Resenha Nacional: A Bandeja - Despertar #1

20/02/2015

Resenha feita pela Naiara Pinto.


A Bandeja - Aos 18 anos, Angelina está prestes a viver o maior desafio de sua vida até agora: sair de Petrópolis para estudar no Rio de Janeiro, deixando para trás os cuidados e a proteção de seus pais. Assim que se instala na república de estudantes e começa a assistir às aulas, a jovem percebe que as dificuldades serão muitas. Ela divide um quarto com uma colega desorganizada, frequentadora assídua de festas e chopadas e que vive cercada de más companhias. Além disso, as condições das instalações da faculdade são precárias, e grande parte dos professores, descomprometida. Angelina já está desanimando de sua nova vida quando esbarra no lindo Alderico ou Rico , um cara capaz de fazer qualquer garota perder o fôlego. O que ela não poderia imaginar era que Rico, seu professor de linguística, se interessaria por ela também.

Deslumbrada com a descoberta da paixão e certa de que Rico é seu grande amor, Angelina se joga de cabeça nessa relação, ignorando todos os conselhos que recebera dos pais a vida toda. Ao mesmo tempo começa a ter sonhos que não consegue entender: homens lhe oferecem objetos numa bandeja e, logo depois que ela os aceita, eles se transformam em feras e somem numa floresta. Primeiro volume da série Despertar, A bandeja é um romance arrebatador, que retrata os dramas e as provações pelos quais qualquer jovem passa quando se afasta de sua essência até trilhar de volta o caminho do amor verdadeiro e de Deus.

Narrado em primeira pessoa, A Bandeja conta a estória de Angelina, uma jovem de 18 anos, vinda de uma família cristã, que sai de sua cidadezinha, Petrópolis, para cursar Letras no Rio de Janeiro. Ao chegar lá, ela acaba conhecendo seu professor Alderico (ou Rico como ele é chamado) e a atração que ambos sentem um pelo outro é imediata. Esquecendo-se de tudo que aprendera com os pais, Angelina se envolve com seu professor e deixa de lados os parentes, amigos e estudos, para se dar completamente a essa nova emoção. Ao decorrer do relacionamento, Angelina vai tendo sonhos estranhos, onde homens segurando uma bandeja lhe oferecem diversos objetos e, logo em seguida, quando ela aceita as ofertas, eles transformam-se em feras.

Minha vida toda fora monitorada por meus pais e eles falavam de casamento como algo tão puro que chegava a ser entediante. Eu não sabia que poderia sentir algo assim, uma desenfreada vivacidade.

 Angelina é uma personagem bonita, bastante impulsiva, suas ações são baseadas nas emoções de seu corpo e seu coração e, por isso, sofre muito ao longo de toda a trama. Extremista, ela sente tudo com muita intensidade seja alegria ou dor. Alderico, o professor, por sua vez, é um homem muito atraente, muito bonito, e é bem difícil não se apaixonar por ele num primeiro momento. Somente quando vamos progredindo durante a leitura é que vamos conhecendo sua verdadeira face, mas não que ela seja ruim, porém suas mentiras e erros fazem dele, de certo modo, o vilão da estória.

Há também a melhor amiga, Natasha, uma moça muito exemplar irmã de Dante, cantor de uma banda gospel, que sempre está ao lado de Angelina, mostrando-se muito solidário com todos os seus problemas. E ainda Michele, sua colega de quarto, que no início se mostra uma garota rebelde, envolvida com coisas e pessoas erradas, mas que vai se transformando e progredindo.

Sempre achei que sonhar era bom, principalmente naquelas últimas semanas, pois era uma forma de fugir da minha triste realidade. Mas os sonhos também podem ser perturbadores e ruins, pois, neles, reagimos sem pensar. Nos sonhos tomamos atitudes que não teríamos tomado se estivéssemos acordados, mas que provavelmente estão ligados aos nossos desejos mais íntimos.

O que dizer quando um livro te toca tanto que você não consegue nem colocar em palavras? Ler A Bandeja foi uma experiência maravilhosa, o livro trata, sim, de uma temática mais religiosa, porém a maneira como ela aborda o tema, de uma forma leve e descontraída, faz você viajar na leitura e tudo flui de um modo muito gostoso. Você consegue sentir todas as emoções da personagem, houve momentos em que cheguei a ter vergonha alheia da Angelina e tive que parar para me recuperar por alguns momentos, noutros eu quis chorar com ela, sentindo também a sua dor.

O livro em si nos ensina que quando nos esquecemos de tudo que é importante para nós, e fazemos escolhas sem uma direção, isso nos traz grandes consequências. É também uma estória de fé que, além de tudo, nos mostra que não devemos julgar as atitudes de ninguém, pois tudo tem sua hora certa para acontecer.


A Bandeja - Despertar - Livro 1
Lycia Barros
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook 

2 comentários:

  1. Sempre vi esse livro como algo simples, uma história de amor básica. Mas pela sua resenha parece mais pesado que isso, e nos faz refletir. É difícil isso de largar a mão de certas coisas pra embarcar em outra... Em todos os casos haverá consequencias, o problema é balancear qual traria coisas mais graves ;s

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Eve & Adam", vem conferir!

    ResponderExcluir
  2. Li este livro há tantos anos que nem me lembrava mais.

    Foi com sua resenha que a memória foi voltando. Na época eu também tinha gostado da leitura.

    Mas agora com sua resenha, me deu até vontade de ler de novo, é como se fosse um novo livro.

    Adorei, ler e lembrar!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.