Resenha: As cores do Entardecer

23/03/2015


A sonhadora Isabelle e o determinado Robert desejavam, com todas as suas forças, se entregar à paixão que os unia. Mas uma jovem branca e um rapaz negro não poderiam cometer tamanha ousadia em plena década de 30, em uma das regiões mais intolerantes dos Estados Unidos, sem pagar um preço muito alto. Diante dos ouvidos atentos da cabeleireira Dorrie, a história do amor trágico e proibido se desdobra, enquanto mudanças profundas se instalam em sua própria vida. 

Com personagens humanos e, por isso mesmo, memoráveis, As Cores do Entardecer mostra que as relações afetivas muitas vezes são mais profundas que os laços de sangue. A cada etapa da viagem de Isabelle e Dorrie, as lições sobre otimismo e fé se multiplicam. 

As Cores do Entardecer é uma história que se passa em dois tempos: os dias atuais e o ano de 1939. Os dois tempos são narrados em primeira pessoa, todavia quem narra os dias atuais é Dorrie e quem narra os acontecimentos de 1939 é miss Isabelle.

Dorrie é uma mulher negra, divorciada, que trabalha como cabeleireira, tendo montado seu salão de beleza. Ela conhece Isabelle antes de ter o próprio negócio e ambas acabam se tornando amigas. Por esse motivo, Isabelle, que considera Dorrie quase como uma filha, a pede para que faça uma viagem com ela, pois tem um funeral a comparecer em um local longe de sua cidade. No meio da viajem, Isabelle vai contando a Dorrie tudo sobre sua juventude.

Isabelle narra como se apaixonou por Robert, um homem negro, filho da empregada da família. Tudo começa quando ela escapa para uma festa. Lá ela conhece um rapaz que a leva para o terraço. Já é tarde quando ela percebe que ele não tem boas intenções, entretanto, Robert aparece para salvá-la e a acompanha, levando-a até o limite da cidade, pois negros não podem ser vistos na rua durante a noite, por uma lei da cidade que proibi sua circulação. Depois desse dia, uma faísca se acende entre os dois e, mesmo sabendo ser proibido, ambos não conseguem evitar o sentimento que vai crescendo dentro deles.

 O Coração é um inquilino exigente; com frequência apresenta argumentos fortes contra o bom senso.


Os personagens do livro são muito bem construídos, Dorrie é muito divertida e, apesar dos vários problemas que enfrenta em casa com seus filhos, do medo de relacionamentos que carrega consigo, é uma mulher alegre e forte. Isabelle em sua velhice se apresenta como uma mulher fina, inteligente e decidida, não muito diferente da Isabelle jovem, que carrega as mesmas características com a única diferença de que, sendo ainda uma adolescente, seus pensamentos ainda não estão totalmente amadurecidos, apesar de não demonstrar infantilidade.

 O livro é realmente fantástico e ao mesmo tempo triste, pois ficamos conhecendo a forma deplorável como era a divisão entre negros e brancos, e todas as dificuldades que enfrentavam, tendo de se submeter a leis injustas. Nós nos admiramos com a coragem dos protagonistas que, apesar de todos os problemas, tentam viver um amor que, dado à época, parece impossível.

As Cores do Entardecer não se trata apenas do preconceito e da dificuldade do relacionamento entre brancos e negros, mas também nos ensina muito sobre família, a como lidar com nossos problemas. Um livro lindo, apaixonante e comovente que vale a pena ser lido, pois só têm a nos acrescentar.

As cores do entardecer - Lembranças de um tempo que não terminou.
Julie Kibler
Editora Novo Conceito: Twitter/Facebook
https://www.facebook.com/literaturadeepoca?fref=ts

6 comentários:

  1. Amiga terminei de ler esse livro hoje e tenho que confessar que ele mexeu bastante comigo em todos os sentidos da palavra. É realmente um livro FANTÁSTICO como você mesma disse. Eu acho que para mim foi um dos melhores que li em 2015, porque a história em si foi muito bem abordada pela a autora e sinceramente ela já tem uma fã. Adorei a maneira como ela escreve e também como ela soube criar seus personagens de uma maneira tão perfeita. Eu fiquei absolutamente presa ao livro do começo ao fim. É simplesmente maravilhoso e todos deveriam ter a oportunidade de ler. Esse é um livro que sem dúvida eu irei presentear alguém, porque o romance por si só é algo que me agradou muito.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/03/resenha-labirinto-de-espelhos.html

    ResponderExcluir
  2. a capa esta um primor! ja chama a atenção de longe!
    adorei!
    tem algo de especial que me atrai
    Quando der, de uma passada no blog, adorarei sua visitinha!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Naiara,

    Esse livro esta na minha lista de espera de leituras, se já estava curioso antes imagina agora depois da sua resenha...ótima dica....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nai.
    Que bom que o livro é bem gostoso de ler com personagens bem construídos.
    Eu solicitei esse livro da editora, só não sei se irei receber porque não recebi. Não custa nada aguardar. Estou ansiosa para ler.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  5. Oi Naiara,
    Esse livro parece ser muito emocionante. É difícil imaginar como era a vida nesta época, com tantas limitações e preconceitos. Adorei a dica!!
    Beijos,

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Naiara,
    Gosto de livros, que misturam o passado e o presente e pela sua resenha a trama parece ser comovente e marcante. Dica anotada!!

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.