgs por que estava completamente envolvida com o enredo. Os personagens tem consistência, uma inteligência diferenciada que transpassa pelos diálogos e nos faz ter vontade de conhecer mais o que eles estão falando. Sem contar a cidade, Florença, e obras de arte que conhecemos. Já recomendava tudo dele e com esse vai pelo mesmo caminho. Ótima leitura.

Sob muitos aspectos, somos um par perfeito. Vemos um ao outro como realmente somos, mas nenhum dos dois considera o outro defeituoso.

www.seja-cult.com A transformação de Raven - Noites em Florença #1
Sylvain Reynard
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook


2 comentários:

  1. Pelo jeito além de romance tem muita arte né?!!

    Diferente e confesso que fiquei envolvida nisso. Gosto assim!!!

    Acho que vou ler heim... Acho que você me convenceu... rsrsrs

    Bjkssss

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uma historia fantástica, uma leitura deliciosa.

    Fiquei em êxtase ao ler o livro...

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.