Resenha: Lola e o garoto da casa ao lado

01/02/2015


A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. 

Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado. 

Lola tem uma vida tranquila, com pais amorosos e um namorado mais velho que ela ama, mas o fato de seus vizinhos, Calliope e Cricket, voltarem a morar na casa ao lado mexe com essa paz. O fato é que os irmãos Bell sempre vão e voltam, isso porque Calliope é uma patinadora famosa, mas da ultima vez que eles foram seus vizinhos algo aconteceu, algo envolvendo a Lola e o Cricket e ela saiu machucada. Só que agora tudo é diferente, a Lola é uma menina diferente e a volta deles não vai interferir em nada. Mas quando ela começa a passar mais tempo com Cricket, os sentimentos antigos voltam e fica cada vez mais difícil para essa menina expressiva resistir a esse cara que parece ter sido feito a sua medida.

O livro é narrado inteirinho pela Lola e ela é uma das personagens mais autenticas que eu já li. Assim, ela é um pouco imatura nessa questão de amor e relacionamentos, mas dá para relevar, ela tem apenas 17 anos. E autentica eu digo na forma de ser quem ela é, se vestir do jeito que ela quer se vestir e agir do jeito que ela quer agir. Ela não liga para o que os outros vão pensar sobre as roupas espalhafatosas que usa, as perucas coloridas, acessórios, o namorado mais velho... nada! Ela é como quer e eu admirei isso desde o começo do livro. Os outros personagens são meio que secundários, mas o Cricket (cri, cri, cri, desculpa não resisti) tem uma importância maior por ser o cara que a Lola sempre teve um tombo, e ele é esquisito e imperfeito na medida certa para ela.


Preciso confessar para vocês, eu achei o Cricket um pouco estranho. Ele é mais ou menos o tipo de menino criado por uma mulher. Não vou dizer homem porque ele é um garoto. O jeito dele agir, principalmente com a Lola, é o jeito como as mulheres querem que os homens se portem com elas e isso, pelo menos para mim, não é necessariamente próximo da realidade. Por ele ter um jeito peculiar, e acho que essa é a palavra que descreve bem esse personagem começando pelo nome, mais romântico, o romance entre os dois é muito fofo. Temos vários desencontros, mas nesse meio tempo o Cricket se mostra persistente e a Lola cabeça dura. As cenas finais são um amorzinho e tem a parte da lua com as estrelas que adorei!!

Foi a primeira vez que eu li um livro onde um casal gay tem uma participação ativa no enredo. A Lola é adotada e os pais são homoafetivos. A autora não aprofundou tanto no assunto, mas também não tirou o corpo fora. Ela mostrou pais criando uma filha como qualquer outro casal, e a filha em questão bem entendida da família que tem. Só que o que pega aqui, e no livro nos faz perceber que é um assunto complicado, é o fato dela ser adotada. Por mais que os pais deem todo o amor e carinho, existe uma parte da Lola que não deixa de questionar a razão dos pais biológicos não a criarem. Isso é resolvido no texto, mas ficou a impressão de que sempre será um ponto sensível na vida dela.


A leitura de Lola e o garoto da casa ao lado foi ótima, descontraída e com personagens que fugiram totalmente do que estou acostumada a ler. Autênticos, diferentes, bem resolvidos e que querem viver, querem sentir e querem ser, independente de preconceito. O livro mesclou bem o romance, o divertimento, com assuntos sérios e que nos fazem refletir, e valeu totalmente a leitura. Esqueci de comentar uma coisa super importante. Esse livro é único, mas faz parte de um trilogia. O que a autora fez foi inserir os protagonistas do primeiro livro nesse, como secundários claro. Foi uma surpresa gostosa dar um oi para a Anna e o Étienne, protagonistas de Anna e o beijo francês, por isso leiam na ordem.

*Com certeza vocês estão se perguntando sobre esse kit todo autografado né? Ganhei no twitter, acreditam?? Sim, a Stephanie fez um sorteio no seu perfil entre os que RT a mensagem que ela criou, com a edição brasileira, e eu fui uma das sortudas. Veio o kit completo que a Novo Conceito disponibilizou na época do lançamento e ela me mandou pelo correio com o livro autografado com meu nome. <3


Lola e o Garoto da Casa ao Lado - A fórmula perfeita para a paixão e o humor. Anna, Lola e Isla # 2
Stephanie Perkins
Editora Novo Conceito: Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Boa tarde Denise,

    Esse livro esta na minha lista de espera de leitura e espero gostar dele também, parabéns pela sua resenha....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.