Cine Cult: Vício Inerente

08/04/2015

Vício Inerente // Nota: 4 estrelas // Estreia: Sem data de lançamento 
Texto por: Ana Marta // Revisão por: Jonathan Humberto

"Num mundo louco, divertido e psicodélico traz a melhor interpretação de Joaquin Phoenix como um hippie anormal". 


Adaptação do homônimo de Thomas Pynchon que conta a história do detetive particular Doc Sportello (Joaquin Phoenix), que investiga o desaparecimento do grande milionário Michael Z. Wolfmann (Eric Roberts), tendo que lidar com o sumiço da sua ex-namorada Shasta Fay Hepworth (Katherine Waterston). Vício Inerente já se mostra um filme para um público mais reservado e foge um pouco do "cinema comum". Então, vá com a mente aberta e sem compromisso de querer algo despretensioso (primeiro filme que vejo do diretor Paul Thomas Anderson, então não irei comparar com qualquer obra que ele já fez nos cinemas).

O roteiro escrito por Paul Thomas Anderson traz um universo fantástico, colorido e psicodélico para o protagonista Doc Sportello (Joaquin Phoenix), porém não entregará assim de bandeja a melhor fatia do bolo sobre o detetive e os coadjuvantes. Aos poucos você vai descobrindo mais sobre ele, assim que se passa aparição da personagem Shasta Fay Hepworth (Katherine Waterston), só mais a frente, vai surgindo novos sub-tramas e a própria personalidade de Doc vai ganhando formas extremamente absurdas e anormais.


Já do segundo ato para o terceiro temos um patamar de desenvolvimento da narrativa em outro nível e que vai testá-lo de todas de maneiras. A primeira coisa que já se nota é a apresentação/aparição de vários personagens secundários e alguns que fazem pontas pequenas em partes da história. Isso incrementa e aumenta mais a loucura do roteiro e do universo do detetive. Sem mencionar a quantidade de diálogos longos referentes aos casos policiais, sexo e drogas quase o tempo todo do filme. O que pode ser o grande vilão (na minha parte, acabei não admirando alguns pontos da trama) ou pode ser excelente para alguns espectadores, é o excesso de personagens e o sub-tramas que vão aparecendo no enredo. Deixando algumas partes da narrativa um pouco confusa e desconexa, sem aquele roteiro linear e bonito que o público é acostumado a ver nos cinemas (é proposital, afinal o diretor quer testar a sua mente e ver se consegue acompanhar/desvendar os mistérios que o enredo apresenta).

Outro detalhe que pode afastar o espectador e até sair da sala de cinema, é a questão da duração do filme de 2h 29min. Confesso que amo filmes de 2 horas ao invés do convencional de 1 hora de filme. Porém há longas que conseguem estender certos pontos da história ou o roteiro não ter muita ação e picos que possa trazer um ritmo mais agradável. Vício Inerente tem momentos excelentes de ritmo, mas chega um ponto que acaba cansando porque não acontece nada. Por um único motivo, não haverá muita ação. Apenas diálogo e diálogo, e mistérios atrás de mistérios sobre o caso de desaparecimento dos dois personagens (ainda com mais sub-tramas para confundir um pouco o público). Então, se pensou que este filme seria aquela ação frenética....esqueça e vá procurar outro filme menos cabeça.


Quanto à escalação de atores/atrizes em Vício Inerente, vamos dizer que só tem feras nesta produção. Porém o foco é para o ator Joaquin Phoenix como detetive Doc Sportello, dando um show de interpretação. Tem momentos que nem parece ele no papel, fazendo umas expressões corporais e faciais que o ator transmite tão bem ao seu personagem. Não pensaria em nenhum outro ator que possa ter trazido o detetive neste filme porque Joaquin Phoenix consegue absorver bem o que o diretor quis passar e convencer cada minuto da trama. Não é só ele que traz uma excelente performance ao longa, atores como Josh Brolin como Lt. Det. Christian F. "Bigfoot" Bjornsen, Owen Wilson como Coy Harlingen, Katherine Waterston como Shasta Fay Hepworth, Reese Witherspoon como Deputy D.A. Penny Kimball, Benicio Del Toro como Sauncho Smilax e Jena Malone como Hope Harlingen são fantásticos.

Tenho que destacar também a interpretação de Owen Wilson que se mostrou versátil ao sair um pouco das comédias e conseguir equilibrar a sua atuação em produções mais sérias. Assim como a atriz Reese Witherspoon que vem surpreendendo ainda mais nas produções reservadas. Sãos atores excelentes e se encontram bem em grandes produções; quanto a Katherine Waterston, é outro ponto em Vício Inerente. Sua presença não é 100% no filme, mas a sua personagem tem uma presença marcante na história e no próprio protagonista. Não posso esquecer do Josh Brolin que tornou meu favorito do momento, não tem como não rir ou se emocionar com seu papel em Vício Inerente. Sem palavras, VEJAM ESTE FILME!!!



5 comentários:

  1. 2h30 eu acho um longo filme, mas se vale a pena, certamente me faz ficar sentada assistindo, sem dúvidas.
    Fiquei curiosa para ver esse.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta de filmes muito longo, vai gostar desse aqui. A única que incomodou que ele é bem paradinho, porém é de propósito :D

      Obrigada por comentar, Desbravadores de Livros.

      Excluir
  2. Olha eu não conhecia esse filme, mas fiquei bastante curiosa para assistir
    porque adoro conhecer coisas diferentes. Espero ter a oportunidade de assistir assim que puder, porque tenho certeza que irei gostar. =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/resenha-miley-cyrus-she-cant-stop.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único problema que esse filme não lançou totalmente nos cinemas brasileiros, mas vamos torcer para sair logo.

      Obrigada por comentar Silvana Sartori :D

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.