Resenha: Cidade dos Ossos - Os Instrumentos Mortais #1

16/02/2015


Cidade dos Ossos - Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 

Finalmente eu trago para vocês a resenha de Cidade dos Ossos. Um série que começou, passou e eu fiquei no primeiro livro apenas. Dois detalhes importantes, essa é a quarta vez que leio este livro, mas ainda não tinha feito resenha aqui no site. Algumas das minha impressões sobre Cidade dos Ossos mudaram, mas outras continuam as mesmas. As mais importantes mudaram como vocês vão ler. A segunda coisa é que eu tenho quase todos os livros, mas me faltam alguns da série. Então se quem ler esta resenha quiser trocar comigo, o livro 5 da série e holográfica, por favor entre em contato. Sem ele a coleção fica tão feia na estante...

Clary sempre se achou uma garota normal, vivendo com a mãe e tendo um melhor amigo por perto, mas quando vê um grupo assassinando alguém e percebe que só ela viu isso, tudo muda. Ela acaba sendo inserida no mundo dos caçadores de sombras, um grupo que extermina demônios. Tentando superar o baque de saber que existe um mundo dentro do seu mundo, ela descobre que a mãe foi levada e agora precisa da ajuda deles para salvá-la. Mas Clary não é apenas uma garota arrastada para esse mundo sombrio, ela pode fazer parte dele de uma forma que ela nem imagina. As respostas ela vai descobrindo aos poucos, mas as mais importantes, é a mãe quem as possui.

Se havia uma coisa que ela estava aprendendo com tudo isso era a facilidade com que é possível perder tudo que se pensa que será para sempre.


O livro é narrado em terceira pessoa acompanhando principalmente a Clary. Eu queria muito que fosse em primeira pessoa, mas como o foco muda para alguns personagens secundários, isso foi necessário. A Clary é uma garota comum, na personalidade porque na aparência as pessoas costumam achar os ruivos diferentes, só que as vezes ela é muito passiva. Deixa os outros agirem por ela, uma característica que eu espero que mude nos próximos livros. O Jace é o queridinho de tudo, minha empatia e amor por ele não mudou em nenhuma leitura do livro. O sarcasmo misturado com a vulnerabilidade que ele tanto tenta esconder é encantador. E tem também o Simon, melhor amigo, que está ali praticamente a disposição da Clary, mas que tem sentimentos em relação a ela por trás disso.

O meu principal problema com o livro, e isso em todas as vezes que li, foi a dificuldade que tive em assimilar tudo o que a autora apresenta. Primeiro de tudo, os desenhos que eles fazem no corpo para invocar poderes, as armas que usam e as regras e palavras que envolvem ser um caçador de sombras. Sei que existe o codex, mas ele veio depois, então como eu estou lendo na ordem, não quero pular nada. Sempre tive essa ideia de que se ele fosse ilustrado seria tão mais fácil e legal. Eu também não consegui visualizar bem alguns seres que aparecem ao longo da estória. E aqui vale ressaltar que a Cassandra tem uma imaginação muito interessante e fecha os pontos de uma forma que não espero, que sempre me pega de surpresa.

Metade de sua atenção é melhor  do que toda a atenção de qualquer outra pessoa.


Uma impressão que não mudou e isso desde quando olhei para esse livro, era que eu achava que o romance não seria algo importante na estória. Logo na sinopse já dá para perceber que o amor é apenas secundário, que o mais importante envolvia a fantasia. O romance existe sim e acredito que muitos leem por causa dele, mas não espere algo explicito, um envolvimento mais profundo ou coisa do tipo. Como ainda tem muita coisa para acontecer, muitos livros, pode ser que isso se desenvolva no decorrer da série. Uma outra impressão que não mudou foi que esse não é apenas um livro introdutório, para apresentar personagens e o enredo. Ele também faz isso, mas dá para perceber que as possibilidades que a autora pode seguir nos outros livros é grande.

A impressão mais importante para mim, e que mudou, foi que eu fiquei mais empolgada para continuar lendo do que antes. Eu não cheguei a pegar tudo como das outras vezes, mas também não penso em ler o resto um dia, penso de ler agora. Cidade dos Ossos foi um livro que exigiu mais de mim na questão de assimilar as informações, de imaginar todos os seres que a autora mistura e cria e de lidar melhor com os personagens. A gente tem o costume de gostar mais do perfeito, ou do coitadinho, da personagem forte e por aí vai, mas aqui eles são bem equilibrados e reais. Sobre o fim... sempre que eu leio me deixa passada e eu não ter pego spoiler de nada é sensacional, porque ainda estou sem saber como a autora vai contornar isso. Enfim, estou realmente empolgada para saber mais sobre o mundo dos Instrumentos Mortais e doida para ler tudo de uma vez. 

O menino nunca mais chorou, e nunca se esqueceu do que aprendeu: que amar é destruir, e que ser amado é ser destruído.


Cidade dos Ossos - Os Instrumentos Mortais - Vol.1
Cassandra Clare
Galera Record: Twitter/Facebook

4 comentários:

  1. Oi, tudo bem?

    Se eu não estou enganada, este livro deve ser daquele filme que saiu no cinema mas que não fez tanto sucesso como deveria ter feito, né? Assisti ao filme e achei tão chato que nem arrisquei a leitura, pois estava com medo do livro ser a mesma coisa sem graça. Mas é incrível, todo mundo diz que é ótimo e que estou perdendo tempo não lendo ele. Acho que vou dar uma chance rs.

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oii, finalmente você esta lendo Instrumentos Mortais, minha serie favorita, é um livro que te transporta para um mundo novo e principalmente como você falou, todos os personagens são incríveis, amo eles, leia a serie até o final, não vai se arrepender, ainda tem muita coisa para acontecer. e depois que terminar não deixe de ler As Peças infernais é perfeito.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei muito do livro quando o li, acho que o final foi mesmo o que mais me surpreendeu, mas eu concordo com você em questões de assimilar o que acontece, realmente dá uma confusão, porque tem seres que nem com toda a descrição, surgem na cabeça, da até preguiça de tentar imaginar.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  4. É o pior da autora, depois que você avança na leitura ou lê As Peças Infernais vai ver como ela evoluiu.
    Pelo menos isso, ela evoluiu <3

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.